Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Gestão de cidades / Notícias / Seminário marca nova fase da economia solidária

Seminário marca nova fase da economia solidária

14/05/2009 11h57 - última modificação 21/05/2009 12h20

Um seminário nacional, realizado pelo Ministério do Trabalho e Emprego, por meio da Secretaria Nacional de Economia Solidária, começou nesta quarta-feira (29/04) em Diadema e se estende até esta quinta-feira (30/04). O seminário traz o nome de "Formação para Gestores de Políticas Públicas em Economia Solidária".

“É uma honra receber um evento desta natureza no município. É o reconhecimento de incentivos e atenção que damos a esse tipo de economia, acreditando que este é o futuro da economia mundial”, afirmou o prefeito de Diadema, Mario Reali (PT). Ao longo das discussões que acontecerão durante o evento, gestores, jovens empreendedores e convidados especiais discorreram sobre a importância da economia solidária e seus próximos passos dentro do contexto mundial.

“Acredito que, assim como o muro de Berlim marcou uma nova forma de economia mundial que visava o poder do mercado, hoje vivemos a queda do muro da Wall Street, e isso significa que o governo deve se organizar para aguentar a crise, e segurar o mercado da melhor forma possível”, acrescentou o prefeito.

Entre as autoridades que participaram da mesa de debates, o presidente da Unisol Brasil - Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários, Arildo Mota Lopes, também destacou a importância do papel do governo no fomento da forma de administração. “Precisamos pressionar o governo para que haja mais marcos regulatórios, para que o poder público crie mais regras e proteja mais a economia solidária. Escolher Diadema como sede é um incentivo, visto que a cidade já possui duas leis municipais para fomento da prática”, afirmou.

O secretário de Desenvolvimento Econômico e Trabalho de Diadema, Luis Paulo Bresciani, lembrou ainda das vantagens das discussões dentro da cidade. “Essa troca de figurinhas é muito importante. Em Diadema temos iniciativas como o Dia da Tapioca, a Coopersocialista (padaria artesanal) e o Projeto Artesanato que, juntos, geram renda para mais de 100 moradores da cidade”, disse.

O seminário, que está acontecendo na Fundação Florestan Fernandes, reuniu, nas primeiras mesas de debate, 200 gestores públicos que trocaram experiências e estreitaram laços de comunicação. “Esse é o momento de conhecer iniciativas que deram certo, mostrar o que temos de forças e fraquezas e consolidar essa vertente ainda tão nova de economia”, afirmou Bresciani.

Comunicar erros