Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Núcleo de Formação Cidadã / Notícias / Grupo de alunos visita Memorial da Resistência com monitoria em inglês

Grupo de alunos visita Memorial da Resistência com monitoria em inglês

Visita fez parte da disciplina eletiva Music and Citizenship: A Global Approach, do Núcleo de Formação Cidadã

01/04/2015 15h15 - última modificação 01/04/2015 16h48

Eletiva alia questões de ética e cidadania com a língua inglesa. Foto: Divulgação

Em meio às discussões políticas que o País tem vivido ultimamente, com protestos reunindo milhares de pessoas nas ruas, algumas pedindo a volta da Ditadura Militar, um grupo de alunos da Universidade Metodista de São Paulo teve a oportunidade de ir mais a fundo e conhecer um pouco dessa história, por meio de uma visita ao Memorial da Resistência de São Paulo.

O Memorial da Resistência foi criado onde funcionava o Departamento Estadual de Ordem Política e Social de São Paulo – Deops/SP, que foi um dos principais centros de repressão e tortura na época da Ditadura Militar. Mas não foi uma visita qualquer: a monitoria foi toda feita em inglês, como parte da disciplina eletiva Music and Citizenship: A Global Approach, do Núcleo de Formação Cidadã (NFC). A eletiva busca aliar as questões de ética e cidadania que já fazem parte do NFC com a possibilidade dos alunos terem maior contato com a língua inglesa.

Mariana Pezzo Lustro, 22, aluna do 7º semestre de Comércio Exterior achou a visita interessante. “Nos faz conhecer um pouco mais sobre a História do nosso país além do que está nos livros. E a fortalecer e continuar batalhando pelos nossos direitos. Nos aguça a fome de estudar mais política, já que no Brasil não temos esse costume e por isso essa bagunça nesse país lindo mas mal administrado”, acredita Mariana, que ficou sabendo do Memorial a partir do convite da Metodista.

Sobre o fato da monitoria ter sido feita em inglês, Mariana achou a iniciativa “maravilhosa. Foi muito bom para treinarmos, mesmo quem não entendeu tudo pode se familiarizar com outra língua e por ser uma monitoria diferente não ficou monótona”.

Gisele Alves da Silva, 18, do 3º semestre de Comércio Exterior, está achando a disciplina eletiva “ótima. Mesmo não sabendo falar inglês, a maneira que o professor fala e explica fica muito claro e é possível entender bem. Sem contar que o professor sempre nos traz alguém diferente para falar de determinado assunto que está extremamente relacionado ao nosso cotidiano e que não percebemos, e isso de uma maneira bem cativante”.

Ketline Moreira Martins, 18, que também cursa o 3º semestre de Comércio Exterior, achou a visita “maravilhosa, apesar da história triste que o lugar trás, foi um aprendizado que agrega a nosso história de vida”. Ketline achou a monitoria em inglês “magnífica”, e acredita que mais cursos deveriam ter essa interação com outros idiomas. “Além de ser um incentivo a praticar o idioma de outro país, temos a oportunidade de ampliar nossos horizontes, nos darmos espaço para conhecer coisas que fogem da nossa zona de conforto.”

Ketline também acha que a disciplina eletiva irá contribuir para sua formação e inserção no mercado de trabalho. “Hoje ter outro idioma no mercado é essencial, pois o profissional que está cursando ou se formando tem grandes chances de crescer no exterior”, afirma a aluna, que aproveita para deixar um recado: “Quem não está fazendo este tipo de eletiva está perdendo uma oportunidade enorme de ser diferente, tanto como profissional como pessoal. Juntar: história, música e inglês (outra cultura) é algo que não se encontra em todo lugar”.

Esta matéria foi publicada no Jornal da Metodista.
Conheça Outras.

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: , , ,