Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / RPCOM / Notícias / 2011 / Outubro / Brasil recebe primeiro curso de Cool Hunting e Inovação

Brasil recebe primeiro curso de Cool Hunting e Inovação

A meta é atingir profissionais e estudantes que queiram incorporar as técnicas aos negócios e às organizações

12/09/2011 17h23 - última modificação 08/08/2014 13h25

Luis Rasquilha, sócio da empresa AYR Consulting, Trends & Innovation

Jéssica Corrêa, Katila Garcia e Paula Lima

Foto: arquivo pessoal

A cidade de São Paulo recebe nos meses de setembro a novembro o primeiro curso de cool hunting realizado no país.  A iniciativa é pioneira e o Brasil é o terceiro a receber o projeto.  O objetivo é atingir profissionais e estudantes que queiram incorporar as técnicas do cool hunting aos negócios e às organizações.

A AYR Consulting, Trends & Innovation é a organizadora do curso. O sócio da empresa, Luis Rasquilha, explica que a função é uma nova tendência no mercado. A todo o momento surgem novas formas e padrões de comportamento, o profissional “cool hunter” tem a habilidade de prever as tendências e assim permitir o melhor aproveitamento de oportunidades. “Ele identifica novos movimentos que possam ser transportados para as empresas, criando ou gerando negócio para elas”, diz Rasquilha.

As habilidades de cool hunting podem ser úteis para as Relações Públicas. Saber identificar tendências auxilia o comunicador a construir um maior conhecimento sobre seus clientes e sobre todo negócio que envolve a comunicação. Um profissional atento pode ajudar sua empresa a antecipar o futuro e se preparar melhor para uma possível crise. Para Rasquilha, “as tendências ajudarão sempre os profissionais de RP a construir o seu entendimento sobre o negócio da comunicação e sobre os seus clientes podendo fazer com que a sua atuação seja mais eficaz”.

O curso de especialização em análise de tendências acontece no auditório do edifício EDP. São 14 aulas com especialistas que irão dividir suas experiências e discutir sobre casos de sucesso de empresas e marcas na Europa, Ásia, América Latina e nos EUA.

 

 

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: