Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Pós-Graduação em Ciências da Religião / Notícias / Aula aberta da Pós-Graduação em Ciências da Religião aborda pensamento do filósofo Kierkegaard

Aula aberta da Pós-Graduação em Ciências da Religião aborda pensamento do filósofo Kierkegaard

Convidado foi o doutor em Filosofia e professor da USP, Franklin Leopoldo e Silva

09/11/2018 17h55 - última modificação 14/11/2018 11h17

Kierkegaard e a religião: aula apresentou a origem do existencialismo

Como parte da disciplina Hermenêutica de Textos Religiosos, o Programa de Pós-graduação em Ciências da Religião da Metodista promoveu um aula aberta no último dia 8 de outubro. O convidado foi o professor Franklin Leopoldo e Silva, da Universidade de São Paulo (USP), que apresentou o tema "Kierkegaard – Existência e Transcendência".

O docente abordou a origem do existencialismo, pensamento filosófico nascido no século XIX a partir das ideias do dinamarquês Søren Kierkegaard (1813-1855).

Em um período em que os pensamentos filosófico e religioso eram predominantemente influenciados pelo hegelianismo, corrente derivada dos pensamentos e da obra do alemão Friedrich Hegel (1770-1831), as ideias de Kierkegaard surgem como contraponto a essa visão. “Ele aparece como o exato oposto daquilo que domina sua época e se opõe de maneira muito radical às principais teses”, disse o professor. Essas discordâncias, de acordo com o docente, fazem com que Kierkegaard permaneça na "órbita" de Hegel, não sendo possível analisar o primeiro sem considerar o segundo.

texto2.jpg
Franklin Leopoldo e Silva possui graduação, mestrado e doutorado em Filosofia pela USP

Um dos principais motivos para essa oposição diz respeito à religião. Enquanto Hegel tenta encaixar a vivência religiosa dentro da racionalidade, tratando-a como uma prática a ser superada na direção da filosofia, Kierkegaard entende que essa hierarquia é inversa: a superioridade da filosofia sobre a religião deriva da pretensão de Hegel em enquadrar Deus em uma racionalidade, o que o dinamarquês considera uma ignorância.

Hegel defende que a razão é capaz de atingir o Absoluto; Kierkegaard diz não ser possível trazer Deus ao nível das convenções humanas. “Para ele, isso expõe o pensador a uma espécie de obsessão racionalista que o desvia da verdade procurada. Isso revela uma profunda ignorância acerca da finitude humana e da infinitude de Deus”, explica Leopoldo.

Além de religião, Søren Kierkegaard escreveu centenas de textos sobre ética, estética e política. Embora seu pensamento não tenha sido sistematizado em uma grande obra, há grande número de resenhas, sermões, novelas, sátiras, prefácios e ensaios de sua autoria. 


Pós em religião

O Programa de Programa de Pós-graduação em Ciências da Religião está com inscrições abertas para o 1º semestre de 2019 até 12 de novembro. Saiba mais. 

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: , , , ,
SOBRE O PROGRAMA
X