Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2012 / abril / Fé e Cidadania

Fé e Cidadania

Inclusão : Uma Palavra atemporal

24/04/2012 15h55 - última modificação 25/04/2012 12h56

Não há como negar que os avanços da tecnologia têm proporcionado inúmeros benefícios, seja contribuindo com a descoberta e o tratamento de diversos tipos de doenças, seja tornando a vida em sociedade mais prática graças à internet ou ainda diminuindo as distâncias entre as pessoas com um simples clique.

 

Entretanto, ao abordarmos a questão da inclusão, automaticamente afirmamos que o contrário também é verdadeiro. Neste espaço, em particular, estamos lidando com a realidade de pessoas que estão à margem do acesso tecnológico, numa época em que não é mais possível imaginar o mundo sem este tipo de recurso.

 

E para que essa situação seja diferente, é preciso parar e considerar o que realmente significa incluir. Uma das definições apresentadas pelo dicionário Aurélio diz: “estar incluído ou compreendido; fazer parte; figurar entre outros; pertencer, juntamente com outros”.

Independentemente da crença, se há um exemplo que a ser seguido é o de Jesus. Durante todo o seu ministério, Ele não fazia nenhum tipo de diferenciação entre as pessoas. Pelo contrário, suas ações eram sempre no sentido de aproximá-las

A Bíblia menciona diversas situações em que isso ocorre. No livro de Marcos, O vemos ensinando a multidão a respeito do casamento até que, em um determinado momento, começaram a trazer crianças para que Ele as tocasse. “Mas os discípulos o repreendiam. Quando Jesus viu isso, ficou indignado e lhes disse: ‘Deixem vir a mim as crianças, não as impeçam; pois o Reino de Deus pertence aos que são semelhantes a elas’” (Mc 10.13,14).

Já na passagem em que é relatada a multiplicação dos pães e peixes, Jesus tem atitude semelhante por duas vezes. A primeira quando Ele e os discípulos se retiravam para a cidade de Betsaida. O povo, ao ficar sabendo para onde iam, decidiu segui-los. Em vez de impedir que as pessoas se aproximassem, “Ele as acolheu, e falava-lhes acerca do Reino de Deus, e curava os que precisavam de cura.” (Lc 9.11). Ao final daquele dia, os discípulos sugeriram que Jesus dispersasse a multidão para que pudessem se alimentar. Novamente Ele não permitiu que isso acontecesse e realizou o milagre. (Mc. 6.35-44).

 

Assim como Jesus, que tratou igualmente as pessoas, as iniciativas do governo e de instituições da sociedade civil são muito bem-vindas quando o objetivo é dar o mesmo tratamento a todos, não importando a classe social, de maneira que possam usufruir dos mesmos recursos e acessos tecnológicos.

 

Gabriela Rodrigues

Jornalista, integrante da equipe da Gerência de Comunicação da Universidade Metodista de São Paulo

Comunicar erros


Portlet de conteudo estático
Portlet de conteudo estático
Portlet de conteudo estático
Portlet de conteudo estático