Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Letras - Tradutor e intérprete / Estágios / Estágios

Estágios

I - Justificativa
Os cursos de graduação nas diversas áreas vêm se apresentando cada vez mais específicos e direcionados a faixas de atuação específicas, selecionando cada vez mais o público de alunos ingressantes na universidade. A rapidez na transmissão de informações, as novas tecnologias e o irrefreável processo de globalização que nos atinge diretamente como povo de um país em desenvolvimento e dependente da atuação dos povos considerados economicamente mais independentes transforma a educação e, mais especificamente, a educação de jovens e adultos universitários em um paradoxo sem fronteiras. Em outras palavras, ou treina-se para a especificidade, assumindo tanto a fragmentação trazida por essa posição quanto a postura de nação dependente; ou educa-se para a cidadania e a democracia como pilares de uma formação sólida e pautada em valores trazidos pela própria palavra universidade, ou seja, oferece-se aos alunos em formação a possibilidade do contato, da discussão e da circulação de ideias, objetivando a formação de um profissional consciente e cidadão. Nesse processo, os profissionais da linguagem têm um papel primordial já que é por meio deles que há o estabelecimento do contato entre culturas pela comunicação verbal em todas as suas formas. Mesmo a mais simples forma de diálogo entre dois sujeitos posicionados em culturas diferentes e falantes de línguas diversas têm como pano de fundo o aprendizado de uma língua estrangeira e, com ela, a inserção dos sujeitos no mundo dos falantes dessa nova língua, o que é feito pelo professor de línguas estrangeiras. No caso da tradução especificamente, a situação torna-se mais complexa e pede cuidados específicos que somente um profissional consciente de seu papel nesse processo de mediação entre culturas pode fazer, ou seja, a tradução de um texto de uma língua de saída para outra língua alvo exige do tradutor conhecimentos linguístico-culturais que, ao serem deixados de lado por um profissional desqualificado, podem fazer a diferença entre a dominação e a dependência e a cidadania e independência. Por isso, o tradutor torna-se um mediador de culturas de grande importância e principalmente de imensa responsabilidade social. Com esses fatos em mente, o curso de Letras da Universidade Metodista de São Paulo, com sua tradição de trinta anos na formação de profissionais das letras, observando a nova organização do presente e com os olhos voltados para um futuro muito próximo e seguindo as tendências mundiais de pesquisa sobre o funcionamento e o uso de novas linguagens, estabelece neste texto os parâmetros para o Estágio Superviosionado em Tradução para os alunos do Curso de Tradutor Intérprete.

 

II. Objetivos
O Estágio Supervisionado em Tradução tem o objetivo principal da formação e do aperfeiçoamento linguístico-ético do futuro tradutor. Esse objetivo principal subdivide-se em objetivos linguístico-funcionais, teóricos, éticos e acadêmicos, entendidos da seguinte forma:

  • Objetivos lingüísticos funcionais:
  • aperfeiçoamento linguístico dos alunos de tradução por meio da melhora e do refinamento das habilidades produtivas e receptivas em língua estrangeira e materna;
  • aprofundamento do viés linguístico, observando questões de aplicação prática em várias formas e enfoques;
  • refinamento das intuições sobre as questões da linguagem por meio da reflexão, discussão e comparação de problemas linguístico relacionados à tradução em suas várias formas e enfoques;
  • Objetivos teóricos:
  • aprimoramento do conhecimento sobre as correntes teóricas e suas aplicações práticas na tradução de textos verbais;
  • análise das formas e métodos de tradução objetivando a construção de uma prática reflexiva e solidamente embasada do profissional em tradução;
  • Objetivos éticos:
  • construção de uma identidade ético-crítica do profissional em tradução;
  • reflexão crítica sobre a língua e o cidadão-aluno-traduto-profissional posicionado em uma cultura;
  • Objetivos acadêmicos:
  • estímulo à pesquisa sobre questões relativas à linguagem visando à tradução;
  • estímulo à formação de pesquisadores em tradução pela troca de experiências com outros alunos e pelo contato com pesquisas na área;
  • embasamento sólido sobre questões linguísticas, reflexões e discussões teórico-culturais, objetivando a construção da identidade e da ética dos profissionais.

