Ir para o conteúdo.

.
Você está aqui: Página Inicial / JBCC / Notícias JBCC / Docente do Póscom da Metodista participa de evento sobre Interação Homem e Máquina na Politécnica da USP

Docente do Póscom da Metodista participa de evento sobre Interação Homem e Máquina na Politécnica da USP

Sebastião Squirra é líder do ComTec – grupo de pesquisa em Comunicação e tecnologias digitais e busca parcerias para ampliar pesquisas

04/09/2012 19h05 - última modificação 05/09/2012 15h54

Professor Sebastião Squirra - Foto: Divulgação Metodista

Por Caio Delcolli


Entender as relações entre homem e máquina e o papel da comunicação nesse cenário tem sido um desafio para Sebatião Squirra, docente do PósCom da Metodista, que participou recentemente (22/08) de encontro na USP, que reuniu pesquisadores de várias áreas do conhecimento, como administradores, psicólogos, engenheiros e comunicólogos. “Fazemos parte do Humanis, grupo de pesquisa aninhado na Escola Politécnica da USP, que realizou seu primeiro encontro sobre IHC, a Interação Homem-máquina, contando com pesquisadores da própria escola, do segmento da Comunicação (representado pelo ComTec) e da área da saúde.” O  ComTec – Comunicação e tecnologias digitais é o grupo de pesquisa liderado por Squirra, criado em 2004, para aprofundar estudos multidisciplinares.

Além de participar de outros grupos de pesquisa, o ComTec  realiza eventos e lança publicações em parceria com outras instituições. É o caso da Universidade Federal do Maranhão, em São Luís, que abrigou o mais recente encontro de investigadores do grupo, em junho deste ano.

Paralelamente, são publicados artigos em  revistas científicas de outras instituições e obras organizadas pelos participantes do GP. O artigo “Engenharia das comunicações”, publicado na Revista Ciberlegenda, da pós-graduação em comunicação da Universidade Federal Fluminense, de autoria de Squirra, é um exemplo.

E o resultado dessa produção multidisciplinar? “São os melhores possíveis”, disse Squirra. Segundo o professor, a relação entre pesquisadores e instituições é a de compartilhamento de conhecimento e produção científica de excelência. “Dessa forma, procuramos uma interação até certo ponto evitada pelos comunicadores, que é uma interface mais dinâmica com outras áreas do saber. Em nosso caso, focamos objetivamente nas tecnologias da comunicação e as transformações gigantescas por que passa o ser humano no contato com a pletora de equipamentos e as multitelas da modernidade.”

Para a PósCom da Metodista, os resultados são benéficos. Seus pesquisadores melhoram a discussão com outros grupos de pesquisa, fora a abertura para produção de textos interdisciplinares e colaborativos. Já para comunicação em geral, os efeitos representam a interação com outras áreas de conhecimento e pluralidade de ângulos analíticos.

A ideia do Comtec surgiu quando Squirra fazia seu pós-doutorado na Universidade da Carolina do Norte, de 1995 a 1996, no momento em que a internet e as mídias digitais ainda eram novidades no cotidiano da população mundial.

Comunicar erros