Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Medicina Veterinária / Notícias / Equipamentos de imagem ainda são escassos para identificar câncer em animais

Equipamentos de imagem ainda são escassos para identificar câncer em animais

Especialista em oncologia, Marcia Cabral lamentou falta e alto custo

06/09/2018 19h50 - última modificação 06/09/2018 19h49

Marcia Cabral falou na XXI Semana Acadêmica de Medicina Veterinária da Metodista

A exemplo dos humanos, os animais ganharam maior expectativa de vida a partir da prevenção de doenças por vacinas, visitas mais frequentes ao veterinário e consequente acompanhamento da saúde, além de nutrição mais adequada. Esse zelo maior dos tutores sobretudo com pets, no entanto, esbarra na capacidade limitada de hospitais e centros de diagnósticos de oferecer exames e equipamentos para rápida identificação e tratamento de doenças como o câncer.

“Nem todos os hospitais e centros diagnósticos dispõem de tomografia computadorizada e menos ainda de ressonância magnética, equipamentos de imagem mais precisos que auxiliam na avaliação médica. Exames como esses acabam tendo custo maior para o tutor, o que dificulta sua realização”, lamenta a médica veterinária especializada em oncologia Marcia Funabashi Cabral, que falou sobre “Crescimento da Oncologia Veterinária e Os Desafios Cirúrgicos” na noite de 31 de agosto último, no encerramento da 21ª Semana Acadêmica de Medicina Veterinária da Universidade Metodista de São Paulo.

Embora aponte que houve avanços desde o século IX, quando o câncer começou a desafiar médicos cirurgiões, Marcia Cabral afirmou que há muito a melhorar no cenário da oncologia veterinária. Além de equipamentos, há indisponibilidade de medicações e alguns quimioterápicos no Brasil, sem contar o alto custo. De qualquer forma, ela mostrou aos alunos que a oncologia é uma especialização que cresce no mercado veterinário, a fim de obter melhor qualidade no tratamento dos pacientes, como na medicina humana.

Idosos e pele branca

Marcia atua no Hospital Veterinário da Metodista, no campus Planalto, e explicou que o câncer é mais frequente – embora não exclusivo -- em animais idosos, além de representar uma das principais causas de morte em cães e gatos.

“Os fatores que mais contribuem para o desenvolvimento da doença são alteração genética, fumantes passivos e radiação solar principalmente em animais de pele clara, pelo branco ou sem pelo”, citou.

Os cânceres mais comuns são os de pele, mas também ocorrem com frequência linfomas e câncer de mama. O tutor consegue identificar nódulos e tumores externos palpando seu animal, mas se houver aumento de volume é importante uma avaliação microscópica por um profissional para descartar a possibilidade de uma neoplasia. “Emagrecimento progressivo, feridas que não cicatrizam e aumento de volume abdominal também são sinais de alerta para melhor investigação”, mostrou a palestrante.

Carinho e confiança

O tratamento varia de acordo com o tipo de câncer. Grande parte do tratamento é cirúrgico com margens adequadas, que requerem ou não quimioterapi. Mas existem tratamentos apenas com quimioterapias, explicou a especialista.

“Temos disponíveis outras modalidades de tratamento que podem ser utilizadas com a cirurgia ou quimioterapia, como a radioterapia, criocirurgia, eletroquimioterapia, imunoterapia e terapias alvo”, expôs.

A oncologista apontou outra receita poderosa no combate à doença: o carinho. “Muitas vezes os animais chegam desenganados, tutores sem esperança e com medo desse universo desconhecido. Costumo dizer aos estagiários e alunos que o oncologista é como o comandante de um navio, no qual pacientes e tutores embarcam e vamos juntos nessa viagem. Como conhecemos mais o caminho, vamos orientando sobre a dificuldade de cada percurso e as rotas a seguir. Com paciência e carinho nesse momento de aflição, ganhamos a confiança dos tutores e essa adesão se torna fundamental ao tratamento” relatou.

Veja mais imagens da Semana Acadêmica.

Esta matéria foi publicada no Jornal da Metodista.
Conheça Outras.

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: , , , , ,

NILTON ABREU ZANCO - COORDENADOR
nilton-zanco.jpg
Veja o minicurrículo

 


Receba informações de oferecimento deste curso

 

medicina-veterin├бria.jpg

Receba informações de oferecimento sobre esse curso:

X