Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Pós-Graduação em Administração / Disciplinas / 2º semestre de 2016 / Pesquisa e didática no ensino da Administração

Pesquisa e didática no ensino da Administração

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO
CURSO DE MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO

DISCIPLINA: PESQUISA E DIDÁTICA NO ENSINO DA ADMINISTRAÇÃO
PROFESSORES: LUIZ ROBERTO ALVES
CARGA HORÁRIA: 3 CRÉDITOS
TURMA: 2º SEMESTRE DE 2016
HORÁRIO: TERÇAS-FEIRAS, DAS 8 H ÀS 11 H

PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA

 

OBJETIVOS

1. Trabalhar o processo de ensino, pesquisa e inserção social do campo da Administração/Gestão no contexto da Educação Brasileira.

2. Desenvolver análises e reflexões sobre temas inerentes aos três âmbitos do trabalho propostos no objetivo 1: a ação didático-pedagógica; os processos de avaliação e regulação do ensino superior; introdução aos atos fundamentais de pesquisa; os modos de inserção social nos termos do PPI-Metodista e da legislação brasileira; as visões de conjunto do fazer educacional no Brasil; as habilidades para a expressão e a comunicação do conhecimento; os atos de ensino e pesquisa disciplinar, inter e transdisciplinar na construção dos processos de trabalho dos professores/as; as relações de trabalho entre educandos/as e educadores/as.

3. Acompanhar experiências discentes e docentes que possibilitem refletir acerca do sentido da produção e do compartilhamento de conhecimento no campo do ensino superior da Administração/Gestão.

 

JUSTIFICATIVAS
O programa tem, em sua razão de ser, a formação de professores e pesquisadores. Daí a exigência de iniciar, nesta disciplina, o aprofundamento nas teorias e práticas de ensino, pesquisa e consequente inserção social, que explicam o papel social da educação. As mudanças do mundo do trabalho, dos processos de avaliação e regulação e das dinâmicas da ciência, das tecnologias, da economia e das culturas na contemporaneidade ainda mais exigem a busca de perspectivas de conjunto e visão totalizadora do fazer educacional na sociedade.

 

EMENTA
Pesquisa e Didática em Administração como linguagem de valores em conexão no interior de uma política de formação de profissionais para a qualidade social do ensino na subárea e no sistema nacional de educação.

 

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

1. Pesquisa, Didática e Conhecimento: primeira conexão interdisciplinar

Introdução aos fundamentos do ensino, da pesquisa e das inserções sociais na docência superior brasileira;
- Pensamento clássico e contemporâneo, abordagens, rupturas no fazer educacional e na construção de conhecimento (mudanças e manutenções). A tensão e os posicionamentos. Os modos de pensar o conhecimento e sua presença nos currículos universitários.

Texto(s) básico(s) para leitura: SPISAK, Shannan. The Evolution of a Cosmopolitan Identity: transforming culture. Current Issues in Comparative Education. Vol. 12m Fall 2009. ISSN 1523-1615. http://www.tc.edu.cice, pp.85-91.

TAVARES, Manuel. A Universidade e a pluridiversidade epistemológica: a construção do conhecimento em função de outros paradigmas epistemológicos não ocidentocêntricos. Revista Lusófona de Educação. Vol. 24, 2º quadrimestre 2013, pp. 49-74. PIERRO, Bruno del. Para promover uma cultura de integridade. Pesquisa Fapesp. Vol. 233, julho 2015, pp. 16-23. FISCHER, Tânia Maria D., WAIANDT, Claudiani e FONSECA, Renata Lara. A história do ensino em Administração: contribuições teórico-metodológicas e uma proposta de agenda de pesquisa. RAP, Revista de Administração Pública. Rio de Janeiro, 45(4):911-39, julho/agosto, 2011.

Problemas prático-teóricos em debate: Conhecer e discernir fundamentos e estratégias no interior da diversidade e da desigualdade brasileiras.

Reflexão discente: Uma realidade político-educacional e metodológica muito diversa, mas não caótica.

 

2. Pesquisa, Didática e o Sistema Educacional Brasileiro: segunda conexão interdisciplinar

A legislação: Constituição 1988, LDB/1996, Diretrizes para a Qualificação da subárea de ADM e Plano Nacional de Educação em direção ao SNE;
Indução legislativa aos atos de conceber o conhecimento formalizado em cursos, implantar (estratégias), qualificar ensino/pesquisa e avaliar (regular) o processo com vistas a resultados globais.

Leituras básicas: LDB, Plano Nacional de Educação e Diretrizes Curriculares para os cursos de Administração do Brasil (CNE-MEC).

