Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / RPCOM / Mundo Corporativo / A contribuição da Meritocracia no cenário organizacional

A contribuição da Meritocracia no cenário organizacional

Como uma boa gestão tem auxiliado na governança corporativa

08/10/2015 23h39

Rodrigo Toledo, Coordenador de Administração de Pessoal e Benefícios da TAM Linhas Aéreas. Foto: Arquivo pessoal

Débora Mioto
Débora Paolucci

A meritocracia é um conceito que vem sendo muito utilizado nas organizações atualmente, pois ela visa reconhecer os colaboradores através de atributos e competências e não por outros meios, como por exemplo, a senioridade. Essa forma de reconhecimento é muito importante, pois faz com que os funcionários busquem aperfeiçoamento em sua carreira através de seu próprio trabalho e eficiência.

No Brasil, o processo meritocrático surgiu com a intenção de preencher cargos públicos, sem deixar que critérios como o nepotismo influenciassem no preenchimento das vagas.

Grandes empresas já aderiram à meritocracia e, de acordo com Rodrigo Toledo, Coordenador de Administração de Pessoal e Beneficios da TAM Linhas Aéreas, “esse método é uma forma de avaliar como e quanto cada profissional tem feito no seu dia a dia que o destaque frente aos seus pares, trazendo melhorias e novas ideias para a rotina da empresa, não somente o esperado/acordado em seu contrato”.

É importante ressaltar que o reconhecimento não vem somente através de um aumento salarial, mas também por meio do plano de carreira, trabalho flexível e até mesmo por prêmios simbólicos, como uma folga concedida.

Para Rodrigo, as melhores formas de um gestor estimular seus funcionários a buscarem reconhecimento através da meritocracia é “propor metas factíveis, que busquem desafiá-los em sua rotina com propostas de melhorias e ganhos; realizar feedbacks constantes e imediatos assim que perceber algo que possa destoar do esperado, orientando a melhor forma esperada de seu trabalho e acompanhá-lo em seu PDI (Plano de Desenvolvimento Individual), definindo prazos e rotas para alcançar os objetivos traçados, auxiliando-o a entender que além de desenvolvimento isto também trará destaque em sua equipe, visto que está buscando algo diferente em sua carreira”.

É interessante destacar também, que a meritocracia precisa ser um sistema que esteja enraizado nos valores da empresa e deve ser tratado com seriedade e organização pelos gestores, para que não seja apenas um mero discurso a fim de mascarar privilégios.

Para Rodrigo, “a organização deve deixar clara uma só cultura/política para todos e o gestor tem o papel de reforçar isto e trabalhar na melhor forma para que sua equipe seja diferente e que os melhores profissionais estejam preparados para os desafios esperados, sendo reconhecidos por tal desempenho”.

Desta forma, nota-se que a meritocracia contribui para um maior foco nas relações profissionais, ajudando a estimular discursos e melhorias em questões como governança corporativa e a redução do preconceito no ambiente de trabalho.  Porém, levando em consideração todos os aspectos que envolvem o processo meritocrático, percebe-se que ele ainda está em evolução e exige prudência para que o funcionário se sinta reconhecido e valorizado pelos seus bons resultados.

Comunicar erros