Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2014 / Setembro / Metodista e Sírio-Libanês firmam parceria para oferta de novo curso de Medicina no ABC Paulista

Metodista e Sírio-Libanês firmam parceria para oferta de novo curso de Medicina no ABC Paulista

26/09/2014

26/09/2014 12h45 - última modificação 06/04/2017 21h10

Infraestrutura da Faculdade da Saúde será utilizada para novo curso

Parceria permite atuação dos futuros alunos e formação continuada dos professores de Medicina da Universidade Metodista nas unidades administradas pelo Hospital Sírio Libanês

Com longa tradição em ensino, extensão e pesquisa científica, a Universidade Metodista de São Paulo prepara-se para novo salto na trajetória de mais de 40 anos na área da Saúde: vai participar da chamada pública do Ministério da Educação para autorização de curso de Medicina em São Bernardo do Campo.

Para tanto, estabeleceu parceria com uma instituição de excelência no Brasil, o Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio-Libanês, que participará do desenvolvimento do projeto acadêmico e do programa de formação e desenvolvimento de docência em Saúde dos professores de Medicina da Metodista. A parceria contempla a possibilidade de médicos e outros profissionais do Sírio-Libanês atuarem como professores convidados e colaborarem com a formação qualificada dos futuros médicos.

O projeto pedagógico do curso de Medicina da Metodista prevê metodologias ativas de ensino, por meio das quais desde o primeiro semestre o aluno é colocado em contato com a realidade prática dos pacientes e equipamentos de saúde.

São Bernardo integra a relação de 39 localidades no Brasil selecionadas pelo Ministério da Educação para autorizar instituições privadas ou comunitárias de ensino superior a instalarem cursos de Medicina, conforme Portaria Conjunta MEC / Ministério da Saúde Nº 543, de 4 de setembro de 2014. A perspectiva do Governo Federal é de que a formação seja voltada, principalmente, ao atendimento das necessidades de usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), com foco na atenção básica, uma prioridade do Programa Mais Médicos.

A Prefeitura de São Bernardo do Campo teve sucesso na seleção do Município como parte do Programa Mais Médicos graças aos importantes avanços obtidos nos últimos anos tanto na evolução do número de atendimentos e sua qualificação, quanto na ampliação da quantidade e qualidade dos equipamentos, construções e reformas da infraestrutura dos serviços de saúde. Foi realizada visita por comissão de especialistas do MEC e do Ministério da Saúde para rigorosa verificação da estrutura de equipamentos públicos e programas de saúde do Município e respectivo projeto de melhoria.

Os avanços na saúde pública de São Bernardo permitirão que alunos, preceptores e professores do curso de Medicina da Metodista possam atuar nas Unidades Básicas de Saúde, hospitais, prontos-socorros, Unidades Saúde da Família, centros regionais de especialidades, Centro de Atenção Psicossocial e outros equipamentos públicos visando a aperfeiçoar ainda mais o atendimento à população, com programas de residência médica, programas de medicina da família e comunidade.

  

Metodista e Sírio-Libanês: parceria inovadora e de excelência

Um dos complexos hospitalares mais avançados do País, o Sírio-Libanês implantou, em 2003, seu Instituto de Ensino e Pesquisa (fotos) preocupado com a geração e disseminação do conhecimento de alto nível em saúde. A iniciativa educacional da instituição busca harmonizar teoria e prática para uma qualificação profissional de excelência, já tendo sido implantada em algumas das melhores universidades do País.

O Instituto Sírio-Libanês tem como missão contribuir para o desenvolvimento da qualidade assistencial, para a incorporação de novas tecnologias, promoção e acesso à Medicina de ponta por um número cada vez maior de brasileiros. Nesse sentido, o Instituto atua com programas de residência, pós-graduações lato e stricto sensu, cursos e congressos. Para a Metodista, a parceria possibilitará também irradiar esses benefícios para todos os 13 cursos da Faculdade de Saúde, com atuação de alunos no sistema público e também na rede Sírio-Libanês.

Um dos principais diferenciais do projeto pedagógico de curso é a Metodologia Ativa de Ensino, por meio da qual desde o 1º semestre do curso os alunos têm contato com a realidade do atendimento em saúde. “O aluno tem contato com o paciente e, a partir disso, constrói o conhecimento”, explica o professor doutor Marcio de Moraes, Reitor da Universidade Metodista de São Paulo.

Outro aspecto fundamental é a alta tecnologia à disposição dos alunos, como o uso da virtualização, em que equipamentos de última geração substituem o uso de cadáveres, por exemplo.

Universidade Metodista: longa tradição na área da Saúde   

Com 13 cursos de graduação na Faculdade de Saúde, além de cursos de Pós-Graduação tanto em nível de Especialização quanto Mestrado e Doutorado, a Metodista forma profissionais para variadas profissões nessa área há mais de quatro décadas.

