Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / RPCOM / Sociedade & Meio Ambiente / Como a mídia trata polêmicas como o racismo

Como a mídia trata polêmicas como o racismo

O posicionamento dos veículos de comunicação no caso de injuria racial contra o goleiro Aranha

02/10/2014 01h32

Fernanda Gimenez Melo       
Natalia Rufino
Foto: Bruno Cantini

Segundo o dicionário Aurélio, o racismo é um “Sistema que afirma a superioridade de um grupo racial sobre os outros, preconizando, particularmente, a separação destes dentro de um país (segregação racial) ou mesmo visando o extermínio de uma minoria (racismo antissemita dos nazistas)”. Infelizmente, em pleno século 21, o racismo ainda é presente no cotidiano de muitos brasileiros. Muitos dizem que não existe mais esse tipo de preconceito, mas é só os ânimos se alterarem que tudo vem à tona!

 Um caso que mostra isso claramente é o episódio ocorrido com o goleiro do Santos, Aranha, que foi vítima de injúria racial durante uma partida contra o Grêmio, no dia 28 de agosto de 2014. A torcida adversária o chamava de “macaco” e outros termos racistas. O que ninguém esperava é que ele tivesse alguma atitude perante o episódio, porém o goleiro denunciou o crime. Patrícia Moreira foi flagrada pela câmera do canal ESPN xingando Aranha repetidas vezes e o caso foi levado à Justiça.

 O caso repercutiu por todos os canais midiáticos do Brasil e durante dias foi exaltado. Opiniões a favor do jogador ou em defesa da torcedora fanática foram expostas nas redes sociais. A imprensa expôs o acontecimento de forma que Patrícia Moreira ficou vulnerável a ameaças e teve sua casa incendiada. Por outro lado, a mídia destacou muito a ré e a colocou em posição de “injustiçada” por ter sido julgada por um momento de exaltação emocional e, em certos momentos, o goleiro foi tido como exagerado em sua decisão de seguir com o processo.

 O goleiro está sendo tratado por algumas pessoas como herói por estar colocando a questão da discriminação racial em destaque e procurando por justiça. Segundo o sociólogo do esporte, Ronaldo Helal, em entrevista concedida ao portal do “Globo Esporte” o preconceito é adquirido culturalmente: “Ninguém nasce preconceituoso, um bebê não nasce preconceituoso. Preconceito é uma coisa que você aprende, da mesma maneira que você aprende a ser preconceituoso você pode aprender a não ser preconceituoso.  Já a discriminação racial é prima-irmã do preconceito. É quando você segrega por questões raciais e a discriminação racial você combate com leis severas. Que é o que está acontecendo agora. E isso mudou, ou seja, mudou porque você tem leis hoje que punem a discriminação racial”.

Comunicar erros