Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Gestão de cidades / Publicações / Boletim / Boletim nº 08 / GT Ação Cultural discute fundamentos

GT Ação Cultural discute fundamentos

O grupo de pessoas que se reuniu em torno do tema Ação Cultural foi muito expressivo e diversificado. Dele fazem parte artistas, assessores e analistas de cultura, pesquisadores, educadores. Cada qual trazendo para o coletivo uma série de inquietações e sugestões que foram sendo partilhadas nas reuniões presenciais, com o apoio de e-mails e de um espaço virtual, timidamente incorporado.

A partir do primeiro encontro, ocorrido no seminário de novembro, o grupo começou a levantar as questões conceituais e metodológicas a serem aprofundadas com apoio de textos relacionados ao campo da cultura e a elaboração de indicadores. O grupo também, bastante interessado em desenhar um processo de trabalho que contemplasse as preocupações e visões expressas neste coletivo, buscou ter claro - para si mesmo - os objetivos estabelecidos e buscou visualizar uma panorama do problema.

Uma mobilização inicial foi esclarecer as potencialidades e os limites, os conceitos e as diferentes compreensões sobre o que são indicadores, principalmente considerando os aspectos intangíveis da cultura. Outra importante compreensão - ainda na primeira reunião do grupo - foi a de que a riqueza estaria em não adotar simplesmente um ou outro autor, mas em estabelecer um diálogo entre o grupo e os autores, no qual fosse possível incorporar as reflexões acumuladas, experiências vividas, perspectivas e desejos observados.

Ao longo dos encontros presenciais que se seguiram, 04 até o momento, foram apresentadas outras experiências de pesquisa no campo da cultura e foram trocados textos. Para leitura de todos, discussão em sub-grupos e debate geral no GT foram escolhidos os seguintes: "Que somos?" de Celso Furtado e "Indicadores para o Diálogo" Jorge Kayano e Eduardo Caldas, publicado pelo Polis. O debate sobre os textos indicou os pontos comuns que devem ser aprofundados envolvendo conceitos de pluralidade cultural, história da comunidade; a importância de considerar o processo e não apenas um momento isolado. O grupo tem discutido considerando uma dupla dimensão do processo: a elaboração, implantação e avaliação de políticas públicas e as práticas culturais vivenciadas na comunidade, incorporando a vida vivida e a significação no campo do imaginário.

O interesse é a construir uma metodologia de pesquisa de alcance amplo, envolvendo a articulação de dados concretos e quantitativos e o estabelecimento de um corte ideológico - valores, fundamentos, visão de mundo - com um recorte a ser construído a partir da pesquisa teórica e do debate coletivo. O resultado desse trabalho pode se constituir em uma pesquisa experimental a ser aplicada num campo específico de políticas públicas de cultura na região. Esta pesquisa re-alimentará o processo de reflexão, pois o grupo entende que os indicadores não são estanques e devem estar sempre em releitura.

Comunicar erros