CAVALIERI, Adriane; Macedo-Soares, T. Diana L. v. A; Thiollent, Michel. Avaliação: por que, o quê é, como. Avaliando o Desempenho da Universidade. Rio de Janeiro: PUC-Rio; São Paulo: Loyola, 2004, pp. 19-54.

BORTOLOTTO, Nelita. Conhecimento e Prática Social: o Trabalho Pedagógico. Currículo: Diversidade e Formação. Carvalho, Grando e Bittar (orgs.) Florianópolis: Editora da UFSC, 2008, pp.45-65.

Problemas prático-teóricos em debate: Situando o currículo de estudos como mediação do ensino e da pesquisa no conhecimento avaliado da Universidade e da subárea de Administração.
Reflexão discente: Pensar currículo e chegar à totalidade do ensino e da pesquisa: observações críticas.

 

3. Pesquisa, Didática e os Desafios Contemporâneos da Subárea de ADM: terceira conexão interdisciplinar

Expressão, Comunicação e Análise do Conhecimento. Aprendizagem com/para Autonomia, presencial ou a distância;
- A didática como mediação educativa para os atos de ensinar e pesquisar no interior do currículo, autonomizar os sujeitos da educação: o discente, o docente, a gestão e demais carreiras do magistério e da pesquisa;
- O saber criador de habilidades e autonomia dos estudantes;
- A criatividade no planejamento, na implantação e na avaliação de unidades de trabalho.

Texto(s) básico(s) para o debate: SOMEKH, Bridget Et ZEICHNER, Ken. Action research for educational reform: remodelling action research teories and pratices in local contexto. Educational Action Research. Vol. 17:1, 2009, pp. 5-21. DOI 101080/09650790802667402. SODRÉ, Muniz. Cultura e educação. Reinventando a Educação. Diversidade, descolonização e redes. 2.ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012, pp.15-72. MACHADO, Nilson José. Ética e Educação. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2012, pp.161-167. FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. Saberes Necessários à Prática Educativa. 44.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013, pp.23-47

Problemas prático-teóricos em debate: Dentro do ato de ensinar na contemporaneidade capitalista, ainda se pode encontrar a ação educativa? Como? Onde?

Reflexão discente: Criar pontos de apoio teóricos na bibliografia para analisar três currículos de instituições conhecidas, por comparação, destacando processos de mudança ou de manutenção, atitudes transformadoras e/ou conservadoras. Buscar brechas no sistema de educação superior para a criação da qualidade social no ensino e na pesquisa.

 

4. Pesquisa, Didática e sua Sustentabilidade como valor (o ético, o estético, o ambiental e o mundo do trabalho: quarta conexão interdisciplinar

Análise e avaliação de experiências didático-pedagógicas e seus valores. Novos processos de concepção, implantação e avaliação (regulação) dos cursos entendidos como valores do conhecimento. As Linguagens da Educação na contemporaneidade.
- Experiências das práticas de ensino, pesquisa e inserção social (presencial e a partir de ambientes virtuais de ensino-aprendizagem);
- Análise e avaliação de práticas integradoras do processo de conhecimento (aquisição, difusão, avaliação).


Texto(s) básico(s) para o debate: JAIME, Pedro. Sustentabilidade & formação de administradores: diálogos cruzados e a contribuição do ensino-aprendizagem de Sociologia. Educação para Sustentabilidade nas escolas de Administração. Brunstein, Godoy e Silva (orgs.) São Carlos: Rima, 2014, pp.229-247. WARDE, Miriam Jorge. Sobre orientar pesquisa em tempos de pesquisa administrada. A bússola do escrever. Desafios e estratégias na orientação de teses e dissertações. Bianchetti e Machado (orgs). Florianópolis/São Paulo: Editora da UFSC e Cortez Editora, 2002, pp.235-254. MATARAZZO-NEUBERGER, Waverli Maia; ALVES, Luiz Roberto & BERNARDES, Marco Aurélio. The Role of Universities in Developing a Sustainable economic Model Based on Solidarity. International Journal of Sustainable And Green Energy. http://www.sciencepublishinggroup.com/j/ijrse. February 2015, vol.4(2), pp. 22-29.

Problemas para o debate: Há um novo conceito de sustentabilidade no campo das ciências sociais e na subárea de Administração? Sustentabilidade humana (cultural) e sustentabilidade material; como formar para a sustentabilidade da vida planetária?

Reflexão discente: Criar um texto final (entrega até 10 de janeiro 2017, anexo de correio eletrônico), com média de 12 páginas, tema livre que abarque teoria e prática lida e observada durante o semestre e capaz de se constituir em futuro artigo ou ensaio. Usar normas ABNT ou APA. De preferência, criar associação entre o texto e os interesses da dissertação. ;

 

ESTRATÉGIAS DIDÁTICAS

  • Leitura de autores clássicos e contemporâneos sobre educação, conhecimento, pesquisa, currículo de estudos, didática;
  • Conhecimento básico da legislação e de diretrizes para os atos educacionais da subárea;
  • Filmes e documentários pertinentes;
  • Análises de experiências: a dinâmica da pesquisa e o/a professor/a: pesquisador/a e sujeito da didática nas interações educacionais;
  • Leituras críticas e sondagens sobre a ação contemporânea de educar, ensinar e aprender.