 

 

III. Tipos de estágio
O curso de Letras da Universidade Metodista de São Paulo em São Bernardo do Campo pensa que o aluno-tradutor em formação deverá passar por um estágio de formação específica, denominado de estágio restrito, divido em três fases: Estágio de Confecção de Glossário, Estágio de Tradução de Textos e Estágio de Revisão. O aluno deverá também passar por um estágio de formação ampla na área, denominado estágio amplo. O Estágio de Confecção de Glossário pode ser entendido como um processo de observação e acompanhamento da circulação de discursos relativos a uma formação discursiva em textos de vários gêneros. Partindo de uma língua fonte, ou Língua Inglesa ou Portuguesa, caberá ao aluno encontrar os termos correlatos na língua de chegada, acompanhando por meio da coleta de ocorrências suas nuances de sentido. O Estágio de Tradução caracteriza-se como uma aplicação prática do ato de traduzir, em que o aluno entra em contato com o processo tradutório. Esse trabalho poderá vir de demanda externa, ou seja, por meio de trabalhos desenvolvidos no Escritório de Tradução e de Revisão, ou por meio de demanda interna oferecida pelo próprio supervisor de estágio de tradução. O Estágio de Revisão se caracteriza pelo trabalho de revisão dos textos traduzidos na fase de estágio de tradução. Nesse momento, os alunos se responsabilizam pelo tratamento do texto traduzido, fazendo as devidas correções e adaptações necessárias para a garantia da legibilidade do texto. Além desses estágios relativos à formação prática do Tradutor-Intérprete, caracterizando o estágio restrito, os alunos deverão também cumprir 120 horas de estágio amplo, entendido como a participação em congressos e eventos relacionados à área com ou sem apresentação de trabalhos.

 

IV – As horas de estágio
Os alunos do curso de Tradutor-Intérprete devem cumprir um total de 300 horas de estágio distribuídas da seguinte forma:

  • Estágio de confecção de glossário: 60 horas
  • Estágio de tradução: 120 horas
  • Estágio de revisão: 60 horas
  • Estágio amplo em tradução e revisão/atividades científico-culturais: 120 horas
  • Total: 360 horas

O curso de Letras da Universidade Metodista considerará, para efeito de cálculo de horas, que cada lauda de 1.250 caracteres contará duas horas de estágio. O trabalho deverá ser entregue em duas cópias digitadas e em uma cópia em disquete para arquivo. Será considerado apto a terminar o curso e receber o diploma de graduação o aluno que tiver cumprido essas 360 horas, segundo documentação apropriada e assinada pelo supervisor de tradução e de revisão.

 

V – Estágio restrito: características do Estágio de Confecção de Glossário
O aluno deverá preencher a ficha de confecção de glossário aqui. O preenchimento se dá a partir do levantamento de um corpus de textos de 50.000 palavras tanto na língua de saída quanto na língua de chegada sobre um determinado tema. O glossário se dá em decorrência da comparação das ocorrências dos termos nas duas línguas.

 

VI – Estágio restrito: características do Estágio de Tradução
O aluno deve apresentar a ficha de estágio de tradução de forma que o texto em língua inglesa apareça na primeira posição e o mesmo trecho de texto traduzido para a língua portuguesa apareça na segunda posição.

