Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Centro de Sustentabilidade / programa-metodista-sustentavel / noticias / Núcleo de Sustentabilidade realiza descarte consciente de resíduos líquidos

Núcleo de Sustentabilidade realiza descarte consciente de resíduos líquidos

05/06/2013

05/06/2013 17h15 - última modificação 02/10/2014 12h23

Programa do Núcleo de Sustentabilidade realiza o tratamento e dá o destino correto para resíduos líquidos produzidos na Universidade

 

Reduzir impactos ambientais, realizar novos experimentos e ainda minimizar custos. Desenvolvido pelo Núcleo de Sustentabilidade, o programa para descarte de resíduos líquidos orienta quanto ao modo correto de tratar e descartar soluções ácidas e básicas, sem riscos e sem prejudicar o meio ambiente.

A professora Denise Antonia de Freitas Neves, que está no comando do projeto, conta que a iniciativa e os testes para o tratamento e descarte de resíduos líquidos começaram no ano de 2011.  Na fase atual – resíduos líquidos de laboratório - a professora, acompanhada por um estagiário do Núcleo é que realizam as análises e desenvolvem os projetos.

Denise conta que “esta parte do projeto visa diminuir a quantidade de resíduos líquidos de laboratório que atualmente são recolhidos por empresas responsáveis pelo descarte, uma vez que há algum tempo a legislação ambiental específica não permite que sejam descartados na rede pública de esgotos”.

Outros objetivos podem ser reconhecidos além da diminuição de custos e do atendimento à legislação. “Buscamos a introdução de uma visão sustentável nos processos internos executados no Núcleo de Pesquisa (gestor de laboratórios), considerando que parte do resíduo tratado poderá ser reaproveitado.”

O programa também traz aprendizado integrado aos alunos, com a introdução da visão de sustentabilidade nas aulas práticas. “O início do tratamento dos resíduos é feito pelos alunos ao término dos experimentos, fazendo com que o aprendizado específico de qualquer assunto possa ser integrado com as questões legais, econômicas e ambientais”, explica a professora.

Mas não é só nas aulas que as ações são feitas. Recentemente foi realizado diagnóstico sobre quais setores da Universidade utilizam em maior quantidade e quais os tipos de resíduos gerados. Além dos ácidos e bases, iniciou-se pesquisa para tratamento de metais pesados.

Por meio destes estudos, foi elaborado o POP (Procedimento Operacional Padrão), documento que contém todos os procedimentos para orientar as ações. “Já realizamos o treinamento do corpo técnico do Núcleo de Pesquisa, Farmácia Escola e Hospital Veterinário para o tratamento e descarte das soluções utilizadas por eles. O volume médio inicial previsto para as soluções tratadas é de 30 litros/mês.”

Heitor Mello Garcia, aluno de Biomedicina e estagiário do Núcleo, participou realizando pesquisas bibliográficas sobre tratamentos já realizados com os resíduos encontrados no laboratório para desenvolver formas de realizá-los dentro da Universidade.

O aluno conta que antes os resíduos eram simplesmente armazenados e, ao final do semestre ou ano letivo, eram entregues a uma empresa que fazia o descarte dos mesmos. Para ele, o programa é de extrema importância.

“A Universidade é uma grande produtora desses resíduos líquidos e o descarte inadequado acarretaria em sérios impactos ambientais. Os benefícios vão desde a proteção do meio ambiente, quanto à questão financeira, já que uma quantia mínima será entregue a empresa que faz o descarte, o que gera diminuição no valor pago”, relatou Heitor.

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: , ,
TRABALHOS E CONGRESSOS