Ir para o conteúdo.

.
Você está aqui: Página Inicial / JBCC / Notícias JBCC / Ato Acadêmico abre Pensacom Brasil 2015

Ato Acadêmico abre Pensacom Brasil 2015

19/11/2015 13h24

Arthur Marchetto e Gabriel Mendes

Nesta segunda-feira (16) teve início o Pensacom 2015 no anfiteatro do edifício Sigma, na programação homenagens ao professor José Marques de Melo, Aula Magna com Francisco Sierra e evocação pelos 20 anos do Doutorado da Universidade Metodista de São Paulo (UMESP).

O evento iniciou com uma apresentação musical acústica, e em seguida, a reverenda Gladys Barbosa, da pastoral universitária e escolar Metodista fez o primeiro pronunciamento do dia, recitando passagens de Genesis em referência a origem do mundo e suas transformações ao longo da história.

Frisando a importância do ser humano de mudança social. Na sequência, houve pronunciamento do diretor da Escola de Comunicação, Educação e Humanidades da UMESP, professor Nicanor Lopes, que comentou sobre o valor de um evento como o Pensacom para o panorama comunicacional do país, “esse evento com o apoio de FAPESP e CAPS, representa exatamente o desafio da produção de novos conhecimentos, aqui é onde a gente socializa o que está sendo construindo por nós’’

Quando questionado sobre qual é a importância de contar com o professor Jose Marques de Melo no quadro de docentes da UMESP, Nicanor foi preciso ‘’ Sem dúvida nenhuma um privilegio, um dos grandes teóricos de comunicação do país, tem uma produção academia fantástica, então ter ele no nosso quadro é simplesmente um privilégio’’.

Após a fala do professor Nicanor Lopes, a professora Marli dos Santos, coordenadora do Programa de Pós-graduação em Comunicação Social (Póscom) da UMESP apresentou um vídeo sobre os 20 anos do doutorado do Póscom e prestou homenagens as professoras Graça Caldas, que já fez parte do Póscom e Elizabeth Gonçalves, do quadro atual do programa.

Homenagens - Na reta final do primeiro momento do Pensacom 2015, o professor e diretor da Cátedra UNESCO/UMESP de Comunicação, José Marques de Melo recebeu algumas homenagens, como a medalha de ouro do CIESPAL das mãos de Francisco Sierra, o Diploma de Professor Fundador do Programado de Pós-Graduação, Mestrado e Doutorado em Comunicação da UMESP e da Cátedra UNESCO/UMESP de Comunicação para o Desenvolvimento Regional por Fábio Josgrilberg, e a placa de anistia política por Marli dos Santos. Recebeu também uma homenagem da Secretaria de Estado da Ciência, da Tecnologia e da Inovação de Alagoas, que criou o prêmio de jornalismo cientifico com seu nome.

No seu discurso, comentou sobre suas experiências e períodos difíceis que passou durante a ditadura militar, onde não conseguia arrumar emprego em lugar nenhum. Foi neste momento em que a Metodista o acolheu no seu quadro de docentes. Em sua fala reiterou diversas vezes a figura de Arthur Ramos, ressaltando sua importância para os estudos sobre o negro e sobre a identidade brasileira, também citou a relevância no desenvolvimento das Ciências Sociais no Brasil.

O professor propôs uma equação entre os atentados terroristas da última sexta feira (13) no Bataclan em Paris e o famoso ataque as torres gemes em setembro de 2001, citando a importância que esses fatos tem para a humanidade e sua construção midiática. Encerrou afirmando “Vamos à luta, vamos pesquisar, vamos deixar de lado a mania que o brasileiro tem de fazer de conta que a realidade não existe, o futuro está em nossas mãos”.

