Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / RPCOM / Carreiras e Tendências / A influência da família na escolha do curso

A influência da família na escolha do curso

A expectativa e a realidade dos jovens em um momento tão importante

07/10/2016 23h47

Giovane Aparecido Soldera, aluno do 8º semestre de RTVI

Bruna Lee Marques de Andrade
Carolina Araújo de Assis
Foto: arquivo pessoal 

 

Desde criança, nossa maior influência se encontra no nosso lar. Os pais, os irmãos, os avós... A família está sempre presente em todos os nossos momentos e nos guiando em tudo aquilo que vamos fazer: os primeiros passos, as palavras inicias, a descoberta dos nossos gostos, as dificuldades na escola, as broncas, as decepções, os conselhos e aprendizados que levamos para toda a vida.

Essa proteção é mais que necessária, mas chega um momento que precisamos andar com nossos próprios pés e escolher sozinhos. No ensino médio ainda há muita dependência dos pais, e é também um momento de conflito para o jovem que se sente pressionado a decidir o que fazer na faculdade e, consequentemente, a profissão que irá seguir. Muitas famílias ainda interferem nessa decisão, o que confunde e pode até causar desconforto para ambas as partes.

No caso de Giovane Aparecido Soldera, aluno do 8º semestre de Rádio, TV e Internet, a opinião dos pais quase modificou todo o seu percurso. Giovane nos explicou que após terminar o ensino médio no Colégio Objetivo de Mauá, teve uma prova marcada pelo pai no curso de mecânica do SENAI.

O estudante foi federado em basquete durante seis anos, e também teve a carreira interrompida por conta da influência dos pais, que não acreditavam no sucesso da profissão. Muito ligado aos esportes, relatou que tinha interesse em fazer Educação Física, mas recebeu muitas críticas de diversos familiares e desistiu da ideia. A segunda opção era o curso de Comunicação, que o atraía por conta das fotografias, clipes e outras atividades audiovisuais.

Durante o ensino médio fez técnico em contabilidade e administração e percebeu que não gostava nada dessas áreas, como sempre, o fez a mando de seus pais. Ao fazer a prova de mecânica do SENAI, não obteve êxito. Foi aí que tomou coragem para enfrentar a família e brigar fortemente por suas vontades e escolhas. No final de 2016, Giovane estará formado e, por incrível que pareça, seus parentes que tanto desconfiaram de seu sucesso, estão orgulhosos por seus trabalhos e pelo prêmio ganho este ano, como melhor clipe do Festival de Clipes e Bandas do Brasil.

A escolha profissional é muito importante e molda o caminho do jovem. Por mais que tenhamos orgulho da carreira que nossos pais seguiram, precisamos fazer aquilo que seja nossa cara, porque um bom profissional tem que gostar do seu trabalho e fazê-lo com muito amor!

A infelicidade na escolha é algo muito visto hoje. Inúmeras pessoas trocam de curso e isso é excelente, pois mostra maturidade e sabedoria em entender o que é ou não o perfil de cada um, e a força para começar novamente, independente da opinião alheia.

 

 

Comunicar erros