Ir para o conteúdo.

.
Você está aqui: Página Inicial / JBCC / Notícias JBCC / Livro sobre primeiro diretor artístico de televisão da América Latina será lançado amanhã

Livro sobre primeiro diretor artístico de televisão da América Latina será lançado amanhã

Pai e filho são biografados pelo pesquisador Elmo Francfort

18/09/2015 21h16

Arthur Marchetto

Cassiano Gabus Mendes foi uma das grandes figuras na história da televisão brasileira que atuou em diversas áreas, dentre elas a de autor de novelas e na direção de arte na TV Tupi. O livro que registra a história dele e de seu pai, o radialista Octávio Gabus Mendes, será lançado amanhã no evento de comemoração dos 65 anos de Televisão no Brasil e dos 20 anos do Museu da TV (Pró-TV). Escrito pelo pesquisador Elmo Francfort, também conhecido por outras pesquisas sobre televisão, o livro foi publicado pela Editora In House e custará R$ 60 no evento.

O trabalho de Cassiano Gabus Mendes já era respeitado por Elmo Francfort antes do começo de sua pesquisa. Quando jovem, o tio do escritor chegou a trabalhar como cinegrafista de Cassiano, cargo também conhecido como diretor de imagem ou diretor de TV na época. No entanto, o desejo de escrever os livros não apareceu só pelos laços históricos. “De alguns anos pra cá comecei a sonhar com o próprio Cassino me orientando a escrever a biografia”, comentou o autor, “foi então que resolvi, no ano passado, ouvir esses conselhos e seguir em frente”.

Elmo Francfort teve ajuda de Vida Alves, presidente da Pró-TV, para iniciar e refinar sua pesquisa, justamente pela visão de alguém que conheceu Cassiano em vida.  No decorrer da pesquisa Elmo percebeu que, tão importante quanto a memória de Cassiano, seria preciso relembrar os passos de seu pai, Octávio Gabus Mendes. Segundo o escritor, Octávio foi responsável pela forma coloquial de produzir o conteúdo de rádio que ouvimos hoje e foi o primeiro a fazer roteiros para televisão, sonho que foi colocado em prática pelo seu filho.

Ao longo de seu trabalho, Elmo comenta que um dos pontos que mais o surpreendeu durante a pesquisa foi a “sensibilidade que Octávio e Cassiano tinham para perceber o mundo e transformar em ideias, programas e programações”. Além dos feitos do pai, Cassiano foi o único a ir aos Estados Unidos estudar a estética televisiva no final dos anos 40 e também criou todos os gêneros televisivos. “Ele sim é o verdadeiro pai da televisão, uma vez que pai não é apenas quem põe no mundo, com todo respeito a Chateaubriand, mas sim quem cuida, quem acompanha e ajuda a crescer”, comenta o autor.

Novelas

Uma das produções mais notáveis de Cassiano foram as suas telenovelas que tinham como elementos de sua trama as críticas sociais. A presença do conteúdo contestador parte da forma de pensar televisão que permeava a mente de seu autor. Cassiano pensava no conteúdo televisivo como um tripé, buscando informar, entreter e também a conscientizar a população.

“Nossa TV precisa voltar a pensar assim”, afirma Elmo. Para ele, o conteúdo televisivo precisa retirar a tecnologia do primeiro plano e melhorar o que pode mostrar e atrair seu público pois, caso contrário, é assim que “a TV terá todo seu público migrado para novas mídias e será esquecida de vez”.

Para retomar a qualidade de conteúdo o pesquisador afirma que a academia precisa convergir os pensamentos e “chegar à maturidade, com profundidade e boas histórias”. Assim, estudar o que foi feito pelos pioneiros, como Cassiano Gabus Mendes, é um ponto necessário.

O lançamento e a comemoração de amanhã acontecerão às 15h na Biblioteca Latino-Americana Vitor Civita, na Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 664 - Barra Funda. Para Elmo “Nada mais propício que o Dia Nacional da TV para relembrar a história dos Gabus Mendes, principalmente de Cassiano, o primeiro diretor artístico do hemisfério Sul.” A festa contará com vários convidados, começando pela presença da família Gabus Mendes: a viúva de Cassiano, Helenita Sanches, e os filhos e atores Tato e Cassio Gabus Mendes, além de atores, como Lima Duarte e Eva Wilma, e diretores, como Boni.

Comunicar erros