Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Pós Graduação e Pesquisa / PIBIC / Projetos aprovados / 2009/2010 / Impacto sobre a prole do consumo de dietilpropiona e femproporex por suas mães durante o período de lactação

Impacto sobre a prole do consumo de dietilpropiona e femproporex por suas mães durante o período de lactação

A importância da amamentação, cada vez mais, tem sido comprovada através de inúmeras pesquisas nas quais se mostra o efeito protetor do leite materno contra a mortalidade e morbidade infantil. Além de suas funções nutricionais e imunoprotetoras o leite materno é extremamente importante para o desenvolvimento adequado do sistema nervoso central. Muitas substâncias podem chegar ao lactente através do leite materno. As anfetaminas são anorexígenos com grande utilização para o tratamento da obesidade, apesar de possuírem um elevado potencial para dependência. O Brasil é o maior consumidor mundial de substâncias anorexígenas, sendo a dietilpropiona e o femproporex as drogas mais utilizadas. As conseqüências do uso de anfetaminas e correlatos durante a gestação já estão relativamente bem caracterizadas. Entretanto, as conseqüências do consumo dessas drogas durante o período da lactação recebem atenção muito menor por parte da comunidade científica. Os estudos que visem determinar as conseqüências para a prole do consumo de etanol pelas mães durante o período de lactação são de grande importância, principalmente, pois, poucos estudos estão disponíveis a esse respeito, especialmente em se tratando de dietilpropiona e femproporex, para os quais não há estudos utilizando essa abordagem. Mais raros ainda, são os trabalhos que visam determinar possíveis conseqüências do consumo de anorexígenos durante a lactação sobre a prole quando os animais atingem a idade adulta. Dessa forma, é nosso objetivo analisar qual o impacto sobre a prole do consumo de dietilpropiona e femproporex por suas mães durante o período de lactação. Pretendemos analisar os efeitos sobre o desenvolvimento físico e reflexológico da prole, bem como possíveis alterações de seu comportamento (atividade motora, ansiedade e memória de habituação).

Comunicar erros