Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Omabc / 2019 / 16ª Olimpíada da Matemática do Grande ABC atrai mais de 4,2 mil inscritos

16ª Olimpíada da Matemática do Grande ABC atrai mais de 4,2 mil inscritos

10/06/2019 18h50 - última modificação 11/06/2019 20h15

Alunos do Fundamental ao Médio participam da primeira fase. Foram 67 escolas inscritas (fotos Malu Marcoccia)

Muitos focados na conquista de uma medalha, outros apenas querendo testar conhecimentos para o vestibular, mas todos com um gosto em comum: números, cálculos e geometria. Com um exército de 4.212 inscritos, desde o 6º ano do Fundamental ao último período do Ensino Médio, alunos do Grande ABC compareceram em peso ao campus Rudge Ramos da Universidade Metodista de São Paulo na tarde de 8 de junho último, em mais uma etapa regional da Olimpíada da Matemática, este ano na 16ª edição.

Foi a primeira fase da competição, em que os participantes responderam questões de múltipla escolha. Na segunda fase programada para 16 de outubro terão que resolver questões discursivas. A promoção do evento e correção das provas estão a cargo do curso de Matemática da UMESP. Haverá medalhas de Ouro, Prata e Bronze e estão participando 67 escolas públicas e privadas da região.

Aluno do 8º ano do Fundamental do Colégio Metodista de São Bernardo, Alberto Barbosa foi um dos primeiros a chegar e a se acomodar na sala de provas assim que os portões se abriram às 13h. É a primeira vez que toma parte da Olimpíada. “Já tive outras oportunidades, mas agora estou mais confiante”, afirmou o jovem de 13 anos de idade, que ainda não escolheu uma carreira a seguir, mas diz que a área de exatas o agrada muito (foto 1 abaixo).

Também apreciadora da ciência dos números, Luana Bittar, de 16 anos e no 2º ano do Ensino Médio do Colégio Eduardo Gomes, de São Caetano participa da Olimpíada da Matemática desde o 7º ano do Ensino Fundamental. Não ganhou ainda medalhas, embora seu principal objetivo seja exercitar os conhecimentos para o desafio do vestibular que se aproxima. “Gosto de tudo: cálculos, lógica, figuras geométricas. Mas ainda não sei o que farei. Meu avô era engenheiro”, contou Luana ao deixar a prova (foto 2 abaixo).

Altos e baixos

O objetivo da OMABC é contribuir para a melhoria do conhecimento matemático nos ciclos Fundamental e Médio e valorizar a competência e o saber. O Brasil ainda não brilha em rankings mundiais como o PISA, promovido pela OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) e que em 2015, entre jovens de 15 a 16 anos em 70 países e territórios, colocou os brasileiros em 63º lugar em matemática.

Mas em 2018 o País conquistou importante feito, passando a integrar o topo do ranking internacional no Grupo 5 da União Matemática Internacional (IMU). Trata-se de grupo seleto formado pelas nações mais desenvolvidas na pesquisa da matéria: Alemanha, Canadá, China, Estados Unidos, França, Israel, Itália, Japão, Reino Unido e Rússia. Trata-se do primeiro país do Hemisfério Sul a alcançar a posição, o que foi considerado notável diante de constantes cortes no orçamento da ciência.

“Achamos a experiência da Olimpíada muito estimulante, pois os jovens veem outros alunos e escolas e acabam dando importância a este relacionamento coletivo e ao gosto pela matemática”, disseram as representantes do Colégio Stagio de São Bernardo, a professora de Matemática Rosângela Alves e a coordenadora pedagógica Irene Franciscato. A escola participou com 41 alunos do Fundamental II e 42 do Ensino Médio. No ano passado conquistou uma Medalha de Bronze.

Leia mais sobre as etapas da Olimpíada da Matemática 2019.

 

 

 

     

 

Esta matéria foi publicada no Jornal da Metodista.
Conheça Outras.

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: , , , , , , ,

 

APOIADORES:

 

 

 

X