Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Pastoral / Reflexões da Pastoral / Cuidar do Meio ambiente - Uma prática cidadã

Cuidar do Meio ambiente - Uma prática cidadã

Rev. Natanael Garcia Marques
“Alegrai-vos, pois, e regozijai-vos para sempre
com aquilo que estou para criar.” (Isaias 65,18).

O que é ser um cidadão? Entre outras coisas, é respeitar os outros; em casa na rua ou na escola e lutar pêlos direitos de receber educação, alimentação, saúde e moradia. As conquistas desses direitos e das melhorias das condições de vida tem sido um grande desafio , exigindo a dedicação de várias pessoas ao redor do mundo. Mesmo não sendo uma missão fácil, com o esforço de cada um de nós em exercer a cidadania pode ser possível a construção de um mundo melhor e mais humano.

Um outro ponto para nossa reflexão: O que é cidadania? Nosso planeta é muito grande e tem mais de 6 milhões de pessoas, umas diferentes das outras. Todos nós temos uma série de direitos para nos proteger e ao mesmo tempo deveres a cumprir. Fazer valer nossos direitos e agir de acordo com nossos deveres é o que nos torna cidadãos. Mas o ser humano só chegou a essa situação a medida que foi percebendo que precisava viver junto com outras pessoas, em sociedade. A vida em sociedade exige o cumprimento de certas regras, que são os deveres. Afinal, do mesmo modo que têm direitos, todas as pessoas têm também obrigações. Respeitar as outras pessoas, suas escolhas e opiniões é uma delas.. Jogar lixo nos lugares apropriados, preservar a natureza também são deveres de todos nós.

No Antigo Testamento a justiça (sedaqad) e o direito (michipat) não andam sozinhas, com eles caminha: a fidelidade, a fé, a confiança, a bondade, a graça, a honradez, a correção, a paz, a vida plena, o estatuto, a instrução e a integridade.

O povo de Deus no Antigo Testamento, estava visivelmente preocupado com a presença da justiça no dia-a-dia. Para eles e elas a implementação da ordem do mundo acontecia através da sedaqad (justiça), michipat (direito), hesed (bondade), emunah (fidelidade), chalom (paz, vida plena), aplicados em cada âmbito da sociedade. A preocupação com a justiça foi comum aos historiadores, sábios, legisladores, profetas e o povo simples que experimentavam a fé, seja no culto, seja nas crises do dia-a-dia.

O que vimos acima foram exemplos de como é possível trabalhar a partir da Bíblia o tema atual dos Direitos Humanos, da prática da justiça, do desejo de vida digna e abundante. Existem muitas possibilidade quando partimos deste eixo, porque esse é tema central na Bíblia.

A consciência universal sobre a importância do cuidado com o meio ambiente. Nunca se proclamaram tão alto esses cuidados e ao mesmo tempo nunca foram tão sistematicamente violados como nos nossos tempo. A luta para conservá-las firmemente na consciência dos indivíduos e dos povos passa obrigatoriamente pelo processo educativo.

A confessionalidade Metodista destaca o processo educativo que desperta nas pessoas a inconformidade com as situações degenerativas da vida, seja por meio da destruição do meio ambiente, da miséria, da exploração do trabalhor/a, da desintegração de valores como a solidariedade e a justiça e de tantas outras situações aviltantes à vida.

A responsabilidade pelas outras pessoas, pela sociedade, pela natureza, implica na organização de um mundo com vida saudável. A indentidade desta organização se constrói prioritariamente com propósito público. Ou seja, não haverá sobrevivência da sociedade humana sem uma ética, sem uma experiência de coletividade, voltada para o bem estar de todas as pessoas e do planeta.

Leonardo Boff ao ser convidado a falar na cerimônia da Conferência Nacional do Meio Ambiente realizada no dia 05 de junho de 2003, dia mundial do meio ambiente, disse essas poucas palavras: “O Brasil é uma das províncias mais bemaventuradas do Planeta vivo, a Terra. Como mãe generosa, ela nos legou uma riqueza ecológica que representa para todos nós grave responsabilidade. Queremos estar à altura dela. Dispomo-nos a preservar essa riqueza pelo valor que possui em si mesma, pela alegria que sua beleza nos propicia e sobretudo porque ela garante a sustentabilidade de nosso povo e de nosso desenvolvimento. Essa riqueza é para nós e para toda a família humana da qual somos membros, junto com outros companheiros e companheiras da comunidade de vida, animais e plantas que precisam dela para continuarem a viver e a co-evoluir e que formam conosco a grande democracia socio-cósmica. Só em mantermos de pé a floresta amazônica com os benefícios que traz para o equilíbrio da biosfera, oferecemos gratuitamente à humanidade 14 bilhões de dólares anuais. Os países poluidores precisam saber disso” [1] Temos que ter um cuido todo especial com nosso planeta, pois só o temos para viver e morar. Portanto, cada ser humano precisa descobrir-se como parte do ecossistema e desenvolver uma consciência coletiva que pesa sobre o nosso belo planeta e BOFF(l999) diz que para cuidar do planeta precisamos passar por uma alfabetização ecológica e rever nossos hábitos de consumo e ao mesmo tempo desenvolver uma ética do cuidado.

“Fica decretado que agora vale a verdade que agora vale a vida e que de mãos dadas, trabalharemos todos/as pela vida verdadeira”.
(Thiago de Mello)

Bibliografia:

BOFF, Leonardo. Saber cuidar: ética do humana – compaixão pela terra. Petrópolis, RJ; Vozes, 1999.

_____________. Ecologia: grito da terra, grito dos pobres. São Paulo: Ática, 1996.

CASTRO, Clovis Pinto. Meio ambiente e missão: a responsabilidade ecológica da Igreja .São Bernardo Campo: EDITEO, 2003.

Boehler, Genilma. Estudo não publicado sobre Direito e Justiça no Antigo Testamento. Elaborado para os Professores/as de Ensino Religioso do Colégio Metodista em São Bernardo do Campo, 1998.

[1]http://www.caritas.org.br – 25 de abril 2006, ás 16h00
Comunicar erros

ATENDIMENTO

Campus Rudge Ramos -  Edifício Sigma, Sala 205
Telefone – 4366-5543

Atendimento:


- Segunda a sexta-feira, das 8h às 22h
- Sábados, das 8h às 12h



Campus Planalto – Edifício A, Sala 316
Telefone: 4366-5339

Prof.ª Rosane Silva de Oliveira
Pastor Hércules Andrade Araújo
Pastor Edemir Antunes Filho

Atendimento:

- Segunda-feira, das 8h às 12h e das 19h às 21h30
- Terça-feira, das 8h às 21h30
- Quarta-feira, das 10h às 21h30
- Quinta-feira, das 8h às 14h e das 19h às 21h30
- Sexta-feira, das 8h às 12h
 



Campus Vergueiro -  Edifício A, sala 150
Telefone: 4366-5403

Pastora Angela Aparecida Balbastro Ribeiro
Pastor Edemir Antunes Filho

Atendimento:

- Terça-feira, das 14h às 21h30
- Quinta-feira, das 14h às 21h30



Colégio Metodista SBC
Telefone: 4366-5796

Pastor Wesley Cardoso Teixeira
Prof.ª Elaine Cezar da Silva

Atendimento:

- Segunda-feira, das 8h às 12h
- Quarta-feira, das 8h às 17h
- Terça, quinta e sexta-feira, das 8h as 17h30