Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Gestão de cidades / Publicações / Artigos / Caminhos para as novas exigências do setor público

Caminhos para as novas exigências do setor público

Proposta para uma escola de desenvolvimento para os servidores municipais.

As Escolas de Desenvolvimento dos Servidores Municipais são locais para o exercício educativo na gestão pública e para o treinamento das pessoas para as funções administrativas. Para a criação dessa escola poderia ocorrer uma articulação entre os municípios da região como forma de enriquecer a troca de experiência e diminuir a quantidade de recursos gastos.

Faltando três meses para as eleições municipais, o debate o desafio e a exigência colocada aos novos prefeitos e mandatos serão grandiosos. Faltam recursos financeiros, mas restam exigências dos setores sociais e econômicas para uma boa administração. A gestão está compreendida, nesse breve artigo, em seus mais diversos âmbitos de atuação em prol ao cumprimento do interesse público.

Os tempos são novos. Desenvolvido, principalmente a partir das experiências de defesa do consumidor e do meio ambiente, o cidadão agora quer falar, quer participar, quer escolher. Com isso a administração pública deixa de ser a tutora exclusiva dos “interesses” públicos a quem o “interesse” privado deve se curvar. É necessário agora gerir em conjunto ouvindo conselhos municipais, associações de classe, organizações não governamentais, ou seja, as mais diversas e legítimas formas da participação cidadã.

Muito mais do que transparência e honestidade, sempre exigido pelos cidadãos, existe a necessidade de um serviço público de qualidade. Para a determinação dessa qualidade dentro de uma gestão pública é necessário ouvir, por meio de estratégias participativas, o que e como os cidadãos desejam.

Com esses desafios (participação social e qualidade) muito mais do que estar armado por conceitos ideológicos “infalíveis” e “exatos”, vale a experiência de quem vive os problemas diários e a realidade que transpõe os mandatos: os servidores públicos.

Por outro lado, ao servidor público é necessário criar laços de compromisso e parceria com o governo eleito para cumprir sua função social com destaque e mérito. Sua postura passa a ser o de conhecer os objetivos e metas da administração pública e de produzir atividades eficientes, no sentido de que os resultados devam ser alcançados com os menores custos dos econômicos aos ambientais. Os servidores passam a ser um laço essencial entre a administração e o cidadão. Desaparece a figura do “servidor passivo” e surge a do “servidor ativo”, que conhece todas as suas atividades e procura manter os padrões de qualidade que são compartilhados.

Nesses novos tempos aumentam as exigências de formação técnica e profissional do servidor público. Além disso, exigem-se novas posturas, atitudes e habilidades perante o trabalho e, conseqüentemente ao cidadão. Assim, o funcionário da coletividade deve procurar a cada dia instrumentais necessários para aprimorar suas habilidades e conhecimentos.

Cabe aos governantes valorizar aos servidores, respeitando seu histórico e proporcionando condições para que estes ampliem constantemente seus conhecimentos. As Escolas de Desenvolvimento dos Servidores Municipais podem, aliando a relação entre governantes e servidores, ser instrumento para a colaboração em prol de uma finalidade comum: servir a sociedade com qualidade e eficácia.

*Anderson Rafael Nascimento é membro da Cátedra Prefeito Celso Daniel de Gestão de Cidades da Universidade Metodista de São Paulo e professor da Faculdade de Ciências Administrativas

Comunicar erros