Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / RPCOM / Nosso Campus / Projeto Aquarela insere idosos na comunidade acadêmica

Projeto Aquarela insere idosos na comunidade acadêmica

Ponto chave é resgatar autoestima e a solidariedade entre gerações

09/10/2015 00h25

Participantes do projeto em uma das oficinas do Projeto Aquarela. Foto: Núcleo de Arte e Cultura

Filipe Poli
Leandro Santos Nunes

A Universidade Metodista, além de seus cursos tradicionais de graduação, também investe em projetos que beneficiam a comunidade, dentre eles podemos destacar o programa da Terceira Idade, que busca a integração dos idosos, os auxiliam a ter a oportunidade de circular e conhecerem um pouco mais o ambiente universitário.

Batizado como Aquarela, nome que é dado para a técnica de mistura de tintas que são diluídas em água, o projeto utiliza a mescla de juventude com maturidade, fazendo jus ao nome, seguindo também o seu lema que é
‘’solidariedade entre gerações’’.

Este projeto foi inicialmente criado pelo Núcleo de Arte e Cultura da Universidade, que atua há mais de dez anos. Cláudia Cezar, coordenadora do núcleo, diz que ‘’o objetivo de trabalho é a valorização da diversidade humana e as diferenças’’.

Existem três frentes que abordam a cultura afro, as pessoas deficientes e principalmente o idoso, onde a Metodista é pioneira em trabalhos com este público. A universidade investiu em uma faculdade para a terceira idade que funcionou durante dez anos, no campus Vergueiro.

Vendo a oportunidade de trabalhar com a terceira idade novamente, surgiu o projeto Aquarela, e Claudia explica que o Núcleo tinha a intenção de promover a inserção da Terceira Idade com os estudantes da universidade: ‘’o encontro da sabedoria que os idosos acumulam com a vontade de aprender dos mais jovens’’.

O Projeto Aquarela conta com oficinais que vão desde cuidados com aparência, com a autoestima e pratica de hábitos saudáveis até aulas de teatro e coral. Existem também cursos como a inserção da terceira idade no mundo virtual, onde o participante tem a oportunidade de ter um curso básico de iniciação à informática.

Muitas destas oficinas não ficam só na sala de aula, os participantes mostram o que aprendem em exposições e durante o Dia da Universidade Aberta. Na semana do idoso, que ocorre no começo de Outubro, a Terceira Idade mostra o que aprende nos cursos e oficinas. O coral se apresenta para os alunos da universidade e há rodas de discussão com enfoque nos idosos.

Os benefícios que o Programa  traz são diversos, além de ajudar muitos idosos a deixar de pensar que envelhecer é uma coisa ruim, existe uma troca de sabedoria entre os envolvidos com o projeto e seus participantes e todos acabam aprendendo de alguma forma.

‘’Eles gostam muito do espaço da universidade, eles se sentem acolhidos, sentem uma oportunidade de estar dentro da Metodista’’ acrescenta Claudia Cezar.

Comunicar erros