Ir para o conteúdo.

.
Você está aqui: Página Inicial / JBCC / Notícias JBCC / SOCICOM propõe a inclusão de alunos de comunicação no Programa Ciência Sem Fronteiras

SOCICOM propõe a inclusão de alunos de comunicação no Programa Ciência Sem Fronteiras

Em carta aberta, diretoria manifesta a importância da participação de comunicólogos no projeto

04/04/2013 17h40 - última modificação 04/04/2013 17h51

Por Priscilla Sampaio

Na semana passada, a diretoria da SOCICOM (Federação Brasileira das Associações Científicas e Acadêmicas de
Comunicação)
manifestou em carta aberta à Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) e ao CNPq (Conselho Nacional do Desenvolvimento Científico e Tecnológico) a importância de incluir  estudantes de graduação da área de Comunicação no processo seletivo do Programa Ciência Sem Fronteiras.

O projeto, que busca promover a expansão, consolidação e internacionalização da ciência e tecnologia e das inovações brasileira no campo, realiza intercâmbios de alunos de graduação e pós-graduação das áreas de exatas e biológicas.

Os documentos que solicitam o ingresso de alunos de Comunicação no programa foram remetidos ao coordenador do Programa Ciência sem Fronteira, professor doutor Geraldo Nunes (Capes) e ao professor doutor Manoel Baral Netto, Diretor de Cooperação Institucional (CNPq).


Abaixo, a carta aberta na íntegra:

São Paulo, 26 de março de 2013.

A Federação das Associações Acadêmicas de Comunicação (SOCICOM) vem, por meio desta, dirigir à CAPES e ao CNPq pleito de que a Área de Humanidades, aí contemplado o campo da Comunicação, seja considerada para fins do processo seletivo de estudantes de graduação candidatos ao Programa Ciência Sem Fronteiras.
A SOCICOM, em parceria com suas entidades afiliadas, tem promovido uma série de estudos que resultaram nas coletâneas Panorama das Comunicações e das Telecomunicações no Brasil, publicadas por IPEA/SOCICOM 2011, 2012 e 2013, disponíveis online. Nas edições do Panorama, com base em indicadores socioeconômicos e científicos, está bem evidenciado o lugar da comunicação e respectivas áreas profissionais no setor produtivo no Brasil e, ainda, o papel da comunicação para o desenvolvimento nacional.
O mesmo pode ser dito quanto ao elemento comunicação, como constituinte do novo lugar ocupado pelo Brasil no contexto dos países denominados BRICS.
Pelo exposto, a SOCICOM defende a pertinência e importância de que, estudantes de graduação da área de Comunicação sejam incluídos, a priori, no processo seletivo do Programa Ciência Sem Fronteiras. O país ganhará muito projetando graduandos de Comunicação, assim como, do campo das Humanidades, para o cenário de intercâmbio acadêmico do referido Programa.
Esta reivindicação é feita em nome da Comissão de Assessoramento para Formação de Recursos Humanos em Comunicação/Diretoria de Relações Nacionais/SOCICOM, a qual reúne as entidades: Associação Brasileira de Pesquisadores em Publicidade (ABP2); Associação Brasileira de Pesquisadores de Comunicação Organizacional e Relações Públicas (ABRACORP); Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor); Associação Brasileira de Pesquisadores de História da Mídia (Alcar); Capítulo Brasil da União Latina de Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura (ULEPICC-Brasil); Fórum Nacional de Professores de Jornalismo (FNPJ); Fórum Brasileiro de Ensino de Cinema e Audiovisual (FORCINE); Rede de Estudos e Pesquisa em Folkcomunicação (FOLKCOM) e a Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (INTERCOM).

Cordialmente,
Profa. Dra. Margarida Maria Krohling Kunsch Presidente da SOCICOM Diretora da ECA/USP.



Comunicar erros