Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Gestão de cidades / Notícias / Mesa-redonda debate desafios da metodologia NEPSO na região

Mesa-redonda debate desafios da metodologia NEPSO na região

17/09/2009

17/09/2009 18h13

As pesquisadoras da Cátedra Gestão de Cidades Dagmar Silva P. de Castro, Cristiane Gandolfi e Sibelly Resch irão participar junto a Thais Bernardes da Ação Educativa e as escolas EM Cora Coralina e EMEJA Clarice Lispector da mesa-redonda “Desafios na implementação da experiência com a Metodologia NEPSO no Grande ABC” no Congresso Metodista.

A atividade faz parte do XII Congresso Metodista que será realizado entre os dias 27 e 29 de outubro.

Para a professora Dagmar Silva P. de Castro é preciso analisar os desafios para a sistematização da experiência do projeto “Um novo direito à cidade: Políticas Públicas Integradas” financiado pela FAPESP: “Os enfrentamentos para a aplicação da metodologia NEPSO nas escolas implicam em nova relação de saber-poder entre alunos e professores e uma reconfiguração do espaço escolar”.

O projeto é realizado pela Cátedra em parceria com a Ação Educativa e a Secretaria de Educação de Mauá e propõe pesquisa para construir conhecimentos em relação aos processos de planejamento e monitoramento das Políticas Públicas Integradas, a partir das experiências educacionais e culturais, com base na história concreta de homens, mulheres, crianças e jovens da cidade de Mauá.

O programa NEPSO – Nossa Escola Pesquisa Sua Opinião foi construído em parceria pela Ação Educativa e Instituto Paulo Montenegro. Consiste na proposta de uso da pesquisa de opinião como instrumento pedagógico, em escolas públicas de ensino fundamental e médio e educação de jovens e adultos. A metodologia propõe o desenvolvimento de projetos de pesquisa de opinião, propiciando aprendizagens significativas que vêm ao encontro das orientações curriculares do MEC para a educação.

No debate será apresentado um diálogo dos atores focando os enfrentamentos à sistematização, desafios metodológicos e resultados parciais da fase II da pesquisa.

Comunicar erros