Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Pós Graduação e Pesquisa / PIBIC / Projetos aprovados / 2009/2010 / Intolerância Religiosa: máscara de uma religião de poder

Intolerância Religiosa: máscara de uma religião de poder

Intolerância é uma dimensão da vida em sociedade encontrada nos mais diversos âmbitos, seja ele econômico, político, cultural, religioso. Ela é expressa de variadas maneiras, todas relacionadas a formas de violência, desde confrontos ideológicos a terríveis confrontos bélicos. Esta pesquisa restringe-se às formas de intolerância que permeiam o campo religioso e, diante das múltiplas possibilidades de abordagem do tema, busca entender particularmente como elas estão intimamente ligadas ao desejo de poder e dominação do ser humano. Para isso, a partir do contexto brasileiro, tenta-se recuperar algumas das diversas memórias de intolerância e desrespeito que marcaram nossa História, buscando entender como o cristianismo foi e tem sido utilizado para legitimar estas atitudes autoritárias e violentas, ou seja, as intolerâncias com as diferenças que refletem na verdade o desejo de dominação e as disputas de poder. Assim, propõe-se uma reflexão final que traga luz a esta contradição entre os discursos intolerantes e opressores em contraposição com a mensagem pacificadora e de serviço de Jesus.





Considerações acerca da ausência da ética no âmbito sócio-econômico brasileiro a partir do pensamento de Amartya Sem

O projeto de pesquisa a ser elaborado com o apoio do programa de incentivo a pesquisa PIBIC/UMESP, tem como proposta apriorística analisar filosoficamente o afastamento da ética no campo sócio-econômico brasileiro, sobre a ótica do pensador indiano Amartya Kumar Sen (1933-). Dentro desta perspectiva abordaremos temas como a pobreza, falta de liberdade, exclusão social, fome, entre tantas outras mazelas que se encontram diretamente vinculadas às condições de estados de bem estar de todos os indivíduos da sociedade aqui em questão.

Para realização deste projeto decidimos seccionar sua elaboração em três partes distintas. O passo inicial será fazer uma análise conceitual sobre a ética aristotélica, passando posteriormente a um exame crítico de dados estatísticos sobre a real situação econômica nacional e culminando por fim no estudo aprofundado das teses senianas. Nosso intuito é de fazer um compilado de todo este processo a fim de compor o artigo final por hora intitulado: Considerações acerca da ausência da ética no âmbito sócio-econômico brasileiro a partir do pensamento de Amartya Sen.

Como já fora adiantado, o objetivo principal desta pesquisa é fazer uma análise crítica de conceitos éticos que há muito não são observados dentro do âmbito sócio-econômico nacional, além de apresentar à comunidade acadêmica as idéias de um pensador ainda pouco estudado em nossas universidades, mas cujos esforços realizados em prol de uma sociedade mais justa e livre surgem como uma alternativa plausível ao modelo das políticas sociais vigentes. Pois entendemos que o atual cenário de recessão econômica mundial cria uma atmosfera perfeita para o debate deste tema, já que diz respeito a todos que compõem aquilo que foi denominado pelo filósofo suíço Jean Jacques Rousseau (1712-1778) como contrato social.

Como o primeiro passo deste projeto está focado no estudo sobre o tema da ética, optamos por apresentar o conceito clássico desenvolvido pelo filósofo grego Aristóteles (384-322 a.C.) como referencial, já que segundo próprio A. Sen a tradição ligada à ética remonta no mínimo ao estagirita, além do mais, poderemos verificar ao longo do processo de desenvolvimento deste trabalho que a própria gênese deste conceito encontra-se fundida aos ideais senianos.


Comunicar erros