Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / RPCOM / Carreiras e Tendências / Música: profissão ou diversão?

Música: profissão ou diversão?

Os desafios da carreira musical para o profissional brasileiro

22/11/2017 22h38

Antonio Francisco da Costa Junior e Marco da Costa

Beatriz Costa
Beatriz Araujo
Foto: arquivo pessoal

A música faz parte da cultura da humanidade, ela está por toda parte, e em cada fase das nossas vidas tem uma importância e um significado diferente, envolvendo sentimentos e sensações. As pessoas responsáveis por transmitir a música ao mundo seguem uma carreira que não é fácil de conquistar, não tendo o seu devido reconhecimento perante a sociedade.

Dois irmãos apaixonados pela música decidiram seguir carreira, porém, cada um foi por um caminho diferente. Marco da Costa, baterista, sempre quis "poder viajar, conhecer o mundo, poder tocar em palcos grandes, para muitas pessoas", enquanto Antonio F. da Costa Jr., baixista, pensando em estabilidade montou uma "banda de baile, onde o mercado é mais sólido".

Mesmo seguindo carreiras diferentes dentro do ramo musical cada um encontrou dificuldades pelo percurso, como "a transformação do mercado e a necessidade de se adaptar ao que ele pede" diz Antonio, além de "as pessoas só reconhecerem a linha de frente, como o vocalista, e a banda acaba sendo subestimada".

A carreira de músico tem altos e baixos, e como qualquer profissão deve ser respeitada e valorizada, afinal, por trás disso está uma trajetória intensa, cansativa e que requer muita dedicação e esforço. A música vai além das notas e melodias, ela é entretenimento, sensação e sentimento.

 "A profissão de músico no Brasil não é muito respeitada, tanto que as pessoas sempre perguntam "você só toca?", então ser músico não é considerado uma profissão. A linha que separa a profissão da diversão é muito tênue, até por isso muitos músicos acabam se perdendo, eles mesmos acabam misturando os dois" explica Marco da Costa.

Mesmo a música sendo "uma arma poderosa na sociedade, tanto ela pode propagar uma mensagem violenta como de paz, então ela tem um poder absurdo. Você pode ver pelo próprio rap o poder que os textos e a poesia têm, como o rock ou o samba também se você presta atenção na letra da música, então a influência da música é vital, da arte em geral na verdade, e não só no comportamento da atitude como no jeito de se vestir também", completa Marco.

 

Comunicar erros