Você está aqui: Página Inicial / Notícias EAD / Livro sobre os 10 anos EAD da Metodista será lançado na Bienal de São Paulo

Livro sobre os 10 anos EAD da Metodista será lançado na Bienal de São Paulo

A obra reúne textos de diversos profissionais da Metodista que contam suas experiências

23/08/2016 20h15 - última modificação 23/08/2016 20h13

Livro sobre os 10 anos EAD da Metodista será lançado na Bienal do Livro, em São Paulo

A Educação a Distância foi regulamentada no Brasil em 2005. No ano seguinte, a Universidade Metodista de São Paulo passou a oferecer cursos EAD em seu currículo. Esse ato de pioneirismo completa agora dez anos e, como parte das comemorações, a instituição lança o livro “Caminhos da Educação a Distância: Uma década de democracia, aprendizagem e experiência”.

O livro foi organizado por Adriana Barroso de Azevedo, Coordenadora do Núcleo de Educação a Distância da Metodista e professora dos cursos de Pedagogia EAD e Publicidade e Propaganda, e será lançado na 24ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo. A obra reúne textos sobre essa década de experiências, avanços e transformações.

“Temos 16 autores no livro, todos da Metodista, de uma maneira ou outra. Alguns são professores, coordenadores de polo, o diretor de Educação a Distância, um diretor de faculdade e uma coordenadora de curso EAD. São todas experiências diferentes”, explica Adriana. Também fazem parte do livro pesquisas de mestrado e artigos de pós-graduação escritos na Metodista a respeito do EAD.

10 anos de experiências

“Pensar sobre os dez anos e pensar nesse livro, em especial, foi uma retomada da história e uma forma de marcar essa trajetória com coisas concretas. A gente conseguiu isso pelo calibre do que foi relatado. Temos dissertações de mestrado, um trabalho de relatos e de pesquisa muito profundo. Além disso, temos vivência, muita vivência e experiência relatada”, diz.

Trabalhar no livro foi uma oportunidade especial para Adriana, que ajudou a organizar as duas primeiras obras sobre EAD da Metodista, uma em 2008 e a outra em 2012. O primeiro livro refletia sobre o potencial da modalidade e sobre as dificuldades em implantá-la, o segundo já propunha uma reflexão sobre as práticas adotadas e as inovações futuras. 

“Quando começamos a EAD, tínhamos que buscar as referências em nós mesmos, porque mesmo as experiências que já se tinha de EAD fora do Brasil, não contavam com a tecnologia como a experiência brasileira nasce. A EAD fora do Brasil nasce muito vinculada ao impresso, vinculada a um modelo muito tradicional e de uma tecnologia do século passado”, conta.

Na época, ainda existia certo preconceito contra essa modalidade de ensino, e os alunos e professores encontravam dificuldades em lidar com as novas plataformas e os ambientes virtuais. “Foi um processo de formação continuada, permanente. Antes mesmo da gente ter início da modalidade, tivemos um trabalho formativo. Todos os professores tiveram que pensar EAD, preparar as equipes, preparar as formações, preparar os cursos”, relata.

Hoje, o livro sobre os 10 anos do EAD Metodista traz histórias sobre uma modalidade consolidada, com diversas avaliações positivas e um número crescente de alunos e cursos. “Foi muito legal, porque pude pensar nos artigos com as pessoas, desenvolver o que tinha a ver com a própria história delas, do que elas têm feito aqui dentro”. 

Essa história, no entanto, não acaba aqui. Com dez anos de experiência de educação a distância, a Metodista precisa continuar inovando e aprimorando os cursos. Atualmente, a Universidade conta com 36 polos de apoio e mais 40 devem ser abertos em 2017. 

Inclusão 

“A gente brinca que cada um de nós tem alguma pessoa que, em algum momento, mexeu conosco. Seja numa visita de polo, numa carta ou um e-mail que te emociona profundamente. Como alguém com 84 anos, que não tinha expectativa nenhuma de fazer uma faculdade, e que fez, concluiu e deu exemplo para os filhos e netos”, declara Adriana.

A EAD é uma poderosa ferramenta de inclusão social. Pessoas com dificuldade de locomoção, com uma rotina apertada, poucas condições financeiras ou, até mesmo, que queiram passar mais tempo em casa, com a família, têm a chance de estudar em uma instituição de ensino de qualidade. 

“Quando você vai para o interior do país, para cidades como Porto Velho e Altamira, você vê histórias muito lindas, de pessoas que realmente não teriam outra oportunidade de estudar. A EAD é uma área privilegiada por poder fazer a diferença na vida de pessoas que, muitas vezes, a gente nem vê, nunca vai conhecer pessoalmente, mas que de um jeito muito forte fazem parte da nossa vida”, completa.

Lançamentos Editora Metodista
Onde: 24ª Bienal Internacional do Livro, estande da ABEU (Associação Brasileira das Editoras Universitárias), L 049.
Quando: 27 de agosto de 2016, das 16h às 18h
Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi, Av. Olavo Fontoura, 1.209, São Paulo.

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: , , , , ,