Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2013 / Janeiro / Escolha engajada

Escolha engajada

01/2013

13/03/2013 16h47

Foto: Divulgação

As redes sociais se consolidam como um fator essencial para um aumento da participação política no mundo atual


Doutor em Ciências da Religião na área “Religião, Sociedade e Cultura” e
bacharel em Teologia, o professor Oswaldo de Oliveira Junior é coordenador do Núcleo de Formação Cidadã da Universidade Metodista de São Paulo. Com experiência nas áreas de cidadania, urbanização e movimentos populares, o professor acredita que o voto só tem valor real somente com o engajamento pleno da sociedade com a política.

Espaço Cidadania: Qual é a importância do voto para o cidadão?
Oswaldo de Oliveira: Votar é parte do processo de construção da cidadania, contudo não é o único instrumento. A cidadania não se inicia e nem se encerra com o voto. Através da urna é possível que o cidadão expresse sua vontade desde que outros direitos estejam plenamente garantidos, como educação, participação política, democracia e liberdade de opinião.

Espaço Cidadania: Como você acha que a população poderia se envolver melhor com as eleições?

Oswaldo de Oliveira: A eleição é um momento, é parte de um longo processo político e social. O envolvimento isolado da população com o “evento” eleição não contribui efetivamente para a ampliação da cidadania. Acredito que a participação ocorre no processo muito anterior e posterior às eleições, acompanhando e participando dos movimentos sociais dos processos políticos e econômicos.

Espaço Cidadania: Levando em consideração o envolvimento dos candi datos e dos eleitores com a internet, como o senhor vê a utilização das redes sociais nas eleições?
Oswaldo de Oliveira: Vejo as redes sociais como instrumentos importantes de comunicação e com um forte potencial de democratização da informação, fator essencial para que ocorra uma maior participação política e consequentemente o alargamento da cidadania. Contudo, é preciso ter cautela, pois ao mesmo tempo em que existe esta potencialidade “democrática”, notamos uma concentração da informação, o que impede uma pluralidade de ideias e opiniões, algo prejudicial à cidadania. Encontramos bons exemplos do uso das redes sociais em ações como o “Occupy Wall Street” e a “Primavera Árabe”. Estas mobilizações simultâneas em todo o globo utilizaram as redes sociais como forma de comunicação e articulação e têm em comum o fato de identificarem que na fase atual de mundialização do capital há um processo crescente de destruição dos direitos mais fundamentais das pessoas: saúde, educação, moradia e trabalho, em decorrência da intensificação da exploração do trabalho, gerando um distanciamento, também crescente, da relação dos indivíduos com os valores essenciais da vida em sociedade.

Espaço Cidadania: Qual é a relação entre eleições e cidadania?
Oswaldo de Oliveira: As eleições podem ser consideradas parte do processo de conquistas da cidadania. Votar é um direito da pessoa. O processo eleitoral precisa ser estendido e vivido para além do ato de votar e todo o debate político que antecede a eleição é necessário para que os direitos do cidadão sejam ampliados. É neste debate que as contradições presentes na sociedade virão à tona. O voto não encerra a participação do cidadão a cidadania é construída com a participação e o debate coletivo sempre.

Comunicar erros


Portlet de conteudo estático
Portlet de conteudo estático
Portlet de conteudo estático
Portlet de conteudo estático