Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Gestão de cidades / Notícias / 2ª Jornada Cidadã quer promover transformações na região

2ª Jornada Cidadã quer promover transformações na região

14/05/2009 11h57 - última modificação 21/05/2009 12h20

A criação de um fórum permanente que acompanhe as questões regionais promete ser a grande discussão da 2ª Jornada da Cidadania, evento promovido pelo jornal ABCD MAIOR e que será realizado no próximo dia 15 de novembro, no Senai Prefeito Saladino, em Santo André.

De acordo com o coordenador do evento e diretor do jornal ABCD MAIOR, Celso Horta, a Jornada vai além do acompanhamento dos temas discutidos e possibilita a transformação da pessoa em cidadão. “A Jornada já mostrou sua importância logo na primeira edição e conseguiu dar continuidade ao Fórum de Cultura do ABC. Também colaborou para a discussão e aprovação da Lei Específica da Billings.”
A professora Sílvia Helena Passareli destaca que a Jornada é uma oportunidade de troca de informações sobre a região. “Vou apresentar um estudo sobre os patrimônios culturais da região em parceria com o Consórcio Intermunicipal do ABC.”

O assessor especial da chefia de gabinete da Prefeitura de Santo André, Carlos Augusto Santos, afirma que a Jornada tem a intenção de deixar uma semente.

O diretor-executivo do Consórcio Intermunicipal do ABC, Márcio Chaves, destaca que todas as ações nas quais se busca a informação e a troca de experiência entre os participantes são válidas.
O ambientalista Virgílio Alcides de Faria afirma que a Jornada da Cidadania é o momento de as pessoas tornarem-se cidadãs.

“Aprendendo a pensar vamos nos tornar cidadãos, com direitos e deveres, mas vamos buscar o que queremos, deixando de ser apenas gado, que é levado para qualquer lugar sem discutir.”

Meio ambiente - Mais do que discutir, a 2ª Jornada da Cidadania é momento de ensinar, de trocar idéias e experiências. E como o meio ambiente é uma das grandes preocupações do momento, as ações ligadas à área terão destaque.

Uma delas é a Casa Mateus. A coordenadora pedagógica da entidade, Lígia Oliveira Cruz, destaca que no local, jovens recebem orientação sobre coleta seletiva por meio de cooperativas que fazem o trabalho. “Os resultados são excelentes.”

A coordenadora de projetos da Associação Estrela Azul, Maria Helena Martins, afirma que a importância da educação ambiental é sentida até nas redações. “Fizemos um com o tema: ‘Se eu fosse o prefeito’. Teve criança que afirmou que iria recolher todo o lixo dos rios, mas iria atrás de quem jogou para multá-lo”, destaca Maria Helena.

Educação - Ensinar não basta. É necessário ter uma educação de qualidade, voltada para as necessidades atuais. O Camp de São Bernardo é um exemplo de estar à frente das necessidades. O jornalista e coordenador da entidade, Loly Siqueira, destaca que os jovens precisam ser levados a pensar, a gostar da educação. “Não adianta ensinar as disciplinas do modo tradicional, é preciso trabalhar as diferenças”, diz Siqueira. Para o coordenador, se o aluno não consegue aprender o sistema, está errado. “Trabalho com teatro, jornal e projetos que fazem o aluno participar, ser parte integrante, e os resultados são surpreendentes.” A função do jornalista no Camp é ajudar justamente os alunos considerados ‘problemas’, mas que por meio de uma educação diferenciada, conseguiram se superar e atingir as metas desejáveis.

Comunicar erros