Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Pós Graduação e Pesquisa / PIBIC / Projetos aprovados / 2007/2008 / Estudo da ação do veneno bruto do escorpião Tityus bahiensis sobre aorta isolada de rato

Estudo da ação do veneno bruto do escorpião Tityus bahiensis sobre aorta isolada de rato

Aluna: Rubya Amélia Rossetti

As toxinas presentes nos venenos de escorpião atuam, de modo geral, ativando canais de NA+ ou bloqueando os canais de K+, levando a um aumento da excitabilidade neuronal e liberação de neurotransmissores. Em estudo recente realizado em nosso laboratório verificamos que o veneno do escorpião Tityus bahiensis (VTb) promove contração e relaxamento da aorta isolada de rato (AIR), sendo esses efeitos implicados com a liberação de mediadores pelas toxinas presentes no veneno. Nosso objetivo é caracterizar a contração e o relaxamento anteriormente observados, buscando esclarecer os mecanismos envolvidos em tais ações do veneno. Os efeitos contrateis e relaxantes do VTb serão utilizados em anéis de aorta torácica de ratos Wistar, machos, de 4-5 meses. Nos experimentos serão utilizadas aortas com e sem endotélio. A presença ou ausência do endotélio será verificada pela efetividade de acetilcolina (30mM) em promover relaxamento da AIR pré-contraída com 30mM  de noradrenalina (NA). Nos experimentos de relaxamento após a verificação da presença ou ausência do endotélio, será adicionada a preparação  1mM  de tetrodotoxina,   1mM   de atropina, ou 0,1mM de L-NAME. As preparações serão novamente pré-contraídas com NA e, após a obtenção do efeito máximo, o VTb (300mg/mL) será adicionado, sendo seus efeitos registrados por 5 minutos. Nos experimentos de contração também serão utilizadas aortas com e sem endotélio, conforme descrito anteriormente. Após a verificação da presença do endotélio, os efeitos VTb (300mg/mL) será avaliado na ausência ou presença de 1mM  de prazosin (antagonista adrenérgico), 0,1mM  de suramina (antagonista purinérgico), e uma combinação de prazosin+suramina. A análise da vigilância (ANOVA), seguida do teste Tukey será utilizada para detectar diferenças entre os grupos. A probabilidade de p<0,05 será considerada como sendo capaz de revelar diferenças significantes.

Comunicar erros