Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / RPCOM / Sociedade & Meio Ambiente / Os desafios das mulheres que ocupam cargos de chefia

Os desafios das mulheres que ocupam cargos de chefia

A evolução no mercado corporativo é lenta, porém contínua

08/10/2016 00h20 - última modificação 08/10/2016 00h21

Érica Tresinari, gerente de projetos de 3 contas do grupo E.life.

Heloisa Nogueira
Luiza Buscarino
Foto: Arquivo pessoal 

 

O século XXI vem sendo marcado por diversas mudanças culturais, sociais, econômicas e políticas, entretanto está distante de atingir equidade de gênero no mercado de trabalho. Principalmente em cargos de chefia, as empresas buscam por profissionais do sexo masculino por acreditarem transmitir uma maior credibilidade, mascarando assim, o machismo presente na sociedade.

A mudança no mercado corporativo ganhou força nos últimos anos. Conforme prova a pesquisa da International Business Report (IBR) – Women in Business, realizada pela Grant Thornton em 36 países, a presença de mulheres em cargos de CEO aumentou de 5% em 2015 para 11% em 2016, confirmando às empresas conservadoras que as mulheres estão igualmente aptas para administrar organizações.

A publicitária e gerente de projetos do grupo E.life Érica Tresinari, 22 anos, relata que: “especificamente quando falamos de machismo, são inúmeros os encontros e esbarrões no mercado, pois temos sim mulheres nas empresas, mas não podemos esquecer que nos cargos mais altos e, principalmente, de contato com o cliente é "O", nada de "A".

Combatendo preconceitos, mulheres que conquistam seus espaços tendem a criar oportunidades para outras mulheres que as seguem, sendo assim, quebram o paradigma de que “lugar de mulher é na cozinha” e sim, onde quiserem. Segundo Érica, em sua empresa esta condição já mudou: “90% dos cargos de gerência onde eu trabalho pertencem às mulheres, que são capazes de coordenar projetos e são excelentes profissionais”.

Apesar dos desafios, existe uma continua mudança nessa realidade e muito se deve às mulheres que persistem na luta para alcançar as posições que desejam. Além disso, as organizações estão se conscientizado e acompanhando este processo, e possivelmente dentro de alguns anos, mulheres se tornem referencias em diversas áreas.  

           

           

           

 

Comunicar erros


X