Aula Magna - Após breve pausa, Francisco Sierra, investigador espanhol, doutor em Ciências da Informação e pós graduado em Sociologia, Ciência e Tecnologia e diretor do CIESPAL, ministrou a Aula Magna de abertura do Pemsacom, a sessão foi coordenada pela professora Cicilia Peruzzo. “A América Latina não é periferia, é centralidade, política, social’’ foi com essa frase que Francisco Sierra iniciou a sua fala sobre a batalha do CIESPAL para resgatar o pragmatismo utópico latino-americano. Destacou ainda alguns projetos da instituição com as cátedras e os seminários permanentes.

Homenagem à Immacolata

A mesa de abertura do Fórum INTERCOM LOUVOR começou com a fala da Profª. Drª. Ana Silvia Médola (UNESP), anunciando a temática da sessão sob o título “A Intercom e a memória das Ciências da Comunicação: Homenagem a Maria Immacolata Vassallo”. Ana Sílvia comenta que a homenagem, costume da Intercom, se explica pela contribuição de Immacolata, “ela é uma pesquisadora, uma professora de envergadura. Uma coisa rara hoje”.

 Maria Immacolata, professora da ECA-USP, presidente da IBERCOM – Associação Ibero-Americana de Comunicação (2015-2018), diretora da MATRIZes, membro do Conselho Curador da Intercom e coordenadora do Centro de Estudos de Telenovela da USP (CETVN), o Centro de Estudos do Campo da Comunicação da USP (CECOM), a rede internacional de pesquisa OBITEL (Observatório Ibero-Americano da Ficção Televisiva) e a rede nacional de pesquisa OBITEL-Brasil.

A mesa foi coordenada por Francisco de Assis (FAAP), Margarida Kunsch (USP), Ana Paula Goulart (UFRJ), Roseli Fígaro (USP) e Richard Romancini (USP). A abertura da mesa, feita por Francisco, faz uma retomada histórica da vida da homenageada e é seguido da fala de Kunsch, que destaca a importância de Immacolata na ECA-USP, na instalação de programa de Pós-Graduação e no nascimento do periódico MATRIZes.

Adilson Citelli, professor da USP, não pode estar presente mas fez um vídeo que foi exibido na mesa, comentando sobre as trajetórias institucionais. Seguido dele, Ana Paula Goulart retratou como é feito o trabalho do OBITEL e seu espaço no campo de estudos sobre comunicação. “O observatório representa um amadurecimento da pesquisa, uma internacionalização. Não só de trazer pessoas de fora para falarem aqui, mas uma verdadeira parceria”, comentou Goulart.

Emocionada, Immacolata comenta que “sempre fui guiada pelo trabalho popular e me senti extasiada com o estudo de recepção das telenovelas”. Além do reconhecimento, a pesquisadora se sente animada por ver a herança de suas pesquisas com as alunas de graduação do Chile que são “animadíssimas” e, hoje, “são o OBITEL”, finalizou.

Lançamentos

O evento também contou com o lançamento de livros, como “O Jornalismo Diversional de Fátima Bernardes”, de Roseméri Laurindo e “Marcas Folkcomunicacionais na obra literária de Luiz Beltrão”, de Eliane Mergulhão. Além disso, também houve a comemoração do 10º volume da Série Comunicação, escrito por José Marques de Melo e lançado pela editora Paulus.

“A ideia veio nos estudos de gênero jornalísticos e o papel da autoria nessa produção que fiz na Cátedra UNESCO/UMESP de Comunicação em 2012, durante meu Pós-Doutorado”, disse Roseméri sobre seu livro, “e pelo referencial da Globo no cenário brasileiro e pela originalidade que o programa trazia, tanto no formato quanto na presença da autoria”, completa.

Eliane Mergulhão procura demonstrar as marcas da Folkcomunicação presente na obra literária de Luiz Beltrão. “A importância de Beltrão é a diversidade que ele tem. Ele é um grande escritor da comunicação, um grande jornalista, um grande escritor da literatura”, comenta a professora, “e meu próximo livro é para mostrar as análises dos contos de Luiz Beltrão”, conclui Mergulhão.

Comunicar erros