 

AVALIAÇÃO

- Construir, no movimento do curso, um itinerário pessoal de pesquisa científica em P&D, por meio das análises e reflexões propostas;
- Construir os fundamentos de um trabalho crítico sobre currículos, ou mesmo propostas de melhoria de currículos de Administração;
- Desenvolver seminários alternados aos debates (limite de quatro colegas);
- Desenvolver artigo/ensaio final, individual ou em dupla, com vistas a submissão a encontros científicos ou revistas qualificadas (opcional, desejável).
- Haverá sempre devolutivas do professor aos textos criados, com vistas ao seu aperfeiçoamento e ampliação.

 

BIBLIOGRAFIA

ARAUJO, Adilson Cesar de. Qualidade da Educação. Tendências e Possibilidades. Gestão, avaliação e qualidade da educação. Brasília: Liber Livro; Faculdade de Educação/Universidade de Brasília, 2012.

ARENDT, Hannah. A Crise na Educação. Entre o Passado e o Futuro. São Paulo: Editora Perspectiva, 1972.

BAÊTA, Adelaide Maria Coelho. Saramago no ensino e aprendizagem de metodologia de pesquisa. Administração com Arte. DAVEL, Eduardo, VERGARA, Sylvia C. e GHADIRI, Djahanchah P. (orgs.) São Paulo: Atlas, 2007.

BORTOLOTTO, Nelita. Conhecimento e Prática Social: o Trabalho Pedagógico. Currículo: Diversidade e Formação. Carvalho, Grando e Bittar (orgs.) Florianópolis: Editora da UFSC, 2008, pp.45-65.

BOURDIEU, Pierre. Por uma sociologia clínica do campo científico. Os usos sociais da ciência. São Paulo: Editora Unesp, 2004.

CAPES – Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Contribuição da Pós-Graduação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável – CAPES na Rio + 20. Brasília: CAPES, 2012.

CAVALIERI, Adriane; Macedo-Soares, T. Diana L. v. A; Thiollent, Michel. Avaliação: por que, o quê é, como. Avaliando o Desempenho da Universidade. Rio de Janeiro: PUC-Rio; São Paulo: Loyola, 2004, pp. 19-54.

COMPARATO, Fábio Konder, Educação Estado e Poder. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1987.

CRESWELL, John W. Projeto de Pesquisa. Métodos qualitativo, quantitativo e misto. Porto Alegre: Artmed, 2010.

DAVEL, Eduardo, VERGARA, Sylvia, GHADIRI, Djahanchah Philip. Administração com Arte, Experiências vividas de ensino-aprendizagem. São Paulo: Editora Atlas, 2007.

DOWBOR, Ladislau, Tecnologias do Conhecimento, os desafios da educação. Rio de Janeiro: Vozes, 3. ed., 2005.

FILMER, Paul, JENKS, Chris, SEALE, Clive and WALSH, David. Developments in social theory. Researching Society and Culture. London, Thousand Oaks, New Delhi: Sage Publications, 1998.

FISCHER, Tânia Maria D., WAIANDT, Claudiani e FONSECA, Renata Lara. A história do ensino em Administração: contribuições teórico-metodológicas e uma proposta de agenda de pesquisa. RAP, Revista de Administração Pública. Rio de Janeiro, 45(4):911-39, julho/agosto, 2011.

FISCHER, Tânia Maria D., A difusão do conhecimento sobre Organizações e Gestão no Brasil: Seis propostas de ensino para o decênio 2000/2010. RAC, Edição Especial 2001, p.123-139.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. Saberes Necessários à Prática Educativa. 44.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013, pp.23-47

GLEGG, Stewart R.; HARDY, Cyntia,, NORD, Walter R;, Modelos de Análise e Novas questões em Estudos Organizacionais, vol 1, 1. ed. 6ª reimpressão. São Paulo: Atlas, 2012.
______________________________. Handbook de estudos organizacionais, Ação e Análise Organizacionais, vol. 3, São Paulo, Atlas, 2009.

HAIR JR, J. F., Babin, B.: Money, A.H.; Samuel, P. Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman, 2006.

