Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Ferramentas Pessoais

Navegação

Você está aqui: Página Inicial / JBCC / UNESCO alerta sobre o aumento mundial de ataques contra jornalistas que cobrem protestos

UNESCO alerta sobre o aumento mundial de ataques contra jornalistas que cobrem protestos

Relatório de 14 de setembro destaca um aumento no número de protestos no mundo, com violações à liberdade de imprensa

27/09/2020 13h05

Foto: Reprodução.

Por – Daniel Valenciano Gimenes*

Um relatório da UNESCO em Paris, de 14 de setembro, destacou um aumento acentuado no número de protestos no mundo, nos quais, durante o primeiro semestre de 2020, a polícia e as forças de segurança pública violaram a liberdade de imprensa. Entre janeiro e junho, 21 protestos ao redor do mundo foram marcados por violações à liberdade de imprensa e, em alguns deles, jornalistas foram agredidos, presos e até mortos.

O relatório “Segurança de jornalistas em cobertura de protestos: preservação da liberdade de imprensa em tempos turbulentos” apontou para uma tendência mais ampla de aumento do uso ilegal de força policial e de segurança pública nos últimos cinco anos. O relatório também constatou que dez jornalistas foram assassinados enquanto cobriam protestos nestes anos e, na ocasião, um destes assassinatos foi condenado pela diretora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay.

Em 2015, jornalistas que cobriam 15 protestos em todo o mundo foram impedidos de exercerem a profissão pela polícia e pelas forças de segurança. Em 2019, este número passou para 32. O relatório sugere que um novo e preocupante limiar foi ultrapassado, o que revela uma ameaça cada vez maior e mais significativa à liberdade da mídia e ao acesso à informação ao redor do mundo.

O relatório concluiu que, durante estes cinco anos, os protestos em todo o mundo foram motivados por causas como injustiça econômica, corrupção governamental, declínio das liberdades políticas e autoritarismo crescente. Ele detalhou os diferentes tipos de abuso enfrentados pelos profissionais da imprensa ao cobrirem protestos, incluindo vigilância, assédio, intimidação, espancamento, tiros com munição letal ou não letal, detenção, sequestro e destruição intencional de equipamentos.

Leia mais em: https://pt.unesco.org/news/unesco-faz-soar-o-alarme-o-aumento-mundial-ataques-jornalistas-que-cobrem-protestos

Relatório da UNESCO: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000374206_por

*Daniel é estudante de jornalismo na Universidade Metodista de São Paulo e estagiário da cátedra UNESCO.

Comunicar erros