Ir para o conteúdo.

.
Você está aqui: Página Inicial / JBCC / Décima Eclesiocom reune pesquisadores de sete estados brasileiros

Décima Eclesiocom reune pesquisadores de sete estados brasileiros

31/08/2015 19h34

Por Ricardo Alvarenga

Cátedra UNESCO/UMESP de Comunicação / PósCom Metodista

Pesquisadores de 23 instituições de ensino e pesquisa de sete estados do Brasil reuniram-se na décima edição da Conferência Brasileira de Comunicação Eclesial (Eclesiocom), que aconteceu na última quinta-feira, dia 27 de agosto, na Universidade Paulista (UNIP) - Campus Indianópolis. O evento é promovido anualmente pela Cátedra UNESCO/UMESP de Comunicação, com o apoio do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Universidade Metodista de São Paulo.

Temática - Direcionados pela temática central “Comunicação, Religião e Cidades”, os professores Edin Abumansur Sued, Luis Mauro de Sá Martino e Maurício Ribeiro da Silva ministraram, no período da manhã, três conferências. Na primeira, o professor Edin Sued Abumansur, doutor em Ciências Sociais e professor do Programa de Pós-graduação em Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, provocou uma reflexão sobre as diversas definições de religião, a partir de uma visão sociológica, destacando a diferença entre a religião nas sociedades arcaicas e modernas.

Luis Mauro de Sá Martino, doutor em Ciências Sociais e professor do Programa de Mestrado em Comunicação e do Curso de Jornalismo da Faculdade Cásper Líbero, ministrou a segunda conferência do dia. Em sua fala, abordou questões sobre a midiatização e o pluralismo religioso na cidade. Para ele, a mídia potencializa a alteridade da religiosidade e a midiatização amplifica a presença da religião na sociedade.

A última conferência foi proferida por Maurício Ribeiro da Silva, doutor em Comunicação e Semiótica, arquiteto, urbanista, professor e coordenador do Programa de Pós-graduação em Comunicação e Cultura Midiática da Universidade Paulista. Ele frisou que a cidade é um produto da história e um espaço onde se relacionam os elementos do imaginário, inclusive no campo religioso.

Para a professora Magali Cunha, a importância de discutir essa temática se dá devido às recentes manifestações religiosas que são fundamentalmente urbanas. Um exemplo disso é a arquitetura religiosa dos grandes templos que fazem parte da dinâmica das cidades, interferindo no processo comunicacional – não apenas midiático ou interpessoal, mas no visual. O professor Jorge Miklos complementou a fala da professora citando outros exemplos, como a convivência da paisagem urbana das megacidades com Marchas e Jornadas, “erodindo a fronteira entre o sagrado e o profano”.

Após as conferências, os mais de 60 participantes retomaram as atividades no período da tarde com a realização dos Grupos de Trabalho (GT). Neste ano, o evento contou com 53 trabalhos aprovados. Foram organizados dez GTs, sendo eles: Religião, cidade e espaço público midiatizado; Mídia e autoridades religiosas; Religião e Ciberespaço; Corpo, Gênero e Imaginário Midiático; Cristianismo Midiático I; Cristianismo Midiático II; Mídia e Diversidades Religiosas; Mídia, Religião e Política; Rito, consumo e espetáculo em tempos de midiatização; e Processos comunicacionais e religião. Os anais com todos os trabalhos aprovados e apresentados na Eclesicom 2015 já estão disponíveis para consulta no link: www.metodista.br/eclesiocom/2015/anais.

Parcerias – A edição 2015 da Conferência Brasileira de Comunicação Eclesial (Eclesiocom) aconteceu graças à parceria celebrada entre a Cátedra UNESCO/UMESP de Comunicação, a Universidade Paulista e Universidade Metodista de São Paulo. Segundo o prof. Jorge Miklos, da Universidade Paulista, que foi o coordenador local do evento, a realização do Eclesiocom também foi uma oportunidade de consolidação das parcerias entre os Grupos de Pesquisa das duas universidades, além de dar maior visibilidade ao campo de pesquisa em Mídia e Religião, em franca expansão nas pesquisas em comunicação.

Segundo a coordenadora geral da Eclesiocom, professora Magali Cunha, da  Universidade Metodista de São Paulo, a qualidade da edição 2015 da conferência é resultado de crescimento gradativo desse campo de pesquisa. “Não é mais possível estudar comunicação no Brasil sem levar em conta o lugar da religião bem como não é mais possível estudar religião sem levar em conta os processos comunicacionais que com ela interagem.  A Eclesiocom se firma, portanto, como esse espaço interdisciplinar, plural, em que a interface comunicação-mídia-religião é objeto privilegiado”, afirmou.

A edição 2016 da Eclesiocom deve acontecer no Centro Universitário Adventista de São Paulo (UNASP), localizado na cidade Engenheiro Coelho, localizada nas proximidades da cidade de São Paulo. 

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: , , , ,