Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Pós-Graduação em Comunicação / Estrutura do Programa / Plano de Ensino / 2º semestre de 2016 / Seminários das teorias da Comunicação Social

Seminários das teorias da Comunicação Social

Marli dos Santos

Ementa: Questões epistemológicas da Comunicação: delimitação do campo e especificidade do objeto de estudo. Revisão de correntes teóricas da Comunicação Social. A perspectiva funcionalista. Efeitos da comunicação de massa na sociedade (Agenda Setting, Newsmaking e Espiral do silêncio). A Teoria Crítica da Escola de Frankfurt e o Pensamento de Habermas. O Estruturalismo e o Pós-Estruturalismo. Escola de Birmingham e os Estudos Culturais. O Pensamento Comunicacional Latino-Americano. Perspectivas teóricas sobre Cibernética, Ciberespaço e Comunicação.

Objetivos: Fomentar a reflexão teórica e epistemológica a respeito da Comunicação Social, de modo a permitir uma visão panorâmica de diferentes correntes teóricas que influenciam o campo. Desenvolver referenciais teóricos para o exercício da pesquisa e da docência em Comunicação. Promover o debate teórico entre os pesquisadores do Programa e discentes do PósCom.
Metodologia de Trabalho: Apresentação de seminários, ministrados por docentes e discentes do programa e convidados externos. Dinâmicas em sala de aula.
Avaliação: presença e participação nos seminários; apresentação de seminário; elaboração de ensaio sobre uma das teorias abordadas nos seminários, relacionando-a ou não ao trabalho de pesquisa pessoal. Entrega: 30 dias após o encerramento da disciplina.

Conteúdo Programático:

  • Ciências da Comunicação: formação do campo, institucionalização e desafios
  • Panorama das escolas de pensamento que influenciaram as pesquisas em comunicação
  • Mass Comunication Research: teorias dos efeitos limitados (modelo linear [matemático], Modelo processual [Laswell] e teorias dos efeitos limitados) e as novas abordagens (Agenda Setting, Newsmaking e Teorias dos Usos e gratificações)
  • Teoria Crítica e o Pensamento de Habermas. 
  • Estruturalismo
  • Pós-Estruturalismo
  • Estudos Culturais Ingleses 
  • Pensamento Contemporâneo Latino-americano
  • Cibernética, ciberespaço e comunicação

Cronograma

  • 03/08 – Aula 1 - Apresentação da disciplina. Introdução ao campo da Comunicação: objeto, institucionalização e desafios
  • 10.08 – Aula Magna 
  • 17.08 – Aula 2 – Panorama das escolas de pensamento que influenciaram as pesquisas em comunicação
  • 31.08 - Aula 3 - Mass Comunication Research: teorias dos efeitos limitados (modelo linear [matemático], Modelo processual [Laswell] e teorias dos efeitos limitados)
  • 14.09 - Aula 4 - Mass Comunication Research e as novas abordagens (Agenda Setting, Newsmaking e Teorias dos Usos e gratificações)
  • 21.09 - Aula 5 – Teoria Crítica e o Pensamento de Habermas – Seminário prof. José Salvador Faro
  • 28.09 - Aula 6 - Seminário do Grupo 1 – estudos inspirados na Teoria Crítica
  • 05.10 - Aula 7 – Estruturalismo e Pós-Estruturalismo nos estudos da Comunicação – Seminário profa. Elizabeth Morais Gonçalves
  • 19.10 - Aula 8 – Seminário do Grupo 2 – estudos inspirados no estruturalismo e pós-estruturalismo
  • 26.10 - Aula 9 – Os Estudos Culturais Ingleses – origem e perspectivas – Seminário ministrado pela prof. Magali Cunha
  • 19.11 - Aula 10 - Seminário do Grupo 3 – estudos inspirados nos Estudos Culturais Ingleses
  • 16.11 - Aula 11 – Pensamento Contemporâneo Latino-americano. Seminário ministrado pela prof. Cicília Peruzzo
  • 23.11 – Aula 12 – Seminário do Grupo 4 – estudos inspirados na Escola Latino-americana 
  • 30.11 - Aula 13 - Cibernética, ciberespaço e comunicação. Seminário ministrado pelo prof. Sebastião Squirra.
  • 07.11 - Aula 14 - Seminário do Grupo 5 – estudos inspirados em Cibernética, ciberespaço e comunicação
  • 14.12 – Aula 15 – Orientação sobre trabalhos individuais e avaliação da disciplina.

