Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / RPCOM / Notícias / 2011 / Outubro / Profissional recém formado pode encarar desafios decisivos como trainee

Profissional recém formado pode encarar desafios decisivos como trainee

Empresas de grande porte são exigentes nos processos seletivos para Trainees

12/09/2011 17h23 - última modificação 08/08/2014 13h25

Patrícia Sampaio, representante do RH do Grupo Suda América

Luiza Avancine, Nathalia Sampaio, Isabela Guimarães e Caio Burato
Foto: Nathalia Sampaio
 
Empresas de grande porte, como a Nestlé, Unilever e Itaú abriram processos seletivos para vagas de Trainee. Os processos são bastante rígidos e com  diversas etapas. Para concorrer à vaga é preciso ser um profissional recém formado ou estar cursando o último ano de graduação.


As empresas investem no Trainee, pois futuramente este pode exercer cargos estratégicos dentro da organização. A gerente de Rh do grupo Sudamérica, Patrícia Sampaio, destaca a importância do comprometimento do trainee com a empresa como chave para alcançar boas colocações. “Normalmente a disputa é grande para ser um trainee, assim o mínimo que se espera dos profissionais é ver a mesma garra que conquistou o emprego, no dia-a-dia em seu trabalho".


O tempo necessário para um trainee tornar-se um funcionário efetivo depende somente do seu desempenho e esforço. A expectativa é que ele conquiste melhores cargos entre um ano e meio e dois anos. No entanto, não existe um critério específico.


Na Área de Comunicação especificamente é esperado que o Trainee desenvolva um excelente relacionamento com todos os setores da empresa, tendo a possibilidade, portanto, de compreender e interagir com a cultura da organização, além de aprender conceitos, linguagem profissional e aprofundar seu conhecimento sobre o negócio, (estratégias, mercados, tecnologia, clientes, fornecedores e consumidores, etc.).


O Trainee também deve entender as necessidades de clientes e fornecedores, gerando assim  experiência profissional e retorno à organização para a qual trabalha.

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: