Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / RPCOM / Carreiras e Tendências / Vai de Fusca

Vai de Fusca

Um sonho vivido em quatro rodas junto a uma bagagem de fé e liberdade

12/12/2016 17h57

Natanael, o pai Francisco e o Fusca que os acompanha sempre

Ariel Diego
Jeniffer Menezes
Mayara Amorim
Foto: Arquivo Pessoal

Fusca, Fusquinha ou Fusqueta...

O automóvel que transcende gerações, já foi protagonista de grandes sucessos do cinema americanoe sem dúvida foi um dos protagonistas na vida do jovem empreendedor Natanael Sena.

Partindo de um sonho que a princípioera uma loucura para alguns, Sena partilhou de incríveis histórias que resultou em grandes experiências e um novo olhar pela vida.  E para se aventurar nesse sonho nada melhor que ter como boa companhia o simples e eficiente Fusca, e claro, sua maior inspiração, Francisco, seu pai.

Na busca de viver algo diferente e se libertar da rotina do dia a dia, pai e filho embarcaram na viagem mais emocionante de suas vidas pela América Latina, sendo narrada em tempo real pelas redes sociais, após dois anos reformando o Fusca 1984,contando com uma boa dose de fé e liberdade.

A primeira viagem durou 32 dias rumo ao Uruguai, passando pelo Chuíaté chegar a Punta Del Diablo. Foi um grande estímulo para o sonho se tornar um projeto real e novamente caírem de cara em mais uma aventura, que durouaproximadamente 30 dias ininterruptos, dirigindo de 8 a 10 horas por dia, cruzando o Brasil rumo ao Acre, passando pela tríplice fronteira (Brasil/ Colômbia/Peru) até chegar a Cuzco.

Durante este último percurso o Fusca não deu trabalho, a não ser algumas despesas causadas pelos buracos que encontravam no meio da estrada, o que acarretou em lesões na suspensão e na porta. Natanael registrou um buraco de quase 3 metros de profundidade no interior do Acre.

Sena conta ainda, que durante a última viagem, ao cruzarem a fronteira do Brasil com o Peru em direção ao ponto mais alto da Cordilheira dos Andes, chegaram a uma altura de quase 6 mil metros acima do nível do mar, realizando uma travessia que durou dois dias.

Um balão que tinha dentro do carro explodiu pela forte pressão. Foi um período difícil, já que tudo faltou: ar, água, comida, local para dormir. O único abrigo que tinham era o fiel Fusquinha e a fé que os sustentava. Sem dúvidas, essa travessia e o tufão que pegaram na Fortaleza de Santa Teresa, foram os pontos mais críticos da viagem.

Hoje, o projeto Vai de Fusca tem mais de 40 mil seguidores nas redes sociais, diversas palestras realizadas e um livro com fotos e relatos sobre as aventuras que viveram, sendo ele publicado e lançado dentro da OMA Galeria, uma das principais galerias de arte de São Paulo.

Uma das fotos tirada durante a primeira viagem foi premiada pela Pinacoteca de São Paulo e pela British Council (Organização Internacional do Reino Unido para Relações Culturais).  Hoje, além de terem duas colunas em diferentes revistas, contam com grandes apoiadores, como Volks, Samsung, Reserva,Notiluca e participações exclusivas na corrida de clássicos em Interlagos (SP).

Quem imaginaria que uma viagem de pai e filho a bordo de um dos automóveis mais antigos, resultaria em uma das histórias mais alucinantes e recheadas de puro amor?

Três personagens que ao longo dessa estrada conheceram pessoas incríveis e fizeram grandes amizades, certamente não são mais vistos como loucos. Afinal, não é qualquer um que sai do seu aconchego apenas com uma rota em mãos e um tanque cheio, disposto a aceitar o que a vida tem alhe oferecer.

Natanael ainda nos garante, a vida sempre nos surpreende de forma positiva epor isso  vale a pena viver.

E aí, que tal uma voltinha de Fusca?

 

 

 

Comunicar erros