Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Pastoral / Reflexões da Pastoral / O Senhor o deu, o Senhor o tomou – Finados

O Senhor o deu, o Senhor o tomou – Finados

Na Bíblia há um relato bastante dramático sobre um homem chamado Jó que vivia em Ur dos Caldeus. Tinha esposa, muitos filhos e filhas.  Jó era proprietário de fazendas e animais como bois, jumentos, ovelhas, camelos. Era muito rico e possivelmente, realizado e feliz.

Porém, num só dia, toda a sua vida muda: Jó perdeu quase tudo.

13 E sucedeu um dia, em que seus filhos e suas filhas comiam, e bebiam vinho, na casa de seu irmão primogênito,

14 Veio um mensageiro a Jó, e lhe disse: Os bois lavravam, e as jumentas pastavam junto a eles;

15 E deram sobre eles os sabeus, e os tomaram, e aos servos feriram ao fio da espada; e só eu escapei para trazer-te a nova.

16 Estando este ainda falando, veio outro e disse: Fogo de Deus caiu do céu, e queimou as ovelhas e os servos, e os consumiu, e só eu escapei para trazer-te a nova.

17 Estando ainda este falando, veio outro, e disse: Ordenando os caldeus três tropas, deram sobre os camelos, e os tomaram, e aos servos feriram ao fio da espada; e só eu escapei para trazer-te a nova.

 

E como se todo aquele infortúnio não fosse suficiente, Jó recebe outra notícia ainda mais arrasadora:

 

18 Estando ainda este (empregado) falando, veio outro, e disse: Estando teus filhos e tuas filhas comendo e bebendo vinho, em casa de seu irmão primogênito,

19 Eis que um grande vento sobreveio dalém do deserto, e deu nos quatro cantos da casa, que caiu sobre os jovens, e morreram; e só eu escapei para trazer-te a nova.

 

Diante de tamanha tragédia, Jó rasga suas vestes em sinal de tristeza e dor e raspa seus cabelos num ato de humilhação.  Entretanto,  Ele declara:

 

21 Nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá; o Senhor o deu, e o Senhor o tomou: bendito seja o nome do Senhor.

 

É possível imaginar o imenso desespero deste homem e desta mulher.

Muitos de nós pensaríamos não suportar tamanha desolação: ter os bens roubados, ter os empregados/as assassinados/as e especialmente saber que durante uma festa de família, morreram seus filhos e filhas.

Mas ao contrário do que qualquer um/a de nós, pudéssemos imaginar, a afirmação de Jó nos apresenta uma pessoa que soube agradecer tudo o que teve, muito embora, sua perda.

Diante do luto, é comum que façamos uma série de indagações (também de revolta, de negação). Tudo na tentativa de compreender o porquê daquela morte ou mortes.  

Mas Jó nos mostra uma possibilidade: agradecer pelo que tivemos e reconhecer que toda a vida vem de Deus. E volta para Deus.

Dia 2 de novembro foi o dia de Finados e (entre outros) é mais um dia que recordamos de nossos mortos. Que choramos a ausência. Que sintamos saudades. O luto é uma experiência da qual ninguém escapa. Não importa a idade nem circunstância.

Mas qual de nós consegue reconhecer o privilégio de viver/conviver com aquela pessoa que morreu e agradecer a oportunidade da vida (curta ou longa), ao mesmo tempo, que chora a sua morte? Tenha sido essa morte do modo como for.

A bíblia testemunha que Jó não imputou a Deus culpa alguma. Não cobrou dele explicações. Ao contrário, Jó bendisse o nome do Senhor e reconheceu sua presença.  

É um desafio, porém, também é um consolo. A medida que somos gratos/as por aquele/a que amamos profundamente, somos capazes de perceber todas as coisas boas que ele/a gerava em nós e então reconhecer o seu valor, sua importância. Parte desta pessoa está em nós, no que somos. E parte dela portanto, viverá em nós.

No início do texto, escrevo: ‘Jó perdeu quase tudo’, e agora complemento: exceto, a sua fé.

O luto deve ser vivido com paciência, compreensão e apoios necessários. Mas é somente a fé em Deus que nos auxilia diante da lembrança do ente querido, a um possível sorriso de esperança; ou diante da separação no seu sepultamento, sentir paz e consolo. Somente a fé nos faz agradecer o dom da vida.

Que tenhamos de Deus sua graça e paz em todos os momentos.

Amanda de Lima Baptista
Assistente Administrativa
Pastoral Escolar e Universitária IMS

Comunicar erros

ATENDIMENTO

Campus Rudge Ramos -  Edifício Sigma, Sala 205
Telefone – 4366-5543

Atendimento:


- Segunda a sexta-feira, das 8h às 22h
- Sábados, das 8h às 12h



Campus Planalto – Edifício A, Sala 316
Telefone: 4366-5339

Prof.ª Rosane Silva de Oliveira
Pastor Hércules Andrade Araújo
Pastor Edemir Antunes Filho

Atendimento:

- Segunda-feira, das 8h às 12h e das 19h às 21h30
- Terça-feira, das 8h às 21h30
- Quarta-feira, das 10h às 21h30
- Quinta-feira, das 8h às 14h e das 19h às 21h30
- Sexta-feira, das 8h às 12h
 



Campus Vergueiro -  Edifício A, sala 150
Telefone: 4366-5403

Pastora Angela Aparecida Balbastro Ribeiro
Pastor Edemir Antunes Filho

Atendimento:

- Terça-feira, das 14h às 21h30
- Quinta-feira, das 14h às 21h30



Colégio Metodista SBC
Telefone: 4366-5796

Pastor Wesley Cardoso Teixeira
Prof.ª Elaine Cezar da Silva

Atendimento:

- Segunda-feira, das 8h às 12h
- Quarta-feira, das 8h às 17h
- Terça, quinta e sexta-feira, das 8h as 17h30