Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Pastoral / Reflexões da Pastoral / 19 de abril – Dia do Índio

19 de abril – Dia do Índio

Dessarte, não pode haver judeu nem grego; nem escravo nem liberto; nem homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. Gálatas 3.28



Reflexão: Marcos 7. 24-30

O texto de Marcos relata o acontecimento de uma mulher estrangeira. Por ser mulher e estrangeira, ela era marginalizada. Não conhecemos sua religião. Com certeza não era judia. Mas ela creu em Jesus a partir de uma situação de sofrimento (sua filha estava enferma, possessa...). Certamente seus costumes, sua sociedade, sua religião eram diferentes, mas a sua fé no Deus da vida tem muito a nos ensinar.
 
Acredito que o mesmo acontece com os povos indígenas. São diferentes de nós. Sua cultura, seus costumes, sua organização, sua sociedade, mas nem por isso podemos dizer que são atrasados, que não têm contribuição importante a oferecer. Na verdade, eles têm muito a nos ensinar, especialmente, no que diz respeito ao cuidado com a natureza. Prova disso é que, no sul do Brasil, as maiores extensões de matas nativas se encontram em terras indígenas.

“A terra é importante para nós porque ela significa uma mãe, assim como uma mãe tira do seu próprio corpo o alimento para dar vida a seu filho” (Expressão de um índio Kaigang – Iraí/RS).

Não há o que comemorar nesse dia, pois temos assistido ao genocídio dos povos indígenas. É tempo sim de lutar para assegurar a dignidade e a vida a estes grupos que estão à margem da sociedade.

O dia do índio não deve servir para especulação sobre como são exóticos seus costumes, sua indumentária, seu modo de vida, mas deve ser o momento de conscientização, da necessidade de unirmos esforços em torno desta causa, na luta pela sobrevivência dos que restam, não como animais exóticos que precisam ser preservados para que nossos filhos e filhas possam apreciar, NÃO! Mas sim pela dignidade humana e pela vida, sob pena de estarmos sendo incoerentes com o evangelho que cremos e pregamos como cristãos.

Pistas para reflexão:

  • Como o texto da mulher siro-fenícia pode nos ajudar a pensar a situação dos povos indígenas hoje?
  • Qual foi a atitude de Jesus em relação a esta mulher?
  • Qual deve ser a nossa atitude em relação aos povos indígenas hoje, considerando sua situação de diferença (cultural, linguística e econômica)?


Que Deus nos ajude e tenha misericórdia de nós, libertando-nos da arrogância e do preconceito. Amém.

Pastora Maria da Graça R.Vilagran
Pastoral Colégio Americano

Comunicar erros

ATENDIMENTO

Campus Rudge Ramos -  Edifício Sigma, Sala 205
Telefone – 4366-5543

Atendimento:


- Segunda a sexta-feira, das 8h às 22h
- Sábados, das 8h às 12h



Campus Planalto – Edifício A, Sala 316
Telefone: 4366-5339

Prof.ª Rosane Silva de Oliveira
Pastor Hércules Andrade Araújo
Pastor Edemir Antunes Filho

Atendimento:

- Segunda-feira, das 8h às 12h e das 19h às 21h30
- Terça-feira, das 8h às 21h30
- Quarta-feira, das 10h às 21h30
- Quinta-feira, das 8h às 14h e das 19h às 21h30
- Sexta-feira, das 8h às 12h
 



Campus Vergueiro -  Edifício A, sala 150
Telefone: 4366-5403

Pastora Angela Aparecida Balbastro Ribeiro
Pastor Edemir Antunes Filho

Atendimento:

- Terça-feira, das 14h às 21h30
- Quinta-feira, das 14h às 21h30



Colégio Metodista SBC
Telefone: 4366-5796

Pastor Wesley Cardoso Teixeira
Prof.ª Elaine Cezar da Silva

Atendimento:

- Segunda-feira, das 8h às 12h
- Quarta-feira, das 8h às 17h
- Terça, quinta e sexta-feira, das 8h as 17h30