Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / RPCOM / Sociedade & Meio Ambiente / O uso de Microbeads na indústria cosmética

O uso de Microbeads na indústria cosmética

Alternativas ecológicas de substituição deles estão entrando no mercado

27/09/2017 23h38

Karina Rodrigues Silva, química que atua na indústria de produção cosmética

Gabriela Brito
Giulia Merolla
Foto: Gabriela Brito


Microbeads ou Microplásticos são partículas plásticas utilizadas na produção de cosméticos esfoliantes, sabonetes e cremes dentais. Mesmo sendo extremamente pequenas, geralmente menores que dois milímetros, vêm causando grandes danos ao ecossistema mundial.

Devido a sua espessura e utilização, toneladas deste material são despejadas em rios e oceanos anualmente. Um dos agravantes da poluição gerada por essas micropartículas, é sua alta capacidade de absorver toxinas, o que faz com que sejam consideravelmente mais contaminadas que a água ao seu redor.

Além da alta concentração dessas partículas no oceano, estas são facilmente ingeridas por animais marinhos, que tem suas condições de saúde prejudicadas podendo chegar a morte e assim desequilibrando seu ecossistema regional. Como parte desses animais são utilizados na alimentação humana, essa contaminação vem atingindo parte considerável da população mundial.

Para incentivar a extinção do uso de tais partículas, já existem ONGs internacionais como a Beat The Microbead que promovem a ideia e indicam produtos que possam conter as esferas plásticas. No âmbito governamental, alguns países europeus, mais especificamente: França, Finlândia, Islândia, Irlanda, Luxemburgo e Noruega já proibiram a utilização dos micropláticos na indústria de higiene e cosmética.

Karina Rodrigues Silva, química que atua na indústria de produção cosmética, afirma que seguindo essa tendência mundial, o Brasil também está se movimentando para banir o uso dos Microbeads e que não existem grandes barreiras nesse processo, uma vez que empresas já detêm alternativas naturais, derivadas de plantas e minerais, para substituição.

A questão da qualidade dos produtos também é levantada por Karina. A utilização de esferas naturais agrega valor aos produtos pois possibilita redução na oleosidade de cremes, transparência em sabonetes e pastas de dente, além de uma textura mais estável a todos os produtos de cuidados pessoais.

Portanto, felizmente cada vez menos, os Microbeads estarão disponíveis no mercado.

 

Comunicar erros