Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2013 / Setembro / Experiência de vida e cidadania

Experiência de vida e cidadania

03/09/2013

03/09/2013 18h05 - última modificação 19/04/2017 20h10

Protótipo de lâmpada que gera energia limpa foi criado pelos alunos de Engenharia Ambiental. Foto: Raquel Munhoz

PROJETO CANUDOS LEVOU SAÚDE, QUALIDADE DE VIDA E CULTURA AO SERTÃO BAIANO


Fogos de artifício logo na chegada. Assim foram recepcionados os 44 integrantes do Projeto Canudos 2013. A expectativa da comunidade gerou ainda mais responsabilidade para os estudantes e profissionais que estariam no município durante 15 dias. E quem foi levar solidariedade para a população, trouxe na bagagem uma experiência inigualável.

O Projeto Canudos teve início em 2012, uma parceria da Metodista com o Instituto Brasil Solidário. Em busca de ampliar a atuação na cidade, alunos da Faculdade de Medicina do ABC (FMABC) foram convidados para integrar as ações neste ano.

A equipe multidisciplinar que esteve no sertão era formada por 28 alunos dos cursos de Biomedicina, Educação Física, Engenharia Ambiental, Fisioterapia, Jornalismo, Nutrição, Odontologia, Pedagogia, Psicologia e Rádio, TV e Internet; e 10 estudantes da FMABC, coordenados por dois professores e outros quatro profissionais da área da saúde formados pela Metodista. O grupo chegou a cidade carregado de suprimentos e equipamentos necessários para prestar atendimentos.

“Participar do Projeto Canudos sempre será um grande desafio, desde
o momento dos preparativos, arrecadação de alimentos, captação de recursos e materiais. Nesta etapa contamos com 46 pessoas, entre elas a grande maioria alunos, foram apenas dois docentes da Universidade. Todos mostraram empenho e muita garra para que o Projeto acontecesse. Vale lembrar que aqueles alunos que não foram selecionados também contribuíram demais”, conta o professor da Faculdade da Saúde Victor Hugo Bigoli, coordenador do Projeto.

Segundo Victor, um dos principais receios no início foi contar com uma equipe de alunos que em sua maioria nunca havia participado de um projeto de extensão. “A união da equipe foi o principal destaque. Um grupo 80% renovado trouxe no primeiro momento uma preocupação, que logo nos primeiros dias de trabalho deixou claro a união e a vontade de todos em participar.”

Além das ações sociais e de cultura, como o cinema a céu aberto que levou diversão e entretenimento aos moradores da Fazenda Chora Menino, comunidade que até meses atrás não tinha energia elétrica, os alunos desenvolveram e executaram oito projetos científicos com objetivo de melhorar a qualidade de vida dos canudenses. “Este ponto deve ser muito bem ser observado. É a junção da pesquisa, ensino e extensão, contribuindo positivamente com a comunidade”, relata o professor.

Energia Limpa
Pela primeira vez participando, a equipe de Engenharia Ambiental desenvolveu estratégias para contribuir com a qualidade de vida da comunidade. Os alunos Felipe Figueiredo, Janine Calixta e Thaís Rocha utilizaram chapas de zinco, garrafas pet e água sanitária para produzir as chamadas lâmpada de Moser, gerando energia limpa à população.

“Queríamos fazer algo focado em educação ambiental, que fosse útil para a comunidade e ainda aproveitamos para dar destino certo a um material que provavelmente iria para o lixo”, conta a estudante Thaís Rocha, do 4º
semestre de Engenharia Ambiental.

Mais do que implantar as ações, o Projeto Canudos busca ensinar aos
munícipes como fazer e a importância de disseminar esse conhecimento.
Nesta ação, o morador da casa em que o protótipo foi aplicado, além de ceder o espaço, contribuiu na prática com o desenvolvimento do projeto.

O protótipo foi instalado no telhado de uma casa, como uma luminária. Com o forte sol do meio-dia, que irradia na chapa presa a garrafa coberta na tampa com fita isolante, é possível iluminar o cômodo da casa entre 40 a 60 watts.

Para o professor Victor, o papel do aluno vai muito além da solidariedade.  “É uma experiência magnífica. Poder contribuir, solucionar e aprender em tão pouco tempo. A extensão não é somente algo prazeroso, não é caridade e sim uma etapa universitária que o aluno pode adquirir.”

Thaís concorda. “É um imenso crescimento, estar lá e ver todos os problemas reais daquela população. Não adianta pensarmos ações aqui e de imediato tentar implantar lá, temos que analisar quais ações quem vive lá gostaria de fazer. Foi uma experiência incrível e pretendo continuar participando.”

Confira mais informações no site www.projetocanudos.com.br ou acesse
a página no Facebook para acompanhar as novidades e também conferir
depoimentos dos participantes.

 

Campanha do Agasalho
A Campanha do Agasalho realizada no 1º semestre de 2013 foi um grande sucesso. Devido ao grande número de itens arrecadados, a doação se dividiu para o Projeto Missão Belém, em São Bernardo do Campo e para a Comunidade Metodista do Povo de Rua, no Viaduto do Pedroso, em São Paulo. A Pastoral Universitária agradece a todos que colaboraram!

 

Paula Lima
paula.come@metodista.br

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre:
Portlet de conteudo estático
Portlet de conteudo estático
Portlet de conteudo estático
Portlet de conteudo estático