Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2018 / Julho / Coordenadora do Fórum Nacional de Educação defende repensar forma e conteúdo do ensino superior

Coordenadora do Fórum Nacional de Educação defende repensar forma e conteúdo do ensino superior

Professora Ester Galvão falou na Assembleia Docente de abertura do 2º semestre

31/07/2018 20h05 - última modificação 02/08/2018 18h11

Prof. Ester falou aos professores da Metodista na assembleia de abertura do segundo semestre

O ambiente do Ensino Superior brasileiro em geral é tão desmotivador quanto o encontrado pelo aluno no Ensino Médio. Aulas pouco interessantes, conteúdos distantes da realidade, referências bibliográficas repetidas, além de pouca liberdade para o estudante dar ou adotar sugestões e pesquisas próprias formam um caldeirão de indiferença que muitas vezes leva à desistência do curso.

“As salas de aula são enfadonhas. Insistimos num modelo que reproduz o que aprendemos à nossa época, sem aceitar ideias novas que façam o aluno ‘sair da caixinha’. Estamos tolhendo muitos talentos”, apontou a coordenadora do Fórum Nacional de Educação (FNE), professora Maria Ester Galvão de Carvalho, em palestra na Assembleia Docente de início de semestre letivo da Universidade Metodista de São Paulo, realizada na noite de 30 de julho.

Participante assídua em Conselhos de Educação de várias partes do País, professora Ester Galvão desenhou um perfil crítico da média do ensino brasileiro, sobretudo o público, o que explicaria os índices de repetência e evasão escolar. Ela apontou equívocos no próprio Plano Nacional de Educação (PNE) que fixou 20 metas para a década 2014-2024, citando que o Ensino Superior é só a ponta de falhas que ocorrem desde a iniciação escolar.

“Pesquisas internacionais indicam que uma criança estabelece todas as conexões neurais do zero aos quatro anos de idade e vai abrindo janelas de conhecimento ao longo da vida. Mas o Brasil pouco se preocupa com essa faixa etária. As prefeituras acham muito caro manter creches”, citou, expondo que as deficiências se repetem nos demais ciclos, a ponto de o governo ter revisto totalmente o Ensino Médio instituindo em 2017 a nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC) que enfatiza matérias eletivas. O aluno passa a cursar áreas do conhecimento com as quais tem afinidades, não mais uma grade rígida de matérias.

Flexibilizar e interagir

Ao falar sobre “Desafios do Ensino Superior no Plano Nacional de Educação", a coordenadora do Fórum Nacional de Educação aconselhou que o Ensino Superior deve igualmente flexibilizar conteúdos para que os estudantes se sintam motivados e vejam boas perspectivas de formação profissional. Além de metodologias diferentes, sugeriu interação entre professores e disciplinas para tornar as aulas atraentes e não repetitivas, já que conteúdos iguais se reproduzem em módulos diferentes.

Segundo o último Censo Escolar do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao Ministério da Educação, entre 2014 e 2015, 12,7% dos alunos matriculados na 1ª série do Ensino Médio abandonaram a escola, o mesmo ocorrendo com 12,1% dos matriculados na segunda série e 6,7% na terceira série. No Ensino Superior, a taxa de abandono acumulada em cinco anos para os que entraram numa faculdade em 2010 foi de 49%.

Professora Ester Galvão também falou do papel do Fórum Nacional de Educação, um espaço que reúne 41 instituições de vários setores, não apenas de ensino, para debater os caminhos da educação. Surgiu em 2010 como fruto da Conferência Nacional de Educação (Conae), que este ano realiza sua 3ª edição quadrienal.

A educadora foi recebida pelo reitor Paulo Borges Campos Jr e pelos coordenadores de Graduação e Extensão, Pós-graduação e Pesquisa e Educação a Distância da Metodista, respectivamente professores Alessandra Zambone, Adriana Barrosos e Marcio Oliverio. Também participou do evento a secretária de Educação de São Bernardo, Silvia Domingues. A abertura contou com apresentação do Canto Coral, organizado pelo Núcleo de Arte e Cultura com participação de alunos, professores e funcionários.

Veja imagens: 

Assembleia Docente 2º semestre de 2018, palestra da professora Maria Ester Galvão de Carvalho, coordenadora do Fórum Nacional de Educação (FNE), sobre "Desafios do Ensino Superior no Plano Nacional de Educação"

Esta matéria foi publicada no Jornal da Metodista.
Conheça Outras.

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: , , , , , , , , , , , , ,
X