JAIME, Pedro. Sustentabilidade & formação de administradores: diálogos cruzados e a contribuição do ensino-aprendizagem de Sociologia. Educação para Sustentabilidade nas escolas de Administração. Brunstein,

Godoy e Silva (orgs.) São Carlos: Rima, 2014, pp.229-247.
Lei 9394/1996, de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, LDBEN, Plano Nacional de Educação e Diretrizes Curriculares para os cursos de Administração do Brasil (CNE-MEC).

LEITCH, Ruth & DAY, Christopher. Action research and reflexive practice: towards a holistic view. Educational Action Research, 8:1, 2006, 179-193, DOI 10.1080/09650790000200108.

LOPES, Alice Casimiro e MACEDO, Elizabeth. O pensamento curricular no Brasil. Currículo: debates contemporâneos. São Paulo: Cortez Editora, 2002.

MACHADO, Nilson José. Ética e Educação. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2012, pp.161-167.

MORIN, Edgar. Saber Pensar o seu Pensamento. As Grandes Questões do Nosso Tempo. 4.ed. Lisboa: Editorial Notícias, 1994.

PIERRO, Bruno del. Para promover uma cultura de integridade. Pesquisa Fapesp. Vol. 233, julho 2015, pp. 16-23.

PIMENTA, Selma Garrido, ALMEIDA, Maria Isabel (orgs). Pedagogia Universitária, São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2009.

Plano Nacional de Pós-Graduação (PNPG) 2011-2020. Vol. I. Brasília: Capes, dezembro de 2010.

SANTOS NETO, Elidio. Globalização, Conhecimento e Educação: desafios e perspectivas para as instituições escolares e os educadores. Revista COGEIME, ano 16, n. 30, 2007.

SILVA, Alberto Carvalho da. Alguns problemas do nosso ensino superior. Revista Estudos Avançados. São Paulo: IEA-USP, número 42, maio/agosto 2001.

SINGER, Paul. A Universidade no Olho do Furacão. Estudos Avançados . São Paulo: Revista do IEA-USP. Edição Especial, vol. 15, número 42, maio-agosto 2001.

SODRÉ, Muniz. Cultura e educação. Reinventando a Educação. Diversidade, descolonização e redes. 2.ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012, pp.15-72.

SOMEKH, Bridget & ZEICHNER, Ken. Action research for educational reform: remodelling action research theories and practices in local contexts. Educational Action Research, 17:1, 2009, 5-21, DOI 10.1080/09650790802667402.

SGUISSARD, Valdemar. Universidade Brasileira no Séc. XXI – Desafios do Presente, São Paulo: Cortez Editora, 2009.

SPISAK, Shannan. The Evolution of a Cosmopolitan Identity: transforming culture. Current Issues in Comparative Education. Vol. 12, Fall 2009. ISSN 1523-1615. http://www.tc.edu.cice, pp.85-91.

TAVARES, Manuel. A Universidade e a pluridiversidade epistemológica: a construção do conhecimento em função de outros paradigmas epistemológicos não ocidentocêntricos. Revista Lusófona de Educação. Vol. 24, 2º quadrimestre 2013, pp. 49-74.

THIOLLENT, Michel. Pesquisa-Ação nas Organizações. São Paulo: Atlas, 1997.

VIEGAS, Waldyr. Fundamentos Lógicos da Metodologia Científica, Brasília, Ed. UnB, 2007, 3. ed. Revista.

WARDE, Miriam Jorge. Sobre orientar pesquisa em tempos de pesquisa administrada. A bússola do escrever. Desafios e estratégias na orientação de teses e dissertações. Bianchetti e Machado (orgs). Florianópolis/São Paulo: Editora da UFSC e Cortez Editora, 2002, pp.235-254.

WEBSTER, J., WATSON, R. T. (2002). Analyzing the past to prepare for the future: writing a literature review. MIS Quarterly, 26( 2), xiii-xxii.

WHETTEN, D. A. O que constitui uma contribuição teórica. RAE, julho/setembro, 68-73, 2003.

Agências e Espaços eletrônicos para consulta e pesquisa

Conselho Federal de Administração – www.cfa.org.br

CNE – Conselho Nacional de Educação - www.cne.mec.gov.br

Associação Nacional dos Cursos de Graduação em Administração – www.angrad.org.br

PPI-Projeto Pedagógico Institucional – Universidade Metodista de São Paulo, 2009.

INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas em Educação Anísio Teixeira - www.inep.gov.br

IPEA . Instituto Nacional de Pesquisa Econômica Aplicada . Juventude e Políticas Sociais no Brasil

SINAES – Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior

www.timeshighereducation.co.uk
www.spell.org.br

ABED < http://www2.abed.org.br/d_texto s.asp>, UNICAMP < http://www.ccuec.unicamp.br/EAD/> e SEED < http://www.mec.gov.br/seed/>.

SCIELO – CAPES

Comunicar erros

SOBRE O PROGRAMA