Referências
BELTRAN SALMÓN, Luis Ramiro. Investigación sobre comunicación en Latinoamerica. La Paz; Plural, 2000.
CITELLI, Adilson .... [et al]. Dicionário de Comunicação. São Paulo: Contexto, 2014.
COHN, Gabriel (org). Comunicação e indústria cultural, 5ª. ed. São Paulo: T.A.Queiroz, 1987.
FELINTO, Erick. Os riscos da prudência: teoria da Comunicação, disciplinaridade e a Comunicacologia de Vilém Flusser. In: FRANÇA, Vera V et al (Orgs). Teorias da Comunicação no Brasil. Reflexões contemporâneas. Salvador: Edufba, 2014.
RÜDIGER, Francisco. Teoria e história: da era da propaganda ao pensamento comunicacional. FRANÇA, Vera V et al (Orgs). Teorias da Comunicação no Brasil. Reflexões contemporâneas. Salvador: Edufba, 2014.
MARCONDES FILHO, Cilo. A nova forma de pesquisar a comunicação: a engenharia das emoções, o autômato espiritual e um campo de conhecimento que se constitui. FRANÇA, Vera V et al (Orgs). Teorias da Comunicação no Brasil. Reflexões contemporâneas. Salvador: Edufba, 2014.
FRANÇA, Vera V et al (Orgs). Teorias da Comunicação no Brasil. Reflexões contemporâneas. Salvador: Edufba, 2014.
GOBBI, M. C. (2008). A batalha pela hegemonia comunicacional na América Latina. São Bernardo do Campo: Editora da Universidade Metodista.
HABERMAS, Jürgen. Mudança estrutural da esfera pública. Bauru, SP: Editora Unesp, 2014
HORKHEIMER, Max. Teoria Crítica I, 3ª. ed. São Paulo: Perspectiva, 2008.
HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 7ª.ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.
JAKOBSON, Roman. Linguística e comunicação. 20ªed. Cultrix, SP, 1995.
LEÓN DUARTE, G. (2007). Escola Latino-Americana de Comunicação – a nova hegemonia. São Bernardo do Campo: Editora da Universidade Metodista.
LOPES, M. Immacolata Vassalo de (org.). Epistemologia da comunicação. São Paulo: Loyola, 2003.
MARTIN-BARBERO, Jesús. Dos Meios às Mediações: comunicação, cultura y hegemonia, Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1997.
MARTIN-BARBERO, Jesús. Ofício de cartógrafo: travessias latino-americanas da comunicação na cultura. São Paulo: Loyola, 2004.
MARTINO, Luiz C. (org.) Teorias da comunicação: muitas ou poucas? Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2007.
MATTELARD, Armand; MATTELARD, Michèle. História das Ciências da Comunicação. Porto Alegre, Campo das Letras, 1997.
MELO, José M.de; GOBBI, M.C.(Orgs.). Pensamento comunicacional latino-americano. São Bernardo do Campo: Editora Metodista, 20004.
MORAGAS SPÁ, Miquel de. Interpretar La comunicación. Estudios sobre médios em América y Europa. Barcelona: Gedisa, 2011.
PERUZZO, C.M.K. ; Tufte, T.; Veja Casanova, J. (2011). (Orgs.). Trazos de una outra comunicación en América Latina: práticas comunitárias, teorias y demandas sociales. Barranquilla: Universidad Del Norte, 2011. 334p.
PETERS, Michael. Estruturalismo e pós-estruturalismo. Disponível em: http://www.rubedo.psc.br/Artlivro/estpost.htm, acesso em 06/02/2007
SAUSSURE, Ferdinand. Curso de Lingüística Geral. Tradução de Antônio Chelini, José Paulo Paes e Izidoro Blikstein. 3 ed. São Paulo: Cultrix, 1986.
SILVA, Eduardo Lins da et al. Ciências da Comunicação no Brasil. 50 anos de história para contar. São Paulo, Vol.1, 2 e 3. São Paulo: FAPESP, INTERCOM, UNESP, 2015.
WOLF, Mauro. Teorias da Comunicação, 2ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

Comunicar erros

SOBRE O PROGRAMA