Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Ferramentas Pessoais

Navegação

Você está aqui: Página Inicial / JBCC / Jovem de Heliópolis participa de evento com representantes da ONU e diz que comunidades precisam de mais visibilidade

Jovem de Heliópolis participa de evento com representantes da ONU e diz que comunidades precisam de mais visibilidade

João Victor de Paula é pesquisador do projeto “Observatório De Olho na Quebrada' e morador de uma das maiores comunidades do Brasil

25/09/2020 04h03

Jovem do Heliópolis (segundo do canto superior esquerdo para a direita) participou de evento para decidir o futuro da Organização das Nações Unidas – Foto: Reprodução G1

Por – Daniel Valenciano Gimenes*

Nesta segunda-feira (21), um evento com representantes da ONU (Organização das Nações Unidas) e com estudantes ao redor do mundo foi realizado com o intuito de discutir o futuro da instituição. O encontro virtual foi promovido pela fundação belga “Fundação para a Governança Global e Sustentabilidade” (FOGGS) e contou com a presença de um jovem brasileiro da comunidade de Heliópolis.

João Victor de Paula, de 19 anos, estudante de Biomedicina e morador da favela de Heliópolis, a maior do estado de São Paulo e uma das maiores do Brasil, foi um dos estudantes que participaram do encontro virtual da ONU. O jovem é pesquisador do “Observatório de Olho na Quebrada”, projeto que reúne moradores e educadores de Heliópolis que trata, entre outros, de casos de violência policial na comunidade.

"Eu sou o João, de Heliópolis, a maior favela de São Paulo, eu sou pesquisador do Observatório de Olho na Quebrada e acredito que nós precisamos dar voz às comunidades", disse o jovem no começo de sua fala no encontro virtual.

João Victor revelou que os problemas dentro da comunidade do Heliópolis pioraram durante a pandemia e que os moradores sentem falta de um auxilio por parte do governo. O jovem disse que quer um mundo no qual as pessoas possam ter autonomia, no qual as pessoas possam cuidar de si mesmas, sem precisarem ser abandonadas por isso.

Maria Fernanda Espinosa, ex-presidente da Assembleia Geral da ONU (2018 a 2019), agradeceu a colocação de João Victor e comentou sobre a intervenção do estudante. "Quando [as pessoas] se sentem abandonadas por seu governo, há um grande guarda-chuva para todos, que é o sistema internacional e multilateral, a grande arquitetura de Direitos Humanos que foi criada e gerada nos espaços da ONU".

João Victor foi o representante brasileiro no evento por vencer um concurso internacional de textos com o tema "A ONU que queremos para o mundo que merecemos". A competição foi promovida pela FOGGS e teve a parceria grupo de pesquisa Jornalismo Humanitário e Media Interventions do programa de pós-graduação em Comunicação Social da Universidade Metodista do Estado de São Paulo (UMESP). Renata Jiuliotti, mestranda da UMESP, foi uma das representantes da universidade no evento (na imagem, terceira da esquerda para a direita, na terceira coluna).

Fonte: G1

*Daniel é estudante de jornalismo na Universidade Metodista de São Paulo e estagiário da cátedra UNESCO.

Comunicar erros