 

VII – Estágio Restrito: características do estágio de revisão
O estágio de revisão não possui formulário específico, constituindo-se a partir dos trechos traduzidos no Estágio de Tradução. O aluno deve fazer uma revisão linguística do texto traduzido, apresentando soluções e críticas para os problemas encontrados. O texto traduzido originalmente não é desfeito, porque os comentários são inseridos em forma de notas de rodapé no texto. O acompanhamento do cumprimento dos estágio restritos acontece por meio da Ficha de Registro de Estágio Restrito. Todo o material produzido em estágio deve ser arquivo em arquivo eletrônico, seguindo o Relatório de Estágio Restrito.

 

VIII – Estágio amplo
O estágio amplo deve ser cumprido de duas formas. A primeira forma se dá por meio das atividades científico-culturais, que correspondem à participação dos alunos nas semanas culturais, nos congressos e simpósios dentro e fora da universidade. O aluno poderá participar tanto como ouvinte quanto apresentar trabalhos nesses eventos. A segunda forma acontece por meio das atividades específicas ocorridas a cada semestre dentro do Escritório de Tradução e Revisão de Textos, como forma de atuação profissional do aluno.
O acompanhamento do cumprimento do estágio amplo acontece por meio da Ficha de Registro de Estágio Amplo, que contempla proporcionalmente as horas científico-culturais previstas, as horas de projeto de atuação profissional implementadas em cada semestre e outras horas complementares
O material comprobatório do estágio amplo deve fazer parte do Relatório de Estágio Amplo, apresentado aqui.

 

IX – A apresentação dos estágios
Os estágios devem ser apresentados em forma eletrônica, em um CD Rom, em dois arquivos. O primeiro arquivo deve conter os estágios restritos e o segundo arquivo deve conter os estágios amplos. A capa de apresentação do CD-ROM deverá conter as seguintes informações:

  • NOME DO ALUNO
  • ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM TRADUÇÃO/INTEPRETAÇÃO
  • MODADALIDADE: AMPLO E RESTRITO
  • UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO
  • SÃO BERNARDO DO CAMPO
  • DEZEMBRO DE 20xx

 

 

X – A finalização dos estágios
O aluno terá cumprido todos os estágios e estará apto a receber seu diploma quando apresentar toda a documentação comprobatória dos estágios para análise e aprovação do supervisor de estágio. Além disso, o cumprimento do estágio fica vinculado à apresentação dos relatórios devidamente preenchidos e das fichas de controle devidamente assinadas. Ao ser considerado cumprido, o aluno receberá uma carta de conclusão de estágio, para ser apresentada na secretaria de cursos, juntamente com as fichas de cumprimento de estágio amplo e restrito.
Além disso, a Metodista conta, em sua estrutura, com a Central de Estágios, que está voltada para o fortalecimento do vínculo teoria-prática e que tem como objetivos possibilitar e explorar meios que propiciem uma atuação diferenciada e reconhecimento da qualidade da formação profissional no âmbito dos estágios curriculares e na relação com o mercado de trabalho. Essa relação se desenvolve no contato direto com as empresas privadas, públicas, organizações sem fins lucrativos e órgãos de classe que necessitem de profissionais com o perfil traçado nesse projeto e pode subsidiar os cursos de graduação no estabelecimento de parcerias e de convênios interinstitucionais desejáveis à formação.
Em âmbito institucional, a Central de Estágios assume a função acadêmico-administrativa de orientar e articular as ações propostas pelas coordenações de curso e de estágios, com vistas a assegurar a qualidade do estágio de formação profissional dos estudantes, respeitando as particularidades de cada curso.

 

Parcerias

O curso tem uma parceria com o Colégio Metodista Rudge Ramos que oferece espaço para os alunos desenvolverem atividades relacionadas ao Estágio Supervisionado, que em alguns casos pode ser remunerado ou não.
Acesse todos os formulários necessários para o seu estágio no site da Central de Estágios.

 

Comunicar erros

SILVIO PEREIRA - COORDENADOR

Veja o minicurrículo

 


Receba informações de oferecimento deste curso

 

tradutor-e-interprete.jpg

Receba informações de oferecimento sobre esse curso: