Ir para o conteúdo.

.
Você está aqui: Página Inicial / JBCC / Projeto “Comunica, Nossa Gente!” integra universidade e sociedade

Projeto “Comunica, Nossa Gente!” integra universidade e sociedade

Programa atende OSCs, escolas públicas e instituições do terceiro setor

28/09/2018 20h24

Igor Neves

O projeto “Comunica, Nossa Gente!”, coordenado pela professora Camila Escudero do programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Universidade Metodista de São Paulo (PósCom/UMESP)que ministra a disciplina Comunicação Local e Desenvolvimento Social, está atuando, desde o início do segundo semestre de 2018, em escolas públicas e entidades do terceiro setor.

O programa é feito em parceria com escolas públicas, Organizações da Sociedade da Sociedade Civil (OSC) ou outras instituições do terceiro setor, que podem se inscrever através do site do projeto. São desenvolvidos trabalhos de educomunicação que contemplam desde palestras sobre temas comunicacionais, como fake news e crítica da mídia, consultorias de marketing, cursos de assessoria, até implantação de veículos de comunicação. Atualmente, o projeto atende quatro instituições, e pretende atingir seis até o final do ano.

Segundo a coordenadora, o projeto surgiu da necessidade que a disciplina tinha de integrar as teorias vistas em aulas e a prática. “O projeto surgiu no sentido não só de reforçar o papel da universidade no ensino e na pesquisa, mas também, como meio de extensão. Ela [a universidade] está inserida dentro de uma comunidade e faz parte dessa realidade”, conta.

Camila destaca o trabalho junto ao grupo Grito dos Excluídos, que teve participação importante de alunos da graduação e da pós-graduação, que ajudaram na divulgação do evento que aconteceu no último dia 7 de setembro.

Para a professora, o mais importante é que as instituições atendidas pelo programa consigam continuar os trabalhos depois que o período de auxílio acabar. “No nosso projeto, a gente não vai lá, implanta e faz pela instituição. Não, a gente ensina eles a fazerem, a ser organizarem e mobilizarem, para, quando não estivermos mais lá, eles tocarem o projeto sozinhos”.

Comunicar erros