Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / RPCOM / Carreiras e Tendências / Viajar também pode ser uma oportunidade para aprender um novo idioma

Viajar também pode ser uma oportunidade para aprender um novo idioma

A procura por conhecer uma nova língua tem aumentado cada vez mais

22/11/2017 22h58

Shee Razade em uma de suas viagens pelo continente asiático

Gabriel Vasconcellos
Foto: Arquivo pessoal

          Não é de hoje que se nota a importância de aprender um novo idioma, o avanço da globalização tem aproximado cada vez mais as pessoas, empresas e seus interesses de cada canto do mundo. Essa comunicação até pouco tempo era limitada, mas atualmente a procura por aprender uma nova língua tem aumentado, tanto para a realização de viagens internacionais, como para uma nova colocação no mercado ou se atualizar mediante a multinacionalização.

            O inglês já se tornou básico nessas relações. Por ser a língua universal, é a mais buscada por quem deseja aprender e principalmente se comunicar com alguém de outro país, seguida pelo espanhol, que hoje é o segundo idioma mais falado mundialmente. Assim como possuem várias razões para se estudar estes idiomas, encontra-se com muita facilidade inúmeros métodos de aprendizados disponíveis, dos mais tradicionais como em salas de aula, aos que intensificam a fluência e conversação em experiências individuais, ou até mesmo em aplicativos e sites da internet.

            Entre os diversos meios citados, há também quem procure aprender o idioma viajando para outros países, vivenciando a cultura e o dialeto sem mesmo dominar a língua. Mas isso é possível? É sim, pode se sofrer algumas dificuldades para se comunicar no início, mas é um método para quem não tem medo de se arriscar e é mais comum do que imaginamos.

            Para a francesa Shee Razade, que viaja a diversos países realizando trabalhos voluntários, viajar sem saber o idioma e com o objetivo de aprender não é uma dificuldade. Atualmente ela possui domínio em inglês, espanhol, árabe, malaia (Indonésia), reunionese creole (Ilha de Reunião) e o nativo francês: “Quando comecei a viajar, o mais complicado foi aprender o inglês, já que na França não possuímos o costume e me confundia muito, mas a vontade foi maior”.

            Ela também afirma que o inglês foi uma porta para desbravar outros países e comenta: “A questão é sempre se comunicar, mesmo não conhecendo o idioma, nada melhor que a conversação para ir se habituando aos poucos, comigo sempre funciona”. Shee Razade deseja voltar em breve ao Japão e a Coreia do Sul para tentar desbravar novos idiomas, além do português, pois tem planos de visitar o Brasil um dia.

            Por meio de uma viagem ou mediante as diferentes formas de obter conhecimento, independente de qual a pessoa se adapta melhor, é importante ter a percepção que o mundo esta cada vez mais interligado, e que limitar-se pela falta de um idioma não é mais uma opção, mas um desafio cada vez mais presente na rotina dos brasileiros.

 

Comunicar erros