Além de capacidade crítica e reflexiva, a Faculdade da Saúde valoriza a pesquisa científica e a inserção na comunidade de São Bernardo do Campo e ABC Paulista. Com objetivo de formar profissionais capacitados para atuar na promoção, prevenção e tratamento em saúde, os cursos da Metodista são organizados de forma multi e interdisciplinar, integrando conceitos que atendam tanto às necessidades técnicas como as humanísticas e relacionais com os pacientes. Neste sentido, as atividades desenvolvidas durante os cursos incentivam a liderança e o trabalho em equipe junto a outras especialidades.

Os cursos da Metodista na área da Saúde são bem avaliados tanto pelo Ministério da Educação (MEC) quanto por rankings de avaliação de ensino. Todos contam com CPC (Conceito Preliminar de Curso do MEC) 3 ou 4 (numa escala de 1 a 5), são estrelados pelo Guia do Estudante da Editora Abril e estão entre os 10 melhores do Estado, entre instituições não-públicas, pelo RUF (Ranking Universitário Folha). Trata-se da qualidade e da experiência regulatória, dois requisitos fundamentais exigidos pelo Ministério da Educação para a habilitação da instituição de ensino superior.

O curso de Odontologia, por exemplo, soma 38 anos de atividades. Já o de Psicologia, com 42 anos, está entre os 15 melhores do País. O Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Saúde, que reúne mestrado e doutorado, completou 35 anos em 2013, evidenciando a solidez da Metodista em ensino na área.

Atendimento à comunidade e inserção regional   

Um dos pontos altos da Metodista na área da saúde é sua prestação de serviços à comunidade, que se dá, por exemplo, na Policlínica e no Laboratório Multidisciplinar, além de um ativo programa de Saúde do Idoso. A humanização do atendimento à população é destaque dos serviços, dentro da vocação confessional, ética e filantrópica da instituição.

“Nossa Policlínica realiza mais de 50 mil atendimentos por ano a cidadãos de São Bernardo e de todo o ABC. A Metodista participa efetivamente dos processos do dia a dia do atendimento em saúde do município e tem envolvimento muito forte com São Bernardo do Campo e demais municípios do ABC Paulista. Esse é um ponto muito forte a ser considerado quando se pensa em um curso de Medicina”, explica o reitor Marcio Moraes.

Além da inserção na cidade e na região, também conta a favor da candidatura da Metodista ao novo curso de Medicina sua infraestrutura consolidada, com vários laboratórios, biotério, farmácia-escola e hospital veterinário, dentre outros equipamentos disponíveis aos alunos e à comunidade.

A Faculdade de Saúde conta ainda com Unidade de Garantia da Qualidade, por meio da qual é possível realizar o monitoramento dos cursos por meio de laboratórios e equipamentos. Isso permite avaliar e promover melhorias contínuas.

O corpo docente preza pela alta qualificação: 88% dos professores têm titulação de mestres e doutores. Soma-se a isso a inovação em ensino, com disciplinas modulares e os Projetos Integrados desenvolvidos pelos alunos, em que vários cursos interagem entre si.

Na Policlínica, por exemplo, atuam desde 2010 nutricionistas, fisioterapeutas, farmacêuticos e biomédicos, entre outras áreas, que se reúnem também nas experiências de extensão, como nos projetos Rondon e Canudos.

O vínculo da Metodista com o ABC Paulista e, em especial, com São Bernardo do Campo, onde iniciou atuação com a Faculdade de Teologia em 1938, também pode ser medido pelo fato de ser grande formadora dos profissionais da região. São mais de 80 mil pessoas já graduadas na Universidade Metodista, das quais muitas moram no ABC. “Por conta disso, vivem os pontos positivos e os problemas do Município. Nada melhor do que conhecer os problemas para tentar traçar estratégias para resolvê-los. Os alunos daqui têm conhecimento do que é necessário fazer pela região”, acredita o reitor Marcio de Moraes.

Reconhecimento internacional na área da Saúde

A Universidade Metodista de São Paulo é uma instituição vinculada à Igreja Metodista, que mantém centenas de hospitais e unidades de saúde em todo mundo. Por exemplo, nos Estados Unidos há vários hospitais metodistas reconhecidos pela excelência na prestação de serviços à comunidade, tais como Houston Methodist Hospital, Indiana University Health Methodist Hospital, Methodist Hospital in San Antonio (Texas) e New York Methodist Hospital.

“O Instituto Metodista de Ensino Superior, Mantenedora da Universidade Metodista, está plenamente comprometido em prover plenas condições para a habilitação e classificação da sua mantida para a implantação do curso de Medicina em São Bernardo do Campo”, afirma o Professor Wilson Zuccherato, Diretor Geral das Instituições Metodistas de Educação.

