Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Assessoria de Relações Internacionais / Notícias / 2017 / Metodista recebe estudantes da Roberts Wesleyan College de Nova York

Metodista recebe estudantes da Roberts Wesleyan College de Nova York

Universitárias participaram de aulas de português e cultura brasileira

24/02/2017 19h55 - última modificação 02/03/2017 14h55

Visitantes interagiram com professores e alunos da Universidade Metodista

Quatro estudantes e duas professoras da Roberts Wesleyan College, faculdade do estado de Nova York, nos Estados Unidos, ligada à Igreja Metodista Livre, passaram uma semana na Universidade Metodista de São Paulo participando de diversas atividades culturais e práticas. Recebidas pela Assessoria de Relações Internacionais, as visitantes passaram os primeiros dias em adaptação com as famílias que as hospedaram e conheceram pontos turísticos de São Paulo.

“Eu estou adorando tudo, está sendo uma experiência maravilhosa”, conta Julie Rushik, diretora de International Engagement da Roberts. Até mesmo o calor brasileiro está agradando Julie que diz não estar encontrando dificuldades em aprender português, já que é professora de idiomas. Ela, inclusive, fez questão de soletrar seu sobrenome em português, sem cometer nenhum erro.

O curso de português intensivo do qual as estudantes participaram tem uma carga horária de 10 horas/aula e ensina o básico para que possam visitar pontos turísticos, fazer compras e perguntar questões simples. Betânia Monteiro Cielo, professora do curso de Letras – Língua Estrangeira (Tradutor e Intérprete) da Metodista, ministrou o curso e elogia o empenho das alunas: “são estudiosas e muito esforçadas. É um dos melhores grupos que já recebemos, estão se divertindo, aprendendo e até sambaram um pouco na aula”.

A aluna de tradução, Karina Marques Leite, concorda com a professora e diz que as visitantes são muito receptivas. “Está sendo muito legal, muito interessante mesmo. Estou aprendendo várias coisas de inglês e até de português mesmo que eu não sabia. Elas são muito gente boa, está sendo bem legal essa convivência”, declara.

A inserção em nossa cultura é total. Elas também participaram de workshops oferecidos por outros professores da Metodista sobre capoeira, diversidade, arte e design brasileiros. Para uma experiência ainda mais completa, as estudantes realizaram atividades de job shadowing, que consiste em acompanhar profissionais durante um período de tempo para compreender suas atividades e as particularidades da área no país.

Estudantes de Inglês, por exemplo, acompanharam aulas do Colégio Metodista para ver o comportamento de professores e alunos em sala de aula e estudantes de Design conferiram de perto o trabalho da Agência Experimental de Comunicação da Metodista (Agicom) que conta com uma estrutura completa e várias áreas da comunicação dentro do mesmo espaço.

Segundo Julie, a ideia de vir para o Brasil surgiu por vários motivos. A instituição buscava um país desenvolvido, onde alunos de diversas áreas teriam acesso a conhecimentos específicos de Comunicação, Educação, Saúde, Engenharias e Teologia. Além disso, era importante oferecer aos estudantes uma cultura diferente, mas que não fosse um choque cultural muito grande. Assim, representantes da Roberts estiveram na Metodista em 2015 para conhecer a infraestrutura e iniciar o planejamento das atividades realizadas em 2017. 

Amy Kovach, diretora do Global Honors Program da Roberts, se diz animada com a viagem e com o aprendizado que as estudantes estão adquirindo. “Essa é uma viagem teste, por isso trouxemos apenas quatro estudantes, mas já estamos planejando uma nova viagem para maio de 2018 com 26 alunos de nossa faculdade e uma outra em 2019 com pelo menos 30”, declara.

O estudante de tradução, Thiago Peregrino de Brito, acompanhou as visitantes em alguns passeios por São Bernardo e fala que está aprendendo muito nessa experiência: “estou gostando demais, nunca tinha tido esse contato com estrangeiros. Conversamos bastante, elas estão aprendendo rápido e estou aprendendo sobre sua cultura e idioma também”.

Visita à Represa Billings

A viagem contemplou, ainda, uma experiência bem diferente para os estudantes: uma visita à Mata Atlântica acompanhada pela professora Waverli Neuberger, coordenadora do Centro de Sustentabilidade e do curso de Tecnologia em Gestão Ambiental. A visita à Represa Billings teve o objetivo de aprofundar o conhecimento sobre o clima, a natureza e os processos sustentáveis do País. Mesmo sob chuva forte e presas no pesqueiro porque a queda de uma árvore atrasou a saída do local, o grupo não desanimou e aproveitou cada minuto para fazer perguntas e descobrir mais sobre o Brasil. 

Após um almoço com peixe, carnes e polenta frita, Stephanie Piper, Amy, Julie, Anna Stitt, Martha Smith e Kirsten Liddle retornaram para a Metodista para sua última atividade na Instituição, um workshop sobre Diversidade Cultural Brasileira com a professora Waverli. Antes de ir embora do Brasil, o grupo vai visitar ainda Foz do Iguaçu, no Paraná.

Stephanie, de 19 anos, estuda Design Gráfico na Roberts e estava tirando fotos do grupo. Para ela, ficar na casa de uma família foi ótimo, pois pode observar as diferenças culturais e está achando tudo muito divertido. Fora dos Estados Unidos, só conhecia o Canadá e diz que praticamente não conta, pois é bem parecido com sua cidade. "Eu não quero ir! Quero ficar morando aqui!", declara entusiasmada. 

Ela participou do job shadowing na Agicom e diz que foi muito interessante ver como os alunos aprendem Design aqui no Brasil. "Falamos sobre os processos criativos diferentes, diferenças entre os professores e as coisas que fazemos. A Metodista é muito maior do que a Universidade onde estudamos e tem mais programas de estágio, também é diferente porque aqui os alunos focam em alguns assuntos e lá aprendemos coisas mais amplas", relata.

Para saber mais sobre a experiência das alunas estrangeiras, visite o blog da Roberts (em inglês).

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: , , , , , , , , , , , , ,