Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Pós Graduação e Pesquisa / Notícias / Representantes da Academia de Polícia Militar do Barro Branco visitam Metodista

Representantes da Academia de Polícia Militar do Barro Branco visitam Metodista

Oficiais conversaram sobre a abertura de um Escritório de Apoio à Pesquisa na Academia

20/02/2017 16h40 - última modificação 20/02/2017 16h43

Soldado Nobre, Major Mecca, Tenente-coronel Mills, Manuel Morgado Rezende e Andreia Ferreira da Luz Catto

Os representantes da Academia de Polícia Militar do Barro Branco, Tenente-coronel Mills, Major Mecca e Soldado Nobre visitaram o Escritório de Apoio à Pesquisa (EAP) da Universidade Metodista de São Paulo nesta segunda-feira (20). Em reunião com o professor Manuel Morgado Rezende, coordenador do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) da Metodista, discutiram a criação de um Escritório de Apoio à Pesquisa dentro da Academia do Barro Branco.

Essa é a segunda visita de representantes da corporação à Metodista, a primeira aconteceu em 2015. Os oficiais buscam informações sobre como ampliar o alcance do saber científico produzido na academia a outras esferas da sociedade. “A Academia está muito voltada para si própria, ela precisa ser um foco de transmissão de conhecimento na área de segurança pública. Temos que ter uma área de pesquisa porque senão quem estará falando sobre segurança pública não somos nós”, diz Mills.

A intenção é seguir os passos da Metodista que abriu o EAP e estimular a pesquisa por meio de programas de iniciação científica. "Na academia, temos vários grêmios de inteligência e um pessoal que faz pesquisa interna. Acaba ficando na nossa comunidade e a gente precisa formalizar e fazer isso com o pessoas de fora, com outras instituições de ensino e universidades", completa o Major Mecca.

barro_brancoPara isso, o professor Rezende explica que é necessário definir um projeto de pesquisa junto a um professor doutor, criar um grupo de pesquisa e realizar treinamento e credenciamento junto à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo. "Tudo vai partir dessa linha de pesquisa e desses grupos que movem todos os processos do Escritório e dos programas de iniciação", explica.

Andreia Ferreira da Luz Catto, auxiliar de coordenação do EAP da Metodista, esclareceu aos oficiais como é o funcionamento diário do Escritório, como foi o processo de treinamento, quais são os requisitos necessários e demais processos de desenvolvimento do projeto para a criação do Escritório.

Escritório de Apoio à Pesquisa da Metodista

Criado em 2014, o Escritório de Apoio à Pesquisa (EAP) da Metodista tem por objetivo auxiliar o(a) pesquisador(a) na preparação, submissão, acompanhamento e prestação de contas de projetos contemplados pelas diversas agências de fomento, em especial, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). O EAP tira das mãos do pesquisador o trabalho burocrático e facilita os processos para a graduação e pós-graduação.

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: , , , ,