 
 
Mestrado e Doutorado em Psicologia da Saúde: qualidade reconhecido pela Capes

Com um Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Saúde com 35 anos de existência e tradição, em abril de 2014 a Universidade Metodista obteve a aprovação da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) para o oferecimento do Doutorado no Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Saúde.

A coordenadora do Programa, professora Maria Geralda Heleno, explica que, em visitas da Capes, “a Comissão de Área informou que tínhamos maturidade para ter um doutorado. Nas quatro últimas avaliações, atingimos nota 4 [em uma escala de 1 a 5]”. A docente afirma ainda que o Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Saúde “tem 35 anos de existência e que, por isso, está muito bem consolidado”.

Para a concretização deste fato, Maria Geralda explica que a Universidade conseguiu alcançar os níveis de exigência das avaliações em quatro aspectos: nas produções bibliográfica e técnica, com publicações de artigos e de capítulos para livros; nas ações voltadas para a internacionalização, tanto para a realização de eventos como projetos de pesquisa em parceria com instituições de Portugal e da Espanha; e na inserção social do Programa, desenvolvendo atividades que beneficiam a comunidade, como o Programa de Atendimento Interdisciplinar ao Paciente com Diabetes e os atendimentos prestados com o intuito de resolver conflitos, voltados a alunos do Ensino Fundamental de escolas públicas de Santo André e de Ribeirão Pires e no Fórum de Justiça deste último município.

Em relação às linhas de pesquisa, de acordo com a coordenadora, estas devem permanecem as mesmas que já vinham sendo abordadas no Mestrado – Prevenção e Tratamento e Processos Psicossociais. No entanto, ela destaca que “teremos outras disciplinas nas quais os alunos terão maior possibilidade de reflexão sobre os temas, além da oportunidade de trabalhar com outros inéditos. Serão as mesmas linhas, mas com um aumento da complexidade dos trabalhos”.

Expandindo o conhecimento

Impactar a produção e a disseminação de conhecimento é um dos objetivos propostos pela Metodista ao incluir a internacionalização como um dos eixos de seu Projeto Pedagógico Institucional (2013-2017). Neste sentido, a professora Maria Geralda ressalta: “recebemos duas professoras da Universidade do Algarve [Portugal] e mais recentemente uma da Universidade de Bologna [Espanha], que ficou conosco por seis meses e veio como pesquisadora”. Ela cita também a solicitação da vinda de três alunos do Algarve para cursar parte do Mestrado na Metodista e a ida de um dos alunos para Bologna, que resultou no desenvolvimento de pesquisas em conjunto. “Percebemos que está havendo um crescimento dessas trocas. A permanência do corpo docente e discente em outras instituições e a vinda de pessoas para cá, sempre cria uma possibilidade muito frutífera de pesquisa e de produção em parceria”.

Para a coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Saúde, “do ponto de vista da internacionalização, o Programa também tem construído bases firmes, fazendo tanto eventos como publicando artigos e livros em conjunto com pesquisadores nacionais e internacionais”.

Outro aspecto importante é que o oferecimento do doutorado possibilita a obtenção de bolsas-sanduíche junto a Capes, oportunidade disponível apenas para esta modalidade, que permite parte da realização do curso no exterior.

Maria Geralda comenta ainda que o Programa tem promovido, desde 2008, diversos eventos com a Associação Brasileira de Psicologia da Saúde. Além da Universidade do Algarve, nos próximos deverão ocorrer parcerias com instituições da Itália e da Espanha.

Linhas de Pesquisa
O Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Saúde pauta suas atividades por duas Linhas de Pesquisa: “Prevenção e Tratamento” e “Processos Psicossociais”. Essas linhas se assentam em duas perspectivas propostas por pesquisadores da área para a Psicologia da Saúde: prevenção-tratamento de doenças e proteção-promoção da saúde.

Prevenção e Tratamento volta-se para temas psicológicos intimamente associados a enfermidades agudas, crônicas ou degenerativas, investigando-se processos cognitivos e emocionais relacionados tanto a sintomas psíquicos e somáticos, à dinâmica relacional de indivíduos e grupos, bem como para intervenção e evolução em Psicologia Clínica.

Processos Psicossociais assenta-se na perspectiva da proteção-promoção da saúde, colocando em análise temas resultantes das interfaces saúde-sociedade, saúde-trabalho, saúde-violência, saúde e processos psicológicos, quando são investigadas dimensões psicossociais que sinalizam valores contemporâneos sobre saúde, comportamentos de risco como uso de substâncias psicoativas, indicadores de bem-estar e de suporte social no ambiente de trabalho, bem como estudos voltados para construção e validação de medidas neste contexto.

Para obter mais informações sobre o Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social, acesse www.metodista.br/pospsico.

Saiba mais:

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: , , , , , , , , , , , , , ,
Portlet de conteudo estático
Portlet de conteudo estático
Portlet de conteudo estático
Portlet de conteudo estático