Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Gestão de cidades / Publicações / Boletim / Boletim nº 10 / Entrevista: Massimo Bianchi

Entrevista: Massimo Bianchi

“A tecnologia ajuda os cidadãos no controle da gestão” Após a palestra, encontramos o professor Massimo Bianchi. Durante o café, pedimos para ele detalhar aspectos sobre a gestão de cidades, especialmente sobre o projeto que está sendo desenvolvido na cidade de Rimini, na Itália. A seguir, trechos da entrevista.

O senhor acha possível criar novas perspectivas no governo do Brasil em relação à gestão de cidades?

"Eu não posso dizer porque não conheço a situação brasileira em relação a isso. Conheço apenas no geral. Mas eu acredito que a tecnologia pode ajudar bastante o cidadão, sobretudo dizendo-lhe quais são os instrumentos que podem controlar a operação da administração."

Qual é o envolvimento dos italianos no controle de gestão?

"Em nosso país a reforma prevê se há uma participação dos cidadãos no controle de gestão. Porém, prevemos também a administração pública de algumas informações para o cidadão sobre as atividades que estamos regendo. Além disso, observamos também as informações que estão em rede."

Qual é o processo de elaboração das faces da organização?

"Os instrumentos que nós usamos, na Itália, são: do ponto de vista econômico-financeiro é o de previsão e, do ponto de vista organizativo, é o plano executivo de gestão. O plano executivo de gestão é na análise dos objetivos e de recursos, assim como mostrei no curso do seminário."

Falando de mídia, qual é a repercussão que o senhor espera no campo da Internet?

"Eu acredito que nós não usamos todas as possibilidades que a Internet nos oferece. Quando nós usamos o computador usamos apenas uma parte das possibilidades. Eu acredito que falando de mídia em geral, posso dar uma ajuda. Eu não tive muito tempo para intervir, mas um dos slides era uma página do google, mostrando que o cidadão pode visitar essa página para obter as informações que deseja ou para saber em que ponto nos encontramos em certos assuntos."

Por que Rimini foi a cidade escolhida para o projeto de gestão?

"Rimini não foi escolhida pela sua economia, mas sim pela sua qualidade de vida. Serviço público, baixa taxa de criminalidade, iniciativa para os jovens, número de empresas crescentes, são alguns itens que resultam no bem-estar dos cidadãos. "

O que confere valor ao território?

"O valor do território na sociedade da informação é a informação que se tem sobre território. No material que vocês viram, eu mostrei que nos sites nós encontramos informações que não servem muito. Se diz somente onde comer ou onde dormir etc. Nós precisamos de informações do tipo: quais são as possibilidades de a empresa se inserir? Qual é a disponibilidade dos profissionais? Que profissões são disponíveis em Rimini? Devo pedir uma licença ou adiar uma atividade? A quem devo recorrer? E estas informações não são dadas. O valor das coisas depende das informações que temos sobre elas. A informação é a chave de tudo."

O que o senhor espera do projeto da cidade de Rimini?

"Nós, a cidade e a faculdade, estamos fazendo um projeto que se chama “Pianext” para entrosar Rimini, que é uma cidade com grande potencial, com todas as cidades pequenas que a rodeiam. Essas pequenas cidades mantêm um diálogo entre os cidadãos e a administração por terem poucos habitantes. Porém, faltam serviços e não há muitos recursos dificultando o desenvolvimento."

(Abril Ailin Esper e Marina van de Kamp Fonseca)

Comunicar erros