Ir para o conteúdo.

.
Você está aqui: Página Inicial / JBCC / Comunicação & Sociedade abre chamada para submissão de trabalhos

Comunicação & Sociedade abre chamada para submissão de trabalhos

Pesquisadores são convidados a refletir sobre a ascensão da “nova direita” no país

06/12/2018 20h16

Nila Maria

A Revista Comunicação & Sociedade, editada pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Metodista de São Paulo (PósCom/UMESP) abriu, nesta semana, chamada para a submissão de trabalhos que irão compor o Dossiê “O bolsonarismo e a mídia: fake news, pós-verdade e a ascensão do populismo de direita no Brasil e no mundo”.

Em 2017, a Communication & Society (v.9, v.20) publicou uma edição especial tratando sobre a guinada de discursos populistas de direita no mundo, mostrando o crescimento do número de trabalhos e pesquisas acadêmicas que abordam este tema, igualmente apresentado na coletânea “Trump and the Media”, publicado pelo Massachussets Institute of Technology (MIT). Os trabalhos têm em comum o destaque ao uso da internet por parte das lideranças a fim de propagar seus discursos e organizar seus apoiadores, além do uso do novo ambiente midiático de maneira estratégica pelos conservadores.

Isso também tem sido discutido no Brasil há alguns anos. Em 2015, a Fundação Perseu Abramo publicou a coletânea “Direita, volver!”, falando sobre como o espectro político da direita voltava a ganhar protagonismo em um cenário de manifestações populares de insatisfação com o governo da época.

Assim, com a eleição de Jair Bolsonaro, a temática ganha ainda mais força e, por isso, os organizadores da Comunicação & Sociedade convidam pesquisadores para refletir sobre a “nova direita” que emerge no país através da produção de artigos de pesquisa, entrevistas e ensaios que enfatizem as características comunicacionais e midiáticas dos objetos de estudo.

Os editores da revista sugerem os seguintes temas:

• Análises sobre as Eleições 2018, com ênfase nas estratégias desenvolvidas pela campanha de Bolsonaro à presidência, no uso das mídias sociais (Facebook, Twitter, YouTube, WhatsApp, e outras), e na articulação entre campanha online e mobilizações nas ruas.

• Reflexões sobre o aspecto performático de manifestações de apoio aos candidatos: coreografias, carreatas, o comércio de roupas e acessórios.

• Análises sobre a cobertura midiática das eleições, o papel da imprensa de prestígio (quality press), as ameaças à liberdade de imprensa, pressões e ataques a profissionais, a credibilidade dos meios tradicionais em xeque.

• Estudos sobre os efeitos da difusão e circulação de fake news, limites éticos da propaganda eleitoral e a atuação de grupos de interesse e núcleos profissionalizados na campanha de Bolsonaro e seus aliados.

• Avaliações sobre o Horário Gratuito de Propaganda Eleitoral e mudanças no ecossistema midiático das campanhas.

• Investigações sobre recursos retóricos e estratégias discursivas empregadas pelos candidatos e sua militância: memes, áudios e vídeos virais, santinhos virtuais etc.

• Estudos sobre o impacto e os limites da campanha negativa, incluindo manifestações e ações coletivas de agravo à candidatura de Bolsonaro (#elenão, #caixa2dobolsonaro).

• Reflexões sobre o discurso moral (contra a corrupção, contra a “ideologia de gênero”, contra o “feminismo” e pelos bons costumes), o discurso de ódio, e o antipetismo.

• Discussões sobre as fronteiras teórico-epistemológicas do conceito de populismo e sua relação com a mídia, construções identitárias da “nova direita”, e o recrudescimento de grupos conservadores no Brasil e no exterior.

• Análises comparadas da trajetória e das estratégias de comunicação de Bolsonaro e outros políticos associados à direita e à extrema direita no Brasil e em outros países (Trump, Berlusconi, etc.).

• Investigações sobre produções midiáticas ficcionais que evocam imaginários e valores morais conservadores (como p.ex. O Mecanismo).

• Reflexões sobre o papel de celebridades midiáticas no processo eleitoral.

• Antecedentes da Era Bolsonaro: Junho de 2013, o golpe de 2016, a prisão de Lula, e outros acontecimentos marcantes recentes.

• Horizontes e perspectivas sobre as relações entre mídia e democracia.

A data limite para a submissão dos textos é dia 25 de fevereiro de 2019 e o dossiê será publicado até 30 de abril.

Para saber mais sobre as diretrizes de publicação, acesse este link.

Comunicar erros