Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / RPCOM / Carreiras e Tendências / Marketing Push e Pull para diferentes perfis de negócio

Marketing Push e Pull para diferentes perfis de negócio

Antes de definir estratégias deve-se definir o modo de atuação da empresa

06/09/2017 23h15

Amanda Braga, analista de marketing na indústria química e farmacêutica

Gabriela Brito Munhoz
Nyara Vicente
Foto: Gabriela Brito Munhoz

O universo dos estudos de marketing tem espaço para diversas teorias e modos de trabalhar a promoção de produtos. Dentre este montante de opções podemos destacar duas técnicas distintas entre si, estas também podem ser utilizadas simultaneamente por determinados setores da economia.

Uma delas é o chamado Marketing Push, identificado por utilizar fortemente a força de vendas de seu negócio e atividades promocionais. O intuito dessa técnica é apresentar e fazer o mais conhecido possível um produto ou serviço para um público alvo, convencendo-os de sua necessidade pelo item em questão. É bastante utilizada em lançamentos e para produtos com curto tempo de vida no mercado.

 O Pull Marketing apresenta um perfil bastante diferente do citado acima, seu objetivo é fazer com que o consumidor de seus produtos ou serviços passe a procurá-lo espontaneamente após um forte trabalho de publicidade e promoção. Considera-se um case de sucesso quando uma relação de lealdade entre os públicos está estabelecida de forma sólida o suficiente para que não seja mais preciso estar em constante exposição na mídia com propagandas, uma vez que a marca se torna uma referência e passa a ser procurada. Esses casos são exemplificados com empresas de muitos anos no mercado e em sua maioria de luxo, como Lamburguini, Ferrari, Rolex e também algumas que são referência em ciência e tecnologia.

Amanda Braga, analista de marketing atuante na indústria química e farmacêutica, indica a dificuldade que os fornecedores de matérias primas (supliers) sentem para formar estratégias de marketing de guerrilha ou mais diretas, usualmente vistas em redes de consumo final (varejo), pois tendem a não ser conhecidos. Para isso, ouvir o consumidor e levar sua voz aos donos das marcas (brand owners) por meio de materiais de tendência faz com que se tornem referencias e sejam procurados por empresas que fazem uso de seus produtos.                                                                                                  

Comunicar erros