Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2019 / Maio / Professor ressalta importância da prática de atividades físicas em palestra na Metodista

Professor ressalta importância da prática de atividades físicas em palestra na Metodista

Douglas Popp Marin, do curso de Educação Física, alertou pais e alunos do projeto de mini-handebol da instituição

10/05/2019 19h55 - última modificação 10/05/2019 21h55

Os benefícios da atividade física e sua importância para a melhora da saúde e da qualidade de vida foram discutidos em palestra do professor Douglas Popp Marin, do curso de Educação Física da Universidade Metodista de São Paulo. Em evento promovido pelo projeto de mini-handebol da instituição, a UMESP recebeu as crianças participantes e familiares no Auditório Iota nesta quinta-feira (09 de maio).

Douglas Marin incentivou os pais a também praticarem exercícios físicos e ressaltou que o foco não deve ser apenas emagrecimento ou ganho de massa muscular, mas saúde e qualidade de vida. “O primeiro passo para fazer exercício é entendendo todos os benefícios que isso vai trazer. Talvez devêssemos começar aos poucos”, disse o palestrante.

Além do emagrecimento e da definição muscular, alguns dos benefícios que a atividade física proporciona são aumento no condicionamento físico, prevenção e controle de doenças metabólicas, melhora da saúde mental, prevenção e controle da osteoporose, prevenção de quedas, aumento de energia e disposição, melhora na qualidade do sono, controle de apetite, coordenação motora e controle e enfrentamento do estresse e da ansiedade.

Como forma de sustentar seu argumento, Marin apresentou pesquisa que indica que a porcentagem de desistência em academia é alta nos meses seguintes à matrícula. “Muitas pessoas desistem em pouco tempo. As pessoas encontram mais motivo em não fazer do que em fazer exercícios. Talvez se deva utilizar a academia para gerenciar outras coisas nossas, como estresse, ansiedade e bem-estar, ao invés de pensar em emagrecimento”, contou.

Responsável pelo projeto de mini-handebol da Metodista, professor Diego Melo de Abreu ressaltou a importância de trazer um tema como esse para a comunidade. “Queremos conscientizar e trazer qualidade de vida para as pessoas e não só para os atletas e crianças, mas também para as famílias. Crianças já têm uma média por ano de 80 encontros de 1h15; já são bem beneficiadas. Trazendo os pais em determinadas épocas do semestre, por meio de palestras, é importante para mostrar que realmente estamos preocupados com a saúde de todos”, afirmou o professor.

 

Handebol e mini handebol para crianças

Como forma de estimular o exercício físico entre crianças, o curso de Educação Física da Universidade Metodista de São Paulo promove aulas gratuitas de handebol e mini-handebol para meninos e meninas de 6 a 12 anos. O objetivo é incentivar o desenvolvimento global das crianças e adolescentes com qualidade e diversão, por meio de atividades esportivas e educacionais diversificadas.

Responsável pelo projeto, Diego Melo de Abreu é docente do curso de Educação Física da instituição e autor do livro “Teoria e Prática do Mini-Handebol”. Atualmente, conta com apoio de cerca de 10 estagiários divididos em diferentes dias. Para ele, os estágios internos funcionam como oficina para os alunos de Educação Física.

Além das aulas, a Metodista oferece também, de forma gratuita, acompanhamento com psicólogo, academia-escola, palestras e curso de primeiros socorros para os pais.

As aulas são realizadas no Ginásio Principal, localizado no campus Rudge Ramos, que conta com quadra coberta amortecida, demarcações oficiais, iluminação profissional, placares eletrônicos, arquibancadas, vestiários masculinos e femininos e toda infraestrutura que a Universidade Metodista de São Paulo proporciona: restaurantes, lojas, bancos, etc.

Para participar do projeto, os responsáveis devem atestar que a criança está em perfeitas condições de saúde para a prática de esportes, levar RG e preencher o cadastro da equipe. Os alunos devem comparecer às aulas com roupa esportiva.

